A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Jogos de Poder

Pré-visualização | Página 1 de 3

Seminário
Teoria das Organizações II – Profª Simone Fernandes
Grupo: Andressa Marangoni, Antonio Bruno, Brenda Lourencini, Cirilo Andrade, Marcelo Frechiani, Marcos Vinicius Medeiros, Nickolas Caldeira, Thaianny Teixeira.
JOGOS DE PODER
O tema é frequentemente analisado de 4 formas:
1. Na perspectiva marxista: fenômeno de alienação econômica
 
2. No nível psicanalítico: fenômeno psicológico de alienação (dependência, projeção e introjeção)
3. Como um fenômeno político: de imposição e de controle sobre as decisões e sobre a organização do trabalho
 
4. No nível ideológico: fenômeno de apropriação do significado e dos valores
INTRODUÇÃO
Metáfora Política
Práticas de ação estratégica
• Organizações vistas como arenas complexas, onde os indivíduos buscam seus interesses particulares por intermédio dos meios oferecidos pelas estruturas e regras burocráticas.
• Autoridade, poder e relações superior-subordinado são aspectos políticos
• A política pode ser parte essencial da vida organizacional, e não necessariamente algo disfuncional. 
• Significado original da noção política: consulta e negociação para reconciliar interesses divergentes.
• Compreensão de qualidades importantes da organização que são, frequentemente, encobertas ou ignoradas.
METÁFORA POLÍTICA
• Ação Social de Weber
• Habermas estabelece três tipos de ação: 
DIMENSÃO ESTRATÉGICA DA AÇÃO SOCIAL
Tipos de Ação/Orientação
Ação Social Orientada para o Sucesso
Ação Social Orientada para a Compreensão
Não Social
Ação instrumental
----------------------------
Social
Ação estratégica
Ação comunicativa
Ações instrumentais são direcionadas para a eficiência administrativa ou técnica.
Ação estratégica é a capacidade perceber as oportunidades de ação, prever as consequências e os riscos de cada alternativa e assumir esses riscos executando a decisão.
Ação comunicativa é voltada para acompreensão entre as partes.
APROFUNDANDO CONCEITOS BÁSICOS
Ação estratégica em grupo - Organização é uma estrutura estratégica de ação coletiva que visa oferecer soluções especificas para a concretização de objetivos do grupo social.
Efeitos inesperados de ação estratégica em grupo e disfunções - incoerências e incertezas dado ao fato de múltiplas racionalidades e interesses divergentes.
Problemas da ação coletiva - Negociação entre os grupos
Organização como arena política - Jogos de poder
As incertezas e o poder - Controle de recursos organizacionais
As organizações, igualmente aos governos, empregam alguns sistemas de regras como meio de criar e manter a ordem entre seus membros.
As formas de governar a seguir são variações mais comuns das regras políticas encontradas nas organizações
ORGANIZAÇÕES E FORMAS DE GOVERNO POLÍTICO 
AUTOCRACIA: Governo absoluto em que o poder é sustentado por um individuo ou pequeno grupo, no qual a tradição, posse de direitos, carisma são usados para estabelecer privilégios pessoais.
BUROCRACIA: Regra estabelecida por meio da palavra escrita, que oferece as bases de uma autoridade racional-legal.
TECNOCRACIA: Regra exercida através do uso do conhecimento, poder de especialistas e habilidade de resolução de problemas relevantes.
CO-GESTÃO: Forma de governo em que as partes opostas entram em entendimento para gerar interesses mútuos.
DEMOCRACIA REPRESENTATIVA: Regra exercida através da eleição de membros que tem mandato para agir em nome daqueles a quem representam.
DEMOCRACIA DIRETA: É o sistema no qual cada um tem direito igual de governar tomando partes em todas as decisões. 
A politica de uma organização é mais claramente manifestada nos conflitos e jogos de poder.
Pode-se analisar a política organizacional de maneira sistemática, focalizando as relações entre interesses, conflitos e poder.
A política organizacional nasce quando as pessoas pensam e agem diferentemente. Isso cria uma tensão que precisa ser resolvida por meios políticos através das formas de governo apresentadas:
-autocraticamente
-burocraticamente 
-tecnocraticamente
-democraticamente
ORGANIZAÇÕES VISTAS COMO SISTEMAS DE ATIVIDADE POLÍTICA 
Análise de Interesses
FATORES QUE INFLUENCIAM OS INTERESSES DO INDIVÍDUO NAS ORGANIZAÇÕES
Aspirações e visões;
Personalidades, atitudes próprias, 
Valores, preferências, 
Crenças e conjuntos de comprometimento com o mundo exterior
INTERESSES
Os três domínios podem interagir e também permanecerem separados. 
Busca pelo equilíbrio
Tensões
A METÁFORA POLÍTICA 
Define as organizações como rede de pessoas independentes
Ganhar a vida,
Desenvolver uma carreira, 
Perseguir um objetivo ou meta desejados.
Coalizões
A organização, enquanto coalizão de pessoas que possuem interesses diferentes é uma coalizão com múltiplos objetivos.
A COMPREENSÃO DO CONFLITO
O conflito aparece sempre que os interesses colidem
O conflito pode ser: 
Pessoal, 
Interpessoal ou 
Entre grupos rivais e coalizões. 
Manobras políticas diariamente são utilizadas nas organizações visando equilibrar a cooperação e a competição no ambiente de trabalho
Surge quando os interesses entre os autores se colidem
Reação natural ao conflito na organização - comumente visto como uma força disfuncional
Organizações modernas e suas manobras políticas - Competição e Colaboração coexistem simultaneamente.
O USO DO PODER
O poder é o meio através do qual conflitos de interesse são resolvidos.
Influência quem consegue o que, quando e como.
Poder como recurso x poder como dependência
20
AUTORIDADE FORMAL
A mais clara fonte de poder numa organização é fundamentada por uma ou mais características.
Autoridade carismática
Autoridade tradicional
Autoridade Burocrática
21
CONTROLE SOBRE RECURSOS ESCASSOS
Toda organização depende de fluxo adequado de recursos.
Habilidade de exercer o controle sobre qualquer dos recursos pode favorecer importantes fontes de poder dentro da organização.
22
USO DA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL, REGRAS E REGULAMENTOS
Regras e regulamentos são criados e usados de maneiras tanto proativa como retroativa dentro de relações de poder.
A habilidade de usar regras para a vantagem de alguém é assim uma importante forma de poder organizacional.
23
CONTROLE DO PROCESSO DE TOMADA DE DECISÃO
A tomada de decisão organizacional envolve favorecer decisões que alguem realmente deseja.
O indivíduo e o grupo que agir de maneira clara na tomada de decisão tem o poder influéncia nos negócios da organização.
24
CONTROLE DO CONHECIMENTO E DA INFORMAÇÃO
Controlando esses recursos uma pessoa pode influenciar a definição das situações organizacionais e criar padrões de dependência.
Posse da informação certa.
25
CONTROLE DOS LIMITES
Ganha-se acesso a informações críticas que colocam a pessoa numa posição poderosa para interpretar aquilo que está acontecendo.
Monitorando e controlando as transações as pessoas são capazes de obter considerável poder.
26
HABILIDADE DE LIDAR COM INCERTEZA
A habilidade de lidar com situações descontinuas e imprevisíveis , podendo ser dois tipos de incertezas:
INCERTEZAS AMBIENTAIS: diz respeito ao mercado, fontes de matéria-prima ou financeira, por exemplo. 
INCERTEZAS OPERACIONAIS: quebra de maquinário crítico na produção de fábrica ou no processamento de dados, etc.
CONTROLE DE TECNOLOGIA 
A tecnologia utiliza da nas organizações provê aos seus usuários a habilidade de chegar a resultados desejados na atividade produtiva, fornecendo a eles também uma habilidade de manipular essa força produtiva e fazendo-a trabalhar eficazmente em favor dos objetivos dos próprios usuários.
 Alianças interpessoais, redes e controle da “organização informal”
Amigos altamente colocados , mentores, coalizões com pessoas preparadas para transacionar apoio e favores para promover os fins individuais das pessoas, bem como redes informais ou simples bate-papos, tudo isso