UNIVERSIDADE PAULISTA - POSTAGEM 2 INDICIPLINA ESCOLAR
10 pág.

UNIVERSIDADE PAULISTA - POSTAGEM 2 INDICIPLINA ESCOLAR

Pré-visualização2 páginas
4		
			
UNIVERSIDADE PAULISTA
LICENCIATURA EM PEDAGOGIA
PROJETOS E PRÁTICAS DE AÇÃO PEDAGÓGICA \u2013 
SUPERVISÃO ESCOLAR E ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL
POSTAGEM 2: ATIVIDADE 2 
PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA
A INDISCIPLINA ESCOLAR
São Paulo
2019
A INDISCIPLINA ESCOLAR
Trabalho apresentado ao curso de Pedagogia da Universidade Paulista, para obtenção de nota da disciplina Projetos e Práticas de Ação Pedagógica sob a orientação Prof.. 
São Paulo
2019
SUMÁRIO
TEMA	.........................................................................................................	4
SITUAÇÃO PROBLEMA	.........................................................................	4
JUSTIFICATIVA E EMBASAMENTO TEÓRICO	.........................................	4
PÚBLICO ALVO	...................................................................................	6
OBJETIVO GERAL	...................................................................................	7
Objetivos Específicos	...................................................................................	7
PERCURSO METODOLÓGICO	..............................................................	7
RECURSOS 	..............................................................................................	8
CRONOGRAMA	...................................................................................	8
AVALIAÇÃO	..............................................................................................	9
PRODUTO FINAL	...................................................................................	9
REFERÊNCIAS	..............................................................................................	10
TEMA:
O tema \u201cCombatendo a Indisciplina e a Violência Escolar\u201d surgiu a partir de pesquisas realizadas que apontaram um crescimento assustador de casos de violência dentro das escolas e no número de agressões que os profissionais da educação como gestores e professores vêm sofrendo diariamente no exercício de seus ofícios.
Ao analisarmos esses dados, percebemos que é extremamente importante conhecermos o foco gerador da indisciplina escolar e buscarmos ferramentas e mecanismos que possam auxiliar esses profissionais e alunos a desenvolverem e exercerem efetivamente seus papéis de forma plena e digna.
SITUAÇÃO PROBLEMA:
 
Ao pesquisar a indisciplina dentro do contexto escolar, percebemos que é um problema bem comum e que tem afetado negativamente a vida e a carreira de muitos profissionais da educação, pois tem sido grande o número desses profissionais que tem o seu psicológico afetado e por diversas vezes são afastados de suas funções por conta dos males causados pela violência, pela indisciplina dos alunos e pelo não cumprimento das regras e combinados pré-estabelecidos.
Para que haja mudanças efetivas nesse cenário, é necessária uma busca de estratégias, com projetos de intervenção bem elaborados e consistentes, que possam refletir as causas, as consequências e a contribuição de cada parte no surgimento desse problema. Daí a importância do envolvimento e interação entre pais, alunos, professores, equipe pedagógica e a família.
JUSTIFICATIVA E EMBASAMENTO TEÓRICO:
O ambiente escolar deveria ser um espaço de ensino e aprendizagem, no entanto, os profissionais da educação como os professores e gestores têm enfrentado um grande problema que é a violência que sofrem diariamente no exercício de seu ofício causado pela falta de disciplina dos alunos. Como diz Aquino (1996, p. 09) \u201cHá muito tempo os distúrbios disciplinares deixaram de ser um evento esporádico e particular no cotidiano das escolas brasileiras, para se tornarem um dos maiores obstáculos pedagógicos dos dias atuais\u201d. Ele quis dizer que a violência dentro das escolas é algo que está cada vez mais comum e virou um grande, se não o maior o problema a ser superado pela equipe pedagógica das escolas.
A palavra indisciplina segundo o dicionário Aurélio significa falta de disciplina, desobediência, insubordinação, rebeldia. Mas o que causa essa rebeldia, essa desobediência? . 
Para chegarmos às causas que levam os alunos a terem um comportamento rebelde e indisciplinado é necessário analisar algumas questões como, por exemplo, a história de vida, a realidade social dos alunos, da escola e da família. \u201cOs comportamentos inadequados, muitas vezes, são clamores que imploram a presença, o carinho e a atenção dos pais\u201d (CURY, 2003, P. 43-44). Muitas vezes algumas manifestações de indisciplina dos alunos nada mais é que uma tentativa de se fazer ouvir, de se mostrar para o mundo, de tentar expressar seus sentimentos.
O comportamento negativo dos alunos tem afetado o seu rendimento escolar como cita Blasé (1987) \u201cquebrar as normas da sala de aula e da escola, interfere altamente no processo pedagógico, além de afetar a aprendizagem do aluno, tira o tempo útil do professor, comprometendo o seu desempenho escolar e obrigando-o a desempenhar papéis que ele não gostaria de fazer\u201d. O tempo que se perde tendo que mediar/resolver os conflitos gerados pela indisciplina poderia ser investido em conteúdos, porém só resulta em desgaste entre alunos/professores causados pela tensão e desordem geradas por essas atitudes negativas e essa situação acaba trazendo prejuízo a todos.
Quando a escola analisa o comportamento indisciplinado de um aluno a culpa sempre recai sobre a família, sobre a situação social ou algum problema de ordem psicológica. É bem verdade que essas questões precisam e devem ser analisadas, pois muitos pais, por falta de tempo ou pelas dificuldades encontradas para educar estão deixando de dar atenção devida a seus filhos e tem deixado somente a cargo da escola essa responsabilidade. Mas os educadores e o corpo pedagógico da escola também precisam avaliar e repensar seus métodos de ensino como explica Vasconcellos (1996, p.17): \u201cUm dos causadores do enfrentamento da problemática disciplinar é que o educador não dispõe de uma concepção, de um método, de uma ferramenta eficiente. De um modo geral está marcado pela concepção idealista: tem uma série de ideias bonitas sobre disciplina, mas não sabe por que não se consegue colocar em prática. Para isso, concorrem a falta de análise dos determinantes, a falta de clareza de mediações concretas, bem como a falta de interação dessas três dimensões básicas.\u201d
A indisciplina, a insubordinação dos alunos se deve principalmente pela falta de rotina e pela falta de um plano de ensino consistente, com processos de aprendizagem adequados à realidade desses alunos, bem como pela falta de estrutura em relação a espaços físicos adequados para a prática de esportes e recreação; logo, por não terem lugares apropriados para extravasar essa energia, eles acabam usando de forma equivocada o espaço das salas de aulas. 
Segundo Antunes (2002a, p.25) \u201censinar não é fácil e educar mais difícil ainda; mas não ensina quem não constrói democraticamente as linhas do que é e do que não é nítido\u201d. Lidar com esse tipo de problema é bem mais difícil do que se possa imaginar, porque é uma situação que não pode ser resolvida com repressão, com castigo ou simplesmente punição; pois essa postura repressora acaba gerando sentimento de rebeldia e revolta, levando esses alunos a desafiarem muito mais e a perderem o equilíbrio.
Gestores e professores precisam entender que é necessária uma busca constante de aperfeiçoamento através de palestras, cursos e métodos de ensino variados, assim como outros suportes de ajuda; sempre respeitando o tempo, o ritmo, o histórico familiar e valorizando a bagagem de conhecimento desse aluno. 
Conhecendo as causas do problema é possível definir as estratégias para que a escola exerça um papel significativo na educação, envolvendo os alunos nos processos e atividade; incentivando e coordenando processos educativos democráticos, criando ambientes pedagógicos agradáveis, estimulantes