A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
16 pág.
ANAMNESE E EXAME OBSTETRICO

Pré-visualização | Página 1 de 5

Anamnese 
 
Este tempo do exame marca o primeiro contato da Enfermeira (o), com a 
paciente, permite o registro dos sintomas que motivam a consulta e dos dados paralelos 
que são imprescindíveis à formulação do diagnóstico correto. Na anamnese, a paciente 
toma parte ativa, informando espontaneamente. O médico, no entanto, precisa orientar 
tal informação, a fim de colher os elementos realmente úteis. O estudo e os livros 
ensinam como fazer anamnese, mas somente com a prática e a experiência é que 
podemos faze-la satisfatoriamente. 
 
Em uma anamnese é de grande importância o conhecimento da psicologia, pois 
não basta saber o que perguntar, mas também como perguntar adequadamente a cada 
tipo de paciente. Além disso é importante que TODOS os dados colhidos na anamnese e 
exame físico estejam CLARAMENTE ANOTADOS no prontuário e carteira de 
gestante da paciente para que toda a equipe de saúde tenha acesso a estas informações. 
 
Os principais elementos da identificação na anamnese geral são: idade, cor e 
profissão, sendo ainda importantes o estado civil e a procedência. 
 
Idade - A idade ideal para a primeira parturição (nubilidade) vai dos 18 aos 27 
anos. Chamamos "primigesta jovem" quando a gravidez ocorre antes dos 18 anos, sendo 
este período dividido em duas partes, dos 15 aos 17 anos, nas quais não há quase 
complicações obstétricas, e as que dão à luz antes dos 15 anos, chamadas primigestas 
"giovanissime" dos autores italianos, nas quais a desproporção cefalopélvica e as 
distócias funcionais são freqüentes. Do mesmo modo, após os 27 anos denominamos de 
"primigestas idosas", sendo estas quase desprovidas de problemas na parturição, a não 
ser um grau menor da elasticidade dos tecidos moles. Quanto às multíparas, deveriam 
dar à luz somente até os 35 anos. Após este período há sempre maior incidência de 
trissomias (1:800 aos 20 anos e 1:80 aos 40 anos). Portanto, os partos deveriam, de 
preferência, ocorrer entre 18 e 35 anos. 
 
Cor - A bacia da mulher negra é "justa minor" (todas as medidas levemente 
diminuídas) porém, o parto ocorre sem problemas pela maior plasticidade do pólo 
céfalico do feto da mesma cor. Há no entanto, um aumento da desproporção 
cefalopélvica no casal de parturiente negra e cônjuge branco. 
 
Profissão – As intoxicações profissionais de ação lenta comprometem a 
evolução gravídica. É o que se dá com as produzidas pelo álcool, chumbo, fósforo, 
nicotina, café, óxido de carbono, sulfureto de carbono, etc. Em gestantes que se ocupam 
de tarefas rudes e que exigem atividade muscular acrescida, existe uma maior propensão 
a abortamentos, partos pretermo e rotura prematura de membranas. Aquelas que 
trabalham em presença de Raios X, quando grávidas expõesm-se, entre 2 e 4 semanas, a 
malformações (e.g. microcefalia, microftalmia) e após a 20a. semana a supressão de 
medula óssea. 
 
Estado Civil – Pacientes com estado civil indeterminado e conseqüentemente 
com mais de um parceiro sexual estão predispostas a adquirirem um número maior de 
doenças sexualmente transmissíveis. A influência desta condição é notória, posto que 
abundam estatísticas mostrando a incidência elevada de problemas e maior morbidade e 
mortalidade materna e fetal entre as mães solteiras. 
 
Procedência – Segundo a procedência da paciente, já temos orientação no 
sentido de imaginar a possibilidade de doenças que poderão influir grandemente na 
gestação. 
 
