SIMULADO DE DIREITO PENAL BÁSICO GABARITADO EM PDF
8 pág.

SIMULADO DE DIREITO PENAL BÁSICO GABARITADO EM PDF


DisciplinaDireito Penal I56.812 materiais958.358 seguidores
Pré-visualização4 páginas
SIMULADO DE DIREITO PENAL BÁSICO \u2013 PROF. JORGE DÓRIA \u2013 ESTÁCIO DE SÁ 
 
Assinale uma única opção mais acertada: 
 
1) \u201cNenhuma pena passará da pessoa do condenado\u201d. Isso quer dizer que a responsabilidade penal e que a condenação penal supõem a 
\u201cculpabilidade do agente\u201d Falamos do..... 
(a) Princípio da Legalidade Estrita; 
(b) Princípio da Culpabilidade:* 
(c) Princípio da Lesividade; 
(d) Princípio da Inocência Presumida; 
(e) Princípio da Intervenção Estatal Penal Individual. 
 
2) \u201cNão há delito sem tipo\u201d ou quando se afirma a tipicidade como \u201celemento geral do conceito de ação\u201d, outra coisa não se faz senão concretizar 
e traduzir, em termos sistemáticos, as exigências materiais derivadas do... 
(a) Princípio da Legalidade e Tipicidade;* 
(b) Princípio da Culpabilidade: 
(c) Princípio da Lesividade; 
(d) Princípio da Inocência Presumida; 
(e) Princípio da Tipicidade;. 
 
3) Indique o princípio que permite na maior parte excluir desde logo dano de pouca importância, configurando um crime de bagatela. . 
(a) Princípio da Legalidade Estrita; 
(b) Princípio da Culpabilidade: 
(c) Princípio da Insignificância;* 
(d) Princípio da Inocência Presumida; 
(e) Princípio da Intervenção Estatal Penal Individual. 
 
4) A \u201cLEX MITIOR\u201d 
 
a) Cuida-se da hipótese de lei penal mais benigna. Esta deve ser entendida como a que amplia, de outro modo, 
o âmbito de licitude penal, quer reduzindo quantitativamente, ou mudando qualitativamente a pena cominada, 
quer criando situações que favoreçam o direito de liberdade do agente;* 
b) Cuida-se da hipótese de lei penal menos benigna. Esta deve ser entendida como a que sempre ampliará 
negativamente o âmbito de licitude penal, prejudicando o direito de liberdade do agente; 
c) Cuida-se da hipótese de lei penal mais benigna. Esta deve ser entendida como a que amplia, de outro modo, o 
âmbito de licitude penal, somente reduzindo quantitativamente, situações que favoreçam o direito de liberdade do 
agente; 
d) Cuida-se da hipótese de lei penal mais ou menos benigna. Esta deve ser entendida como a que amplia, de outro 
modo, o âmbito de licitude penal, quer reduzindo quantitativamente, ou mudando qualitativamente a pena cominada, 
quer criando situações que favoreçam o direito de liberdade do agente; 
e) N.R.A. 
 
5a) Indique o item correto sobre a obediência estrita ao princípio \u201ctempus regit actum\u201d 
 
a) Se o agente pratica um fato criminoso na vigência da lei X, mais benigna, e, no transcorrer da ação penal surge a lei Y, mais severa, o 
caso deve ser apreciado sob a eficácia da antiga, em face da exigência de não recair, sobre ele, uma valoração mais grave que a 
existente no momento da conduta delituosa. * 
b) Se o agente pratica um fato criminoso na vigência da lei X, mais benigna, e, no transcorrer da ação penal surge a lei Y, mais severa, o caso 
deve ser apreciado sob a eficácia da lei mais nova, em face da exigência de recair, sobre ele, uma valoração mais grave que a existente no 
momento da conduta delituosa, eis que ainda não houve sentença transitada em julgado. 
c) Se o agente pratica um fato criminoso na vigência da lei X, mais benigna, e, no transcorrer da ação penal surge a lei Y, mais severa, o caso 
deve ser apreciado sob a eficácia de uma outra lei específica a ser criada para dirimir aquele episódio; 
d) Se o agente pratica um fato criminoso na vigência da lei X, mais benigna, e, no transcorrer da ação penal surge a lei Y, mais severa, o caso 
deve ser apreciado sob a eficácia da lei mais nova, ainda que prejudicial, para que a sociedade aprecie o sentimento de punição 
contemporânea; 
 
 
6a) Se o acusado pratica um crime permanente sob o império de duas leis, sendo mais grave a posterior... 
 
