Resenha Cap 01 desenvolvimento Humano
3 pág.

Resenha Cap 01 desenvolvimento Humano


DisciplinaPsicologia do Desenvolvimento – Infância e Adolescência108 materiais3.073 seguidores
Pré-visualização1 página
FACULDADES INTEGRADAS DE CACOAL - UNESC
CURSO: BACHARELADO EM PSICOLOGIA
DISCIPLINA: PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
PROFª: CARINA BARBOSA BUSSOLO 
ALUNA: RENATA MICAELE DE S. SODRÉ
1º PERÍODO, NOTURNO.
RESENHA: DESENVOLVIMENTO HUMANO , PAPALIA E FELDMAN
CAPÍTULO 01, O ESTUDO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO
Diane E. Papalia é professora universitária de Wisconsin-Madison. Cursou psicologia, tem mestrado em desenvolvimento infantil e doutorado em Psicologia do desenvolvimento do ciclo de vida. Seus estudos se voltam para a inteligencia na velhice e os fatores que contribuem para a conservação das atividades intelectuais na terceira idade.
Ruth Duskin Feldman é ex professora do ensino médio, desenvolveu materiais educativos para o ensino fundamental até universitário. Seu foco é educação e crianças superdotadas.
O primeiro capítulo do livro, o desenvolvimento humano, aborda a ordem cronologica do desenvolvimento humano, estuda científicamente os processos de mudanças recorrentes e a estabilidade que se dá a cada índividuo.Os resultados das pesquisas feitas são utilizados e aplicados na educação, criação e saúde. É um ótimo livro por trazer estudos evidênciados de forma fácil de se compreender, a cada explicação dada ele traz exemplos cotidianos que ajuda na compreensão, não tem faixa etária especifica para a leitura do livro, pois o assunto é de grande fundamento para todos os públicos, mas há uma certa utilidade maior, voltada para o uso de quem se interessa pela psicologia social. ou mães que gostariam de entender melhor o processo psicossicial de seus filhos. 
São estudados três principais domínios: Físico, Cognitivo e Psicossocial. as divisões destes dominios é que compõem a construção social das pessoas, nota-se que o fim da infância e adolescencia, é ditado através da cultura ou país em que ela vive, um dos exemplos citados pelas autoras são os jovens dos EUA no séxulo XX que era considerados crianças até deixarem a escola, casarem ou arranjarem um emprego. Os cientistas determinam que há necessidade de certas tarefas serem executadas para que haja um desenvolvimento comum.
Há uma questão abordada no livro bastante interessante, O QUE TORNA CADA INDIVÍDUO ÚNICO? Pode se começar respondendo essa pergunta, por diferenças visíveis, ou seja, diferenças físicas, como: altura, raça, peso. Depois passa-se para o lado biológico e por fim caracteristicas, que não podem ser vistas, como a personalidade, temperamento e reações emocionais, níveis socioeconômicos, núcleo familiar. Nota-se que com o passar dos anos, a familia não é mais formada por um pai mais velho que trabalha e uma mãe que cuida da casa e dos filhos, a construção das familias estão cada vez mais modificadas, há crianças que tem pais homoafetivo, outras famílias optam por terem filhos caninos, outros por morarem em casas diferentes mesmo sendo casados, porém essa diversificação de modos em que cada um vive, não deixam de ser considerados, formação de familia.
E por ultimo as autoras trazem a compreensão das influências normativas e não-normativa.
As normativas são reguladas pela faixa etária, pode-se dizer que são fenomenos que acontecem de acordo com cada idade, um exemplo do mesmo usado no livro é "as pessoas não passam pela puberdade aos 35 anos ou da menopausa aos 12". Ou acontecimentos que possam ocorrer como atingindo todo o âmbito familiar, e ou país em que habitam, experiências ruins vividas em uma Guerra Mundial, ou crise financeira do país em que vivem, como a que está ocorrendo na Venezuela.
E as não-normativas, são eventos incomuns e individuais que acontecem na vida de cada individuo e possam pertubar a cronologia esperada no ciclo vital ,como algum acidente sofrido quando criança ou a perca de um dos pais na infância, uma gravidez na adolescenci inesperada, ou seja, fenomenos que são comuns perante a sociedade, mas acontecem de forma inesperada, num momento incomum da vida das pessoas. Também há aqueles que ocorrem de acordo com a opção de vida de cada índivuduo como a idade com que eles se casam e constituem sua familia.