A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Trabalho de gonorréia, clamídia...

Pré-visualização | Página 1 de 3

Gonorréia 
1
Descrição
Gonorreia é uma doença infecciosa do trato genital, que e transmitida sexualmente ,que pode determinar desde infecção assintomática até doença se manifestar, apresenta-se de forma completamente diferente no homem e na mulher. 
Cerca de 70 a 80% dos casos femininos, a doença é assintomática. Há maior proporção de casos em homens.
Também é possível transmissão da mãe infectada para o recém-nascido durante o parto. Crianças que são infectadas, se não tratadas adequadamente podem desenvolver uma infecção ocular grave que pode causar cegueira. 
 
 
Reservatório
Gonorréia no homem:
 Esta doença manifesta-se através de uma inflamação na uretra e um corrimento inicial de cor clara que com o tempo torna-se mais escuro e geralmente há sensação de ardência ao urinar.
Gonorréia na mulher:
 A gonorreia é uma doença infecciosa causada pela bactéria Neisséria gonorrhoeae, que costuma atingir a região da vagina, ânus. Quando não é devidamente tratada, essa doença pode levar a complicações como infertilidade ou doença inflamatória pélvica.
Agente Etiológico:
Neisseria gonorrhoeae, diplococo gram-negativo
 
Modo de Transmissão: Contato sexual
PERÍODO DE INCUBAÇÃO
Geralmente entre 2 e 5 dias.
 
 Por este tempo de incubação que se define o por que da doença ser assintomática em ambos os sexos, porém 70% da mulheres não desenvolvem os sintomas.
PERÍODO DE TRANSMISSIBILIDADE
Pode durar de meses a anos, se o paciente não for tratado. 
O tratamento eficaz rapidamente interrompe a transmissão.
epidemiologia
Doença de distribuição universal, que afeta ambos os sexos, principalmente adultos jovens sexualmente ativos.
Alto risco de disseminação em pacientes com deficiência de complemento.
A organização mundial da saúde (OMS) estima que a 1.541.800 novos casos de gonorreia anualmente.
imunidade
A gonorreia não confere imunidade, ou seja, as pessoas que tiveram gonorreia, podem ser novamente infectadas, se estiverem exposta sexualmente a bactéria.
Manifestações Clinicas e Complicações
As manifestações são mais locais
Período de incubação de 2 a 5 dias podendo varear. 
Mais assintomática nas mulheres
Homens: Uretrite e Epididimite
Colo do útero primeiro afetado e por seguinte infecções:
Trato urinário
Secreção varginal aumentadada e prurido.
Mais graves nas mulheres é a Doença Inflamatória pélvica (PID).
Achados Diagnóstico
O paciente é avaliado para:
Febre
Secreção uretral, vaginal e retal
Para sinal de artrite
Método de cultura e de sensibilidade são os mais usuais e a eficácia da terapia.
Diagnóstico laboratorial com achados de Diplococos Gram negativos intracelulares
Tratamento
No Tratamento Médico pode ser administrado;
Ciprofloxacina 500mg, VO, dose única.
Ceftriaxona 250mg, I.M. dose única
Cefixima 400mg, V.O. dose única
Ofloxacina 400mg, V.O. dose única
Convém lembrar que geralmente na metade dos casos dos pacientes infectados por gonorreia também há uma infecção simultânea por “Clamídia”. Assim sendo, se trata as duas em conjunto acrescentando dose de “Doxiciclina” 100mg, VO, de 12/12hs por 10 dias ou “Azitromicina” 1.0gr, VO, em dose única.
Tricomoníase 
Sobre a doença
É uma infecção genital causada pelo protozoário Trichomonas Vaginalis. Sua transmissão ocorre por meio das relações sexuais ou contato íntimo com secreções de uma pessoa contaminada. Pode ser transmitida por mulher/homem e mulher/mulher. Em geral, afeta mais as mulheres.
O Trichomonas vaginalis é um parasita que só infecta o ser humano; costuma viver na vagina ou na uretra, mas pode também ser encontrado em outras partes do sistema geniturinário. Por viver principalmente na parte interna da vagina, essa doença causa micro lesões e dores, e pode até levar ao desenvolvimento de outras DSTs.
Agente Etiológico
Tricomoníase é causada por um protozoário unicelular chamado Trichomonas vaginalis ou T. vaginalis, um tipo de parasita minúsculo que se transmite entre as pessoas durante a relação sexual. O período de incubação entre a exposição e a infecção pode variar de cinco a 28 dias.
Reservatório
Nas mulheres, a doença costuma começar com uma secreção espumosa de cor verde e amarelada proveniente da vagina. Em algumas, a referida secreção é apenas ligeira. A vulva (os órgãos genitais femininos externos) pode estar irritada e dorida e é possível que o coito também cause dor. Nos casos graves, a vulva e a pele que a rodeia inflamam-se, bem como os lábios. Os sintomas são dor ao urinar ou um aumento na frequência das micções, que se assemelham aos de uma infecção da bexiga.
Os homens com Tricomoníase não manifestam habitualmente sintomas, mas podem infectar as suas parceiras sexuais. Alguns apresentam uma secreção proveniente da uretra que é espumosa e semelhante ao pus, sentem dor ao urinar e precisam de o fazer com frequência. Os referidos sintomas costumam ter lugar de manhã cedo. A uretra pode sofrer uma ligeira irritação e por vezes aparece humidade no orifício do pénis. A infecção do epidídimo, que causa dor testicular, é muito frequente. A próstata também se pode infectar, mas o papel das Trichomonas não é muito claro. Estas infecções são as únicas complicações conhecidas da Tricomoníase nos homens.
Transmissão
A Trichomoníase é causada pelo protozoário unicelular Trichomonas vaginalis que pode ser visto na imagem à esquerda.
A transmissão é pela via sexual e, curiosamente, só se dá através do sexo entre mulher/homem ou entre mulher/mulher. A transmissão do Trichomonas entre homens é rara, não sabe bem por quê. A via sexual é virtualmente a única forma de transmissão, sendo incomum a contaminação através de roupas, toalhas ou outros fômites.
O Trichomonas vaginalis é um parasito que só infecta o ser humano; costuma viver na vagina ou na uretra, mas pode também ser encontrado em outras partes do sistema geniturinário. O protozoário causa lesão do epitélio vaginal, levando à formação de úlceras microscópicas que aumentam o risco de contaminação por outras DSTs, nomeadamente o HIV, HPV, herpes, gonorreia e clamídia.
Transmissão
Tricomoníase
Tricomoníase é uma doença sexualmente transmissível causada pelo parasito Trichomonas vaginalis. Nas mulheres a Tricomoníase é uma das principais causas de vaginite e corrimento vaginal, mas costuma ser uma infecção assintomática nos homens. Neste texto vamos abordar os modos de transmissão, os sintomas, diagnóstico e tratamento do Trichomonas vaginalis.
Transmissão:
A transmissão é pela via sexual e, curiosamente, só se dá através do sexo entre mulher/homem ou entre mulher/mulher. A transmissão do Trichomonas entre homens é rara, não sabe bem por quê. A via sexual é virtualmente a única forma de transmissão, sendo incomum a contaminação através de roupas, toalhas ou outros fômites.
Período de Incubação é de 10 a 30 dias, em média. 
Período de transmissibilidade
O T. vaginalis é transmitido através da relação sexual e pode sobreviver por mais de uma semana sob o prepúcio do homem sadio após o coito com mulher infectada. O homem é o vetor da doença: com a ejaculação, os tricomonas presentes na mucosa da uretra são levados à vagina pelo esperma. Apesar disso, transmissão não-sexual teoricamente pode ocorrer em casos de duchas contaminadas, espéculos ou assento de vasos sanitários, segundo alguns autores. O organismo, não tendo a forma cística, é suscetível à dessecação e às altas temperaturas, mas pode viver, surpreendentemente, fora de seu hábitat por algumas horas, sob altas condições de umidade. O T. vaginalis pode viver durante três horas na urina coletada e seis horas no sêmen ejaculado.
Epidemiologia
A incidência da infecção depende de vários fatores, incluindo idade, atividade sexual, número de parceiros sexuais, outras DSTs, fase do ciclo menstrual, técnicas de diagnóstico e condições socioeconômicas, entre outros. Diferenças no padrão de vida, nível educacional