Após a anamnese geral inicia-se o questionário especializado. A inter-relação da 
Ginecologia e da Obstetrícia é inegável na clínica diária. Assim, é preciso apurar o 
passado ginecológico e obstétrico da paciente, pormenorizado a seguir: 
Antecedentes Menstruais 
 
Data da menarca, caracteres do ciclo menstrual e data da última menstruação são 
os dados a serem obrigatoriamente registrados na anamnese obstétrica e ginecológica. 
Grande número de pacientes apresenta distúrbios menstruais que tanto podem ter causa 
orgânica como decorrer de disfunção do sistema neuro-endócrino. Em nosso meio, a 
menarca ocorre freqüentemente dos 10 aos 14 anos. As menstruações duram, em média, 
de 3 a 5 dias, seu intervalo varia de 28 a 30 dias a quantidade de sangue perdido é de 
100 a 150 g. Em pacientes com ciclos irregulares e imprevisíveis é difícil, através da 
anamnese e exame físico precisar a idade gestacional do feto, nestes casos uma ultra-
sonografia precoce é de extrema valia para avaliar a idade gestacional. 
 
Quando a paciente refere uma amenorréia (ou falta de menstruação) súbita em 
história menstrual fisiológica, o diagnóstico de gravidez se confirma em 90% das vezes. 
Antecedentes Sexuais 
 
A despeito da idade ou estado civil a paciente poderá, ou não, ter vida sexual 
ativa. Se a tem, é necessário saber há quanto tempo e se o ritmo de relações sexuais é 
freqüente ou esporádico. Procura-se saber se a libido e o orgasmo estão presentes, o que 
permite obter dados importantes sobre o psiquismo da paciente. Neste tópico da 
anamnese revelam-se problemas íntimos, tais como desajustamentos conjugais e 
angústias deles decorrentes. Os meios anticoncepcionais habitualmente utilizados 
merecem registro. Alguns deles podem causar certa ansiedade: o método da tabelinha, 
pelas falhas a que está sujeito; o coito interrompido, pela insatisfação que propicia. 
Dispareunia significa coito doloroso, e pode ser causado por inflamação vulvovaginal 
ou por vaginismo – constrição espástica da musculatura da vagina durante o ato sexual. 
Sinusiorragia é sinônimo de perda sangüínea no coito e pode traduzir a presença de 
cervicite aguda ou subaguda, de pólipo mucoso endocervical ou de carcinoma do colo 
do útero. As perguntas sobre os antecedentes sexuais devem sempre ser feitas com 
naturalidade, sem a preocupação de obter respostas satisfatórias na primeira consulta. Se 
a paciente é solteira e não se tem certeza se a acompanhante sabe de sua vida sexual, é 
preferível deixar as perguntas para um momento em que médico e paciente estejam na 
sala de exame, apenas com a presença da enfermeira, habilidosamente mantida a certa 
distância para não ouvir o relato. 
Corrimento 
 
Secreção vaginal aumentada caracteriza corrimento, motivo freqüente de queixa 
ginecológica. O corrimento quase sempre provém da vagina e/ou do colo do útero. As 
causas mais comuns deste sintoma são as vulvovaginites. Pelos caracteres do 
corrimento é possível supor a sua etiologia. Tricomonas produzem corrimento 
amarelado e fétido. A secreção causada por monília é branca, em pequenos grumos, 
quase sempre pruriginosa. Cervicite crônica produz corrimento amarelado, de aspecto 
catarral. Para se admitir que a paciente apresenta corrimento é preciso obter a 
informação de que a secreção vaginal se encontra permanentemente aumentada. 
Aumento fisiológico da quantidade de secreção se verifica nos momentos de excitação 
sexual. 
Sintomas mamários 
 
As mamas, pela sua localização, são objeto de “auto-exame”, com relativa 
freqüência. Assim, a queixa de nódulo mamário é muitas vezes comprovada pelo exame 
físico. Sua presença pode corresponder a fibroadenoma ou carcinoma. Displasia 
mamária pode, também, aparecer sob a forma de espessamento do parênquima, 
acompanhado de dor que se intensifica no período pré-menstrual. Sangramento pela 
papila é expressão clínica de papiloma ou de carcinoma do ducto. Eczema crônico da 
aréola faz pensar na possibilidade da doença de Paget. 
Antecedentes obstétricos 
 
Indaga-se, pela ordem, sobre as gestações anteriores, obedecendo à sua 
cronologia, como evoluiram, como foram os partos, sobre a vitalidade dos conceptos, a 
eventualidade de abortamentos e do intervalo interpartal. 
 
Grávida,