A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
paper seminario da pratica ii  EDUCAÇÃO E SOCIEDADE

Pré-visualização | Página 2 de 4

fundamental importância para o desempenho escolar e social das crianças. O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), no seu artigo 4º discorre: 
É dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do Poder Público assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária. (BRASIL, 1990)
WALLON, (1975) afirma que:
‘’tanto os pais como professores devem ter claro que a afetividade, é construída a partir da qualidade das relações que a criança estabelece e é determinante para a construção da personalidade. ’’
Ressalta-se que mesmo tendo objetivos em comum, cada uma deve fazer sua parte para que atinja o caminho do sucesso, que visa conduzir crianças e jovens a um futuro melhor. O ideal é que família e escola tracem as mesmas metas de forma simultânea, propiciando ao aluno uma segurança na aprendizagem de forma que venha criar cidadãos críticos capazes de enfrentar a complexidade de situações que surgem na sociedade.
A escola não funciona isoladamente, é preciso que cada um, dentro da sua função, trabalhe buscando atingir uma construção coletiva, contribuindo assim para a melhoria do desempenho escolar das crianças.
2.1 A FUNÇÃO DA ESCOLA
A escola é uma instituição com papel essencial na sociedade. O compromisso da escola em nossas vidas vai além de somente ensinar conteúdos de matemática, português, história e intermediar a entrada no vestibular. A escola traz junto de seus objetivos a formação do caráter, valores e princípios morais, que direcionará o aluno a utilizar os conhecimentos aprendidos de maneira eficaz, para que sejam aplicados em favor da sociedade e de uma realidade melhor para todos.
A escola, em sua função social, tem um olhar constante voltado à sociedade, conectando seu saber com a prática cotidiana do aluno, preparando-o para o exercício profissional. A experiência de vivenciar as situações de aprendizagem ensina o convívio em grupo, indispensável para a vida e o trabalho. (Grispino, 2013, P. 49)
É na escola que a criança começa a conviver com o diferente. Entra em contato com crianças de diversas raízes e passa a respeitar e aprender com as diferenças. Cria o primeiro círculo de amigos e percebe-se parte de uma situação coletiva, aprendendo, assim, a dialogar, ouvir, discutir, levantar hipóteses e achar soluções.
Esse é o perfil da Rede Integral, que tem a escola como lugar de crescimento intelectual e também pessoal, que formará cidadãos de bom caráter, capazes de adentrar a sociedade com uma formação acadêmica de qualidade.
2.2 A FUNÇÃO DA FAMILIA
A família surge no ambiente escolar como uma aliada em busca da aprendizagem. Para isso, a comunicação direta com os responsáveis, o fornecimento de informações relevantes, as reuniões e demonstrações de práticas pedagógicas para que eles conheçam e participem são essenciais. Tudo isso deixando claro para a família que a escola não é a única responsável pela educação da criança e sim colabora com uma parcela significativa desse processo 
O dever da família com o processo de escolaridade e a importância de sua presença no contexto escolar também é reconhecida publicamente através da Lei de Diretrizes e Bases da Educação, que traz em seu artigo 1º o seguinte discurso:
A educação abrange os processos formativos que se desenvolvem na vida familiar, na convivência humana, no trabalho, nas instituições de ensino e pesquisa, nos movimentos sociais e organizações da sociedade civil e nas manifestações culturais. (BRASIL, 1996,). 
 
É função da família ter tempo para se dedicar à criança e ser exemplo de comportamento. Respeito, amor, disciplina, gratidão dentre outros sentimentos e atitudes são coisas que se aprende dentro de casa. É no lar também que a criança precisa aprender a receber um “não” e a notar que nem tudo é da maneira que ela quer. Tudo isso é essencial para um bom convívio e melhor aproveitamento escolar.
Além disso, é a família que ajuda a criança a se descobrir para tudo isso, o diálogo entre pais, instituição, educadores e é claro, estudantes, é essencial. Os responsáveis precisam saber o que está sendo feito pela escola, como algo novo está sendo ensinado, o porquê das opções da escola. Precisam também ter acesso ao boletim, as faltas, a entrega de tarefas e aos demais informativos que por ventura se façam necessários, com mais facilidade.
“ Quando o assunto é participação familiar na escola, isso pode ser facilmente confundido com os pais auxiliando nas atividades pedagógicas das crianças, mas não é apenas isso. ’’ É necessário a participação numa perspectiva de gestão democrática, na qual as famílias participam da tomada de decisões referentes à escola como um todo e não apenas no acompanhamento do desenvolvimento intelectual dos alunos, é de extrema importância. (HEINECK, 2016, p. 41)
A escola deve também, exercer sua função educativa junto aos pais, discutindo, informando, orientando sobre os mais variados assuntos, para que em reciprocidade, escola e família possam proporcionar um bom desempenho escolar e social às crianças. Pois,
 [...] e toda pessoa tem direito à educação, é evidente que os pais também possuem o direito de serem senão educados, ao menos, informados no tocante à melhor educação a ser proporcionada a seus filhos. (PIAGET, 2007, p. 50)
A parceria com a família é uma ponte para a relação entre escola e comunidade. Muitos alunos moram no bairro, por isso, a participação das famílias abre as portas da escola para a população. É importante que os pais e responsáveis sintam-se acolhidos pela equipe pedagógica e tenham canais de comunicação efetivos com a escola. 
Eles devem ser incluídos não só quando for preciso resolver alguma questão do aluno, mas em diversos momentos da rotina escolar.
Quando as famílias têm uma imagem positiva da escola, elas expressam isso nas suas relações pessoais e sociais. Ao participarem do cotidiano escolar, os pais podem falar sobre isso no bairro e construir novas parcerias entre a gestão e a comunidade.
3.1 PROJETOS PEDAGOGICOS QUE ENVOLVEM A COMUNIDADE
O apoio às causas sociais do bairro pode se dar através da inserção dos temas no planejamento das professoras. A educação na escola infantil precisa considerar a cultura e a história das crianças. A cidade e o bairro onde elas nasceram e vivem faz parte da vida delas, portanto, as professoras podem incluir esses aspectos ao � HYPERLINK "http://educacaoinfantil.aix.com.br/como-fazer-um-planejamento-escolar-eficiente-para-pequenas-escolas-infantis/" �planejar suas práticas pedagógicas�.
Por meio da execução de projetos é possível enriquecer a aprendizagem das crianças e ainda estimular a relação entre escola e comunidade. Quando for abordada a história do bairro, por exemplo, podem ser realizadas entrevistas com figuras importantes para a comunidade.
3.2 CAMPANHAS INFORMATIVAS
A escola pode fazer a diferença no bairro, sendo um canal de compartilhamento de informações importantes. As paredes do prédio podem ser usadas para afixar materiais de campanhas de saúde, educação e outros assuntos relevantes. As famílias que tiverem acesso aos cartazes atuam na divulgação das informações pela comunidade.
Além disso, a escola pode criar uma página nas redes sociais e divulgá-la como um canal de comunicação entre a equipe pedagógica, as famílias e os moradores do bairro. A comunidade também pode ser convidada para divulgar seus projetos ou necessidades na escola, em uma relação de diálogo e parceria.
3.3 EVENTOS DA ESCOLA COM A FAMILIA
Para que exista uma verdadeira relação entre escola e comunidade, o espaço escolar pode ser um lugar de convivência no bairro. Abrir os portões para a participação dos moradores nos eventos escolares é uma ação bastante positiva.
A equipe

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.