A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
73 pág.
modulo 7 - adiministração é

Pré-visualização | Página 1 de 5

Por que adentrarmos o tema 
administração, considerando que nosso 
foco é a satisfação do cliente? 
 
 Ora, se já dissemos que a empresa 
tem que ter uma visão global de mercado, 
visando a qualidade, não podemos 
esquecer que a parte administrativa que 
compõe toda organização tem que ser de 
qualidade também. 
 
 Desta maneira, este módulo está 
voltado aos processos gerenciais que são 
representados por comportamentos que 
promovem a qualidade de trabalho 
centrada na satisfação do cliente. 
A tarefa atual da administração é a de interpretar 
os objetivos propostos pela organização e 
transformá-los em ação organizacional por meio 
do planejamento, organização, direção e controle 
de todos os esforços realizados em todas as 
áreas e em todos os níveis da organização, a fim 
de alcançar tais objetivos da maneira mais a 
adequada à situação. 
Chiavenato (1987, p.8) 
 Compreendemos assim que 
administrar é desvelar os princípios que 
norteiam a organização transformando-os 
em ações planejadas, organizadas e 
direcionadas, integrando os colaboradores 
para que alcancem o objetivo que é 
comum a todos, com controle da qualidade 
de relações, monitoramento das formas de 
produção, cumprimento das metas, as 
quais incidem em resultados que se 
articulam aos interesses da organização. 
 Em outros módulos muito foi dito sobre a importância de todos os aspectos 
que envolvem a organização voltada à satisfação do cliente. Porém, sabemos 
que uma má administração implica na permanência da organização no mercado, 
isso porque administrar mal implica em todo conjunto que compõe a 
organização. 
Se uma organização tem má gestão de 
seus recursos, péssimo controle da 
produtividade de seus colaboradores, 
deficiente valor quanto seu capital 
humano, baixo investimento tecnológico, 
desgaste da imagem por desordem 
financeira frente aos credores, aquisição 
de matéria-prima ou produtos de baixa 
qualidade, e outros implicadores 
negativos, não há como conquistar e/ou 
fidelizar uma clientela a seu favor. 
 Portanto, administrar deve ser um 
processo contínuo de estruturação, 
monitoramento, investimento, agregação de 
valores, habilidades e competências 
articuladas a eficientes ações que constituem 
princípios que refletem uma imagem e um valor 
social. 
 
 Contudo, a administração vem sofrendo 
grandes transformações, porque as sociedades 
do mundo vêm se transformando e se munindo 
de novas formas de compreender suas 
próprias necessidades. 
 Como explica Maximiano (1997), 
mesmo que a história da administração 
continue em constantes mudanças, e 
muitas ideias técnicas com raízes antigas, 
os problemas podem até serem 
semelhantes, entretanto, as soluções são 
diferentes porque são influenciadas pelo 
momento histórico que está em constante 
evolução. 
 
 Por isso, é preciso saber quem está no 
comando da administração – não me refiro 
ao proprietário da loja, do bar, do 
restaurante, entre outros, somente - afinal, 
esses também administram, mas não 
sozinhos, porque requerem uma equipe 
para compartilhar o ato de administrar, 
entrando em cena as lideranças de uma 
organização. 
 Ser líder não é uma tarefa simples que 
pode ser realizada apenas com a definição de 
tarefas que cada um pode executar. Também 
não se trata de assumir uma postura de 
autoridade frente a um grupo de pessoas. 
 
 Ser líder requer acima de tudo 
conhecimento sobre os objetivos da 
organização, quais caminhos perfilam seus 
princípios, onde e como chegar com eficácia e 
êxito os processos produtivos, bem como, 
saber o para quê, porque, como, quando e 
quanto pessoas, tecnologias e infraestrutura 
importam e revelam a qualidade do trabalