Gestão de Desempenho e Métricas
33 pág.

Gestão de Desempenho e Métricas


DisciplinaGestão de Desempenho e Métricas675 materiais1.455 seguidores
Pré-visualização8 páginas
1 
 
A importância das Métricas 
Conceituando Métricas 
 
A métrica do dia a dia 
 
As métricas fazem parte do nosso dia-a-dia pessoal, profissional e também no cotidiano 
das organizações. A todo o momento estamos medindo e avaliando os nossos gastos 
pessoais e de nossa família. Quanto gastamos por mês com luz, telefone, combustível 
etc. Essa atitude nos auxilia a viver dentro dos nossos limites orçamentários. A partir 
dessas medições vamos prevendo o quanto ainda podemos gastar ou o quanto devemos 
economizar num determinado período de tempo. 
 
Entendendo o que é métrica 
 
O termo métrica é sinônimo, nesta disciplina, do termo indicador. Em muitos 
momentos, os dois termos estarão aparecendo em textos, artigos e estudos, sempre com 
o intuito de dar um valor ou tamanho a uma medição em Recursos Humanos. 
 
Métrica em diferentes contextos 
 
A métrica na empresa 
 
No ambiente organizacional não é diferente. O tempo todo a empresa usa indicadores 
para saber se os negócios vão indo bem. Nas empresas, as pessoas também têm o seu 
desempenho avaliado através de um conjunto de métricas: quantidade de trabalho 
realizado, qualidade do trabalho, competências demonstradas, prazo para cumprimento 
das tarefas, grau de colaboração com outros colegas, apenas para citar algumas 
métricas. 
 
A métrica e o esporte 
 
Também usamos o conceito de métrica nos esportes. Por exemplo, durante um 
campeonato de futebol, os atletas, os clubes, a mídia, todos acompanham, medem e 
analisam uma série de indicadores (métricas): o número de vitórias de cada clube, o 
número de pontos por partida, o número de gols, entre outros. 
 
A métrica e a política 
 
Medir também faz parte do dia-a-dia do governo. A fim de gerenciar a performance da 
máquina pública, o governo utiliza um conjunto de indicadores que apontam se os 
governantes estão ou não fazendo uma boa administração. Para isso, utilizam, entre 
outros, as seguintes métricas: PIB, inflação (também medida através de diferentes 
indicadores como IPCA, IGP-M, INPC etc.), TR, Dólar, UFIR, IDH (Índice de 
2 
 
desenvolvimento Humano), Taxa de analfabetismo, Expectativa de Vida, Déficit 
Habitacional, Número de Pobres, Trabalho Infantil, Taxa de Juros, Mortes por 
Violência, Taxa de Desemprego etc. 
 
O profissional de RH e as métricas 
 
O profissional de RH, geralmente, tem dificuldades em trabalhar com a métrica. Isso 
acontece porque este profissional esta acostumado a lidar com questões intangíveis. 
Para quem trabalha em finanças, logística, ou engenharia, por exemplo, e está 
acostumado a lidar com questões tangíveis, medir é uma tarefa fácil. Assim, atividades 
como calcular o volume de produção, por exemplo, não é nada difícil. 
 
A objetividade da métrica em RH 
 
Para avaliar o desempenho não há outro caminho senão medir. Falar que se está fazendo 
um bom trabalho não é suficiente, é preciso provar. Para isso, não há outro caminho 
diferente das evidências, ou seja, dos fatos concretos. Dessa forma, se evita avaliações 
subjetivas, \u201cachismos\u201d, impressões pessoais, tanto nossas quanto das pessoas que 
avaliam nosso trabalho. 
Nas décadas de 1970 e 1980, alguns fundamentos vieram do Japão e foram consagrados 
no meio empresarial brasileiro, a saber: 
- Quem não mede, não gerencia. 
- Contra fatos e dados, não há o que discutir. 
 
Essas duas lições confirmam a importância da disciplina Métricas para nos ensinar a 
medir a performance da área de RH. Precisamos nos habituar a falar a linguagem dos 
empresários, que é a linguagem dos números. Devemos deixar de lado a linguagem que 
geralmente usamos baseada nas adjetivações \u201cestamos fazendo um excelente trabalho\u201d, 
\u201cnossa equipe tem ótimos profissionais\u201d. Para os empresários, isso é um mero discurso 
que não prova nada. 
 
O RH e seus subsistemas 
 
Para avaliarmos o desempenho da área de RH, ou de algum dos seus subsistemas como 
Recrutamento e Seleção, Treinamento e Desenvolvimento, Administração de Cargos e 
Salários, Administração de Benefícios, Administração de Pessoal, Planejamento de RH, 
Relações Trabalhistas e Sindicais e Segurança do Trabalho, temos que conhecer 
basicamente: 
 
Quais são os objetivos da área de RH e seus subsistemas? 
Quais são os indicadores que nos auxiliam a avaliar o desempenho? 
Quais são os benchmarking? 
 
 
3 
 
Os indicadores como ferramenta em RH 
 
A principal ferramenta dentro de métricas são os indicadores, que são formados por um 
conceito e uma fórmula. Esta fórmula transforma este conceito em números. 
Para entender melhor esta idéia vamos a um exemplo 
Um dos objetivos da área de RH é reter os recursos humanos, conceito conhecido como 
\u201creter talentos\u201d. 
Neste caso, como poderemos saber se estamos de fato atendendo este objetivo? 
Um dos indicadores que nos auxilia neste caso é o turnover (conceito que você já 
conhece da disciplina de Recrutamento e Seleção); Através do turnover, podemos 
calcular a rotatividade de uma empresa Logo, ele é um indicador, pois aponta o que 
deve ser medido (a rotatividade) para avaliarmos o objetivo \u201cRetenção de Recursos 
Humanos\u201d. 
Relembrando.... 
O turnover representa o grau de rotatividade dos empregados de uma empresa em um 
determinado período (dia, mês, ano). 
 
Como calcular o turnover dentro da empresa 
Veja como calcular o turnover 
Primeira fórmula 
Adotada na literatura de RH, esta fórmula aborda o fluxo de entradas e saídas de 
empregados em um período 
 (média das admissões e demissões)x100 
 Nº de empregados no mês anterior 
 
% de turnover = [(admissões + demissões):2]x100 
 Nº de empregados no mês anterior 
 
Entendendo o benchmarking 
Benchmarking é uma expressão utilizada para fazer referência às melhores práticas de 
mercado em um determinado assunto. Uma escola por exemplo, é benchmarking 
quando se torna uma referência em ensino. Já uma empresa se torna benchmarking 
quando suas práticas são as melhores do mercado. 
Qual a relação entre turnover e benchmarking? 
4 
 
Em relação à rotatividade dentro da organização, o termo benchmarking apontará qual é 
o melhor turnover das empresas, ou seja, qual é a média de turnover das empresas que 
apresentam as mais baixas rotatividades de pessoal. Vamos supor que usando o 
indicador de turnover (extraído de uma fórmula), descobrimos que a rotatividade média 
mensal da nossa empresa equivale a 8%. 
Comparando esse resultado com o benchmarking que é, por hipótese, de 1,2%, 
chegamos à conclusão de que aquele nosso objetivo de \u201creter recursos humanos\u201d não 
está sendo cumprido. Resultado: estamos longe de uma boa performance nesse quesito. 
 
Métricas em RH: características dos indicadores 
 
Relembrando o que você aprendeu com um estudo de caso 
 
Revendo o conceito 
Na aula anterior, vimos como aplicar o conceito de métricas. 
No dia-a-dia do nosso lar, podemos utilizar o conceito de métricas para administrar de 
forma mais eficiente o nosso orçamento familiar. Para entender isso melhor, vamos 
analisar os gastos com supermercado da família Flores, composta por cinco pessoas. 
 
Compras 
 
Compras do mês da família Flores 
 
Total gasto com supermercado: R$ 2.000,00 
Total gasto com alimentação: R$ 800,00 
Total gasto com produtos de limpeza: R$ 300,00 
Total gasto com supérfluos (doces, balas e bombons): R$ 900,00 
Número de pessoas da família = 5 
 
Gastos 
O que queremos descobrir?