A) Aplica-se a velha disciplina penal ao crime, ainda que haja persistência na prática da ação delituosa; 
B) Aplica-se a nova disciplina penal ao crime, face a persistência na prática da ação delituosa;* 
C) Aplica-se a velha disciplina penal ao crime, porque nos crimes permanentes o resultado somente se verifica quando esgotados os 
atos de execução; 
D) Aplica-se a velha disciplina penal ao crime, porque não existe o estigma do crime permanente. 
 
7a) Mostra-se evidente que jamais caberá ao juiz da execução, aplicando a lex mitior, modificar o que ficou soberanamente julgado, no processo de 
conhecimento, que se encerra com a decisão final e permite se inicie o processo de execução da pena. Assim, aponte o único meio adequado para 
aplicação da lei nova penal mais benigna: 
 
a) Mandado de Segurança; 
b) Apelação; 
c) Revisão Criminal;* 
d) Habeas Corpus. 
 
8a) Leis atentamente os quesitos para depois marcar a expressão correta: 
 
I \u2013 Lei temporária é a que se caracteriza pela expressa determinação de seu tempo de vigência; 
II \u2013 Lei excepcional é a que atende a transitórias necessidades estatais, surgidas em face de situações anormais, tais como as de calamidade pública, 
epidemias, guerra; 
III \u2013 As duas opções acima estão absolutamente corretas, mas faltou dizer que ambas são dotadas de ultratividade; 
IV \u2013 As três expressões acima são contraditórias, mesmo porque tanto a lei temporária quanto a lei excepcional são dotadas de auto-revogação; 
 
a) Todas as itens são verdadeiros; 
b) Os três primeiros itens são verdadeiros e o quarto item é falso;* 
c) O item IV é o único verdadeiro; 
d) Todos os itens são falsos. 
 
9a) O momento do crime é o da ação ou o da omissão, ainda que outro seja o momento do resultado. Tratamos da... 
 
a) Teoria da Atividade;* 
b) Teoria da Conduta; 
c) Teoria do Crime; 
d) Teoria do Resultado. 
 
10a) Processar e julgar os crimes comuns praticados, em tese, no interior de navio de grande cabotagem, autorizado e apto a realizar viagens 
internacionais, compete... 
 
a) a justiça estadual; 
b) ao tribunal marítimo; 
c) a justiça federal;* 
d) a O.N.U.; 
 
11a) Na realização do crime, quando o resultado no mundo exterior corresponde perfeitamente à intenção e vontade do agente, melhor dizendo, o 
objetivo por ele representado e a direção da vontade se coadunam com o resultado do fato praticado, diríamos que o crime foi praticado com... 
 
a) dolo indireto ou indeterminado; 
b) dolo direto ou determinado; * 
c) dolo eventual; 
d) dolo intenso; 
 
12a) Em se tratando do termo inicial dos prazos em geral o artigo 10 do Código Penal: 
 
a) Determina a exclusão do dia do começo; de outro lado, dispondo que os dias, meses e anos são contados pelo calendário comum, o prazo de 
um mês é contado de determinado dia, à véspera do mesmo dia do mês subsequente, e o de um ano é contado de certo dia do mês à véspera 
do dia idêntico daquele mês do ano seguinte; 
b) Determina a inclusão do dia do começo; de outro lado, dispondo que os dias, meses e anos são contados pelo calendário comum, o prazo de 
um mês é contado de determinado dia, à antevéspera do mesmo dia do mês subsequente, e o de um ano é contado de certo dia do mês à 
véspera do dia idêntico daquele mês do ano seguinte; 
c) Determina a inclusão do dia do começo; de outro lado, dispondo que os dias, meses e anos são contados pelo calendário comum, o 
prazo de um mês é contado de determinado dia, à véspera do mesmo dia do mês subsequente, e o de um ano é contado de certo dia 
do mês à véspera do dia idêntico daquele mês do ano seguinte;* 
d) Determina a inclusão do dia do começo e do dia derradeiro; de outro lado, dispondo que os dias, meses e anos são contados pelo calendário 
gregoriano, o prazo de um mês é contado de determinado dia, à véspera do mesmo dia do mês subsequente, e o de um ano é contado de 
certo dia do mês à véspera do dia idêntico daquele mês do ano seguinte; 
 
13a) Assinale o única item incorreto: 
 
a) Há crime ainda que não haja relação de causalidade entre a conduta e o resultado;* 
b) Efetivamente, toda condição, em cuja ausência o evento