A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Transp Pepino

Pré-visualização | Página 1 de 1

UNIVERSDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE CIÊCIAS AGROVETERIÁRIAS – CAV
DISCIPLINA – OLERICULTURA II
PEPINO (Cucumis sativus L.)
O pepino é uma cucurbitácea cultivada e consumida em todo mundo.
É originária da Índia, de clima típico de monções.
É uma planta anual de caule herbáceo, rasteiro ou trepador, dependendo da presença ou não de um tutor.
As plantas apresentam crescimento de hábito indeterminado e rápido.
Na origem são plantas monóicas, com maior porção de flores masculinas (Acima de 20:1). As cultivares melhorados tem maior número de flores femininas, principalmente para a produção de picles.
Pode ser consumida “in natura” ou picles.
Após o tomate, é uma das hortaliças mais produzidas em abrigos (pepino Japonês e picles), apresentando altas produtividades (acima de 10 kg por m2).
Polinizada exclusivamente por insetos. Uma flor é visitada de 8 a 10 vezes por abelhas
Flores masculinas: Pedúnculo curto e em grupo 
Flores femininas: Isoladas nas axilas das folhas 
Caule: Internódios longos e finos, com gavinhas
Raízes: 
Crescem até dois metros lateralmente
São fasciculadas
98% estão até 30cm de profundidade.
Cultivares:
Grupo Aodai: Frutos longos e cilíndricos (até 25cm x 4 a 5cm de diâmetro)
Cerca de 10 frutas por planta, produzindo na haste principal.
O fruto é verde escuro, branco por dentro, com espinhos brancos. Possui três lóculos.
É a cultivar mais consumida no Brasil.
Winsconsin ( e híbridos F1): são plantas ginóicas, necessitam polinizador. Cultivados principalmente para conserva. Produz grande quantidade de frutos, tenros, de película fina, espinhos brancos, pelicula clara. Frutos colhidos entre 4 e 9 cm.
Cultivares mais recentes produzem vários frutos na mesma axila, com comportamento altamente reflorescente.
Grupo Caipira: Frutos de formato mais variável. Tende a ser de maior diâmetro do que o Aodai.
São Verdes Claros e mais doces que o Aodai.
Pode ser utilizado como picles.
Seu consumo é mais regionalizado, e geralmente tem baixo preço no mercado.
Clima:
Melhor crescimento com temperaturas médias a altaas.
Temperatura basal 12°C, melhor crescimento acima de 25°C
Fotoperiodo curto favorece a formação bem como temperaturas não muito elevadas e menor intensidade luminosa. Estas características são muito importantes para produção de pepino em conserva.
Solo:
Como a maioria das cucurbitáceas, exige solo mais leve devido ao sistema radicular.
pH ideal entre 5,5 e 6,5 
Recomendação de Adubação:
ROLAS: Teores máximos: 70 de N₂ (Kg/ha ) 
 100 de P2O5 (Kg/ha )
 100 de K2O (Kg/ha )
Com ½ do N no plantio e ½ no lançamento das guias.
Filgueira recomenda dividir a adubação de N em 3.
1/3 no plantio
1/3 no desbaste
1/3 no inicio da formação dos frutos
N em equilíbrio: Aumenta o número de flores terminais 
 Aumenta o pegamento de frutos novos
Exportação de nutrientes ( produção de 43,4t/ha Aodai) com 11.000 plantas/ha :
N 56 Kg 
K 86 Kg
P 11 Kg 
Mg 7 Kg
Ca 9 Kg
S 3 Kg
Propagação:
Mais comum é semeadura direta pois favorece o sistema radicular
1g de semente = 40 a 50 sementes. Gastam se mais ou menos 2kg por hectare 
Espaçamento: 
de 5000 a 80000 plantas/t/há
varia conforme o objetivo da produção e também se houver tutor.
Uso de Tutores:
facilita rotação com tomate/ feijão de vagem
variação de exigências de solo no caso de aproveitamento do tutor da cultura anterior.
Evita barriga branca
Produz mais (Aumenta área fotossintética)
Maior vantagem para o Aodai pois produz sempre na haste principal.
Colheita: 
Inicia entre 50 e 70 dias, conforme o objetivo da produção.
Aodai tutorado produz de 70 – 100 t/ha .
Caipira não Tutorado – mais ou menos 20t/ha 
Híbridos Ginóicos (região de Itajaí), tutorados em abrigos – 110t/ha