A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
As Protoformas do Serviço Social

Pré-visualização | Página 1 de 1

As Protoformas do Serviço Social
Protoformas são as instituições sociais que se mostram com origem confessional, prática da ajuda, caridade e solidariedade, impregnadas pela filosofia tomista e a serviço da classe dominante. As protoformas do Serviço Social brasileiro estão ligadas às instituições e obras desenvolvidas no âmbito da assistência.
"(...) o que se poderia considerar como protoformas do serviço social, como hoje é entendido, tem sua base nas obras e instituições que começam a 'brotar' após o fim da primeira guerra mundia." (Pág. 166)
Essas instituições ligadas a Igreja Católica se aproximam do que viria a ser o Serviço Social no Brasil. O Serviço Social como profissão passou a se situar no processo de reprodução das relações sociais, era visto como uma atividade auxiliar e subsidiaria no exercício do controle social. A função do serviço social era controlar as lutas sociais. 
As instituições que surgem neste período são a Associação das Senhoras Brasileiras (1920), no Rio de Janeiro, e a Liga das Senhoras Católicas (1923), em São Paulo. 
Elas possuíam colaboração a nível de estado que faziam com que elas fossem de maior proporção e tivessem uma maior eficiência nas obras assistencialistas. O surgimento dessas instituições é inserido na primeira fase da reação católica e na divulgação do pensamento social da igreja na formação do apostolado laico. Os objetivos não estavam ligados diretamente a ajuda de miseráveis, já estavam incorporando um caráter assistencialista preventivo de apostolado social.3
CEAS (Centro de Estudos e Ação Social de São Paulo) é considerado a manifestação original do Serviço Social no Brasil, surge em 1932 com o incentivo e sob o controle da classe dominante.
Ele irá aparecer por conta da necessidade sentida por setores da Ação Social e Ação Católica de tornar mais efetiva e dar maior rendimento para as iniciativas e obras promovidas pela classe dominante paulista. 
Oficialmente seu início se dá a partir do "Curso Intensivo de Formação Social para Moças".
O objetivo central do CEAS era promover a formação de seus membros pelo estudo da doutrina social da Igreja e aprofundar os conhecimentos dos problemas sociais.
Quando o curso é encerrado, um apelo é feito para a organização de uma ação social visando atender o bem-estar da sociedade.