HÉRNIA DE DISCO
24 pág.

HÉRNIA DE DISCO


DisciplinaNeurocirurgia69 materiais627 seguidores
Pré-visualização1 página
Disciplina: Neurocirurgia - Clínica Integrada IV 
Docente: Hallison Yoshinari Ferreira da Cruz 
Discentes:Isadora Gonçalves, Laís Magnino e Sofia Moura
HÉRNIA DE DISCO
ANATOMIA
Mobilidade e ligamento
Absorção de impacto
Placa cartilaginosa (cart.hialina)
Anel Fibroso 
(tec.conj.denso+fibrocartilagem)
Núcleo pulposo
(fibras soltas em líquido viçoso 
rico em ác. hialurônico+colágeno)
DEFINIÇÃO
\u2192Ruptura do anel fibroso com subsequente deslocamento de massa central
\u2192Pode comprimir raízes nervosas ou medula
\u2192 Protusa (fissuras das fibras internas)
 Extrusa (contida pelo lig.longitudinal post.)
 Sequestrada (dentro do canal)	
EPIDEMIOLOGIA
\u2192 acomete entre 13 e 40% das pessoas ao longo da vida
\u2192 \u2154 das hérnias tem reabsorção espontânea
\u2192 pico de incidência \u2192 50-60 anos de idade
\u2192 predomina em lombar, 80% em L4/5 e L5/S1
\u2192 principal motivo de recebimento de auxílio doença, além de 3ª causa de aposentadoria por invalidez no país
EPIDEMIOLOGIA
\u2192 DADOS BASEADOS EM: estudo de caráter descritivo, transversal e observacional, de análise de RM de indivíduos encaminhados com provável diagnóstico de HD. ³
\u2192 MÉDIA DE IDADE: 50,22
\u2192 > PREVALÊNCIA SEXO MASCULINO
\u2192 M. IMC: 27.5
\u2192 81,71% hérnia lombar, 18.28% hérnia cervical
\u2192 PROFISSÃO: serviços gerais, jornada > 6h diárias, renda < 1 salário mínimo
\u2192 Conclusão: idade >39, peso, homens mais acometidos, profissão.
QUADRO CLÍNICO
caráter multifatorial 
sintomas característicos dos locais específicos de compressão ou irritação nervosa
dor intensa com irradiação para o membro cuja raiz nervosa é afetada
dependem da localização, do tamanho, do tipo e do grau de envolvimento radicular
A compressão pode gerar hipoestesia, hiporreflexia e fraqueza muscular correspondente ao nível comprometido!
QUADRO CLÍNICO
HÉRNIA LOMBAR
entre L4 e L5 / L5 e S1
Lateral \uf0e0 raiz correspondente
Dorsal \uf0e0 raiz seguinte
LOMBALGIA \u2192 LOMBOCIATALGIA \u2192 CIATALGIA 
A dor radicular\u2192 ataques repetitivos de dor localizada, aguda, súbita, podendo irradiar-se ao longo da distribuição inteira da raiz envolvida ou afetar somente uma parte desta raiz
Os sintomas acentuam-se com o esforço, aliviada por curtos períodos de repouso \u2192 posição semi-fowler 
HÉRNIA CERVICAL
cervicobraquialgia distribuída pelo dermátomo correspondente à raiz nervosa.
contratura da musculatura paravertebral. 
agravamento do quadro ao acordar
C7 \uf0e0 parestesia segundo e terceiro dedos das mãos + fraqueza extensão do antebraço + hiporreflexia tricipital 
C5/C6 \uf0e0 bicipital
Fatores predisponentes
a herança genética
 o envelhecimento natural dos discos vertebrais 
sedentarismo
Tabagismo
excesso de peso
má postura ao transportar cargas 
prática de movimentos incorretos
Prevenção 
manter a postura ereta
transportar carga junto ao corpo
evitar torções da coluna
corrigir a postura no trabalho
uso de sapatos confortáveis
perder peso
praticar atividades físicas
fazer alongamentos e aquecimento antes de fazer qualquer esforço com a coluna
DIAGNÓSTICO
\u2192 CLÍNICO: sintomas característicos dos locais específicos de compressão ou irritação nervosa (dor, fraqueza muscular, parestesia e/ou paresia)
\u2192 Anamnese e Exame Físico
\u2192 IMC, ocupação, sedentarismo
\u2192 Inspeção, palpação, reflexos, mobilidade, força, amplitude de movimentos
DIAGNÓSTICO
\u2192 Manobra de Spurling\u2192 flexão lateral da cabeça do paciente, onde o examinador força uma pressão sobre o topo da cabeça, sendo considerado positivo quando provoca aumento dos sintomas radiculares.
DIAGNÓSTICO
\u2192 Teste de Elevação do Membro Inferior, realizado por meio de elevação passiva do membro inferior com o joelho em extensão, avalia a tensão do nervo ciático, que geralmente ocorre entre os 35º e 70º da flexão do quadril.
DIAGNÓSTICO
\u2192 Patrick ou Fabere: paciente em posição supina, com o quadril e o joelho flexionados, e o pé apoiado sobre o joelho contralateral. O examinador fixa a pelve com uma das mãos e, ao mesmo tempo, com a outra mão, exerce pressão sobre o membro. Consideramos positivo causa ou intensifica a dor.
DIAGNÓSTICO
\u2192 Exame de imagem somente para pacientes com sinais e sintomas de déficit neurológico severo, alguma doença de base, ou para quem realizou tratamento conservador e permaneceu sintomáticos. 
\u2192A TC nos permite visualizar a coluna em mais de uma dimensão, e torna o canal medular mais visível, entretanto expõe o paciente a altos níveis de radiação. 
\u2192 PADRÃO-OURO: RM é o melhor método para avaliar o disco intervertebral, e mais específico dentre os utilizados: nervos, vasos, ligamentos, medula espinhal \u2192 permite um estudo cirúrgico de compressões nervosas, níveis de desgastes e presença tumores.
TRATAMENTO
\u2192Princípio: Proporcionar repouso ao disco e evitar sobrecarga mecânica
\u2192Finalidade: alívio da dor
recuperação neurológica
aumento da capacidade funcional
\u2192Conservador x cirúrgico
TRATAMENTO CONSERVADOR
\u2192Primeira escolha
\u2192Caráter benigno \u2192 60-90% resolução espontânea em 6-12 semanas
\u2192Medicamentoso: AINE\u2019s (analgésico e anti-inflamatórios)
 Relaxantes musculares (manejos de espasmos e dor)
 Corticosteróides
 Opióides (curto prazo)
\u2192Outros: repouso,fisioterapia, exercício físico, mudança de hábitos físicos
\u2192Bloqueio da raiz com anestésico local e corticosteróide
TRATAMENTO CIRÚRGICO
\u2192Pré-operatório: discutir riscos e benefícios com o paciente
\u2192Cirurgia: 
Alívio rápido dos sintomas
 Remoção total ou parcial do disco herniado
HÉRNIA LOMBAR
\u2192Indicações:
-Absolutas: síndrome da cauda equina ou parestesia importante
-Relativa: ciatalgia não responsiva ao tratamento conservador (pelo menos 6 semanas), déficit motor superior a grau 3, dor radicular associada a estenose óssea foraminal
\u2192Abordagens:
-Microdiscectomia: incisão dorsal, hemilaminectomia, remoção do fragmento de disco
-Discectomia aberta tradicional
-Técnicas minimamente invasivas: nucleotomia manual percutânea, discectomia a laser, discectomia endoscópica, etc
HÉRNIA CERVICAL
*Benefício não comprovado
\u2192Indicações: 
-Sinais e sintomas de radiculopatia cervical; 
-Evidência de compressão de raiz nervosa cervical em exame de imagem que explique os sinais e sintomas clínicos; 
-Persistência da dor radicular apesar de tratamento conservador por 6-12 semanas ou déficit motor progressivo com prejuízo funcional.
\u2192Abordagens:
-Discectomia Cervical Anterior com Fusão
-Foraminotomia Cervical Posterior
PÓS-OPERATÓRIO
\u2192Fisioterapia
\u2192Não é necessário restringir atividades
\u2192Segmento:
Tempo médio de 2 anos
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
Fernandes RCP, Carvalho FM. Doença Do Disco Intervertebral Em Trabalhadores Da Perfuração De Petróleo. Cad. Saúde Publ. 2000; 16(3): 661- 669.
Nascimento PRC; Costa LOP. Prevalência da dor lombar no Brasil: uma revisão sistemática. Cad. Saúde Pública. 2015 Jun;31( 6 ): 1141-56.
Garcia DKM, Vasconcelos TB, Cardoso ARNR, Marcena RHM, Souza CAPB, , Bastos VPD. Análise Epidemiológica dos Indivíduos com Hérnias Discais Avaliadas pelo Método de Ressonância Magnética J Health Biol Sci. 2018 Jan-Mar; 6(1):23-27.
Tratado de técnica operatória em neurocirurgia / editores Paulo Henrique Pires de Aguiar [et al.] . \u2013 São Paulo : Editora Atheneu, 2009.
Helfenstein Júnior M, Goldenfum MA, Siena C. Lombalgia ocupacional. Rev. Assoc. Med. Bras. São Paulo. 2010;56(5). 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
Lord MJ, Small JM, Dinsay JM, Watkins RG. Lumbar lordosis effects of sitting and standing. Spine. 1997;22(21):2571-4. 
Santos M. Hérnia de Disco: uma revisão clínica, fisiológica e preventiva. Revista digital. Buenos Aires. 2003;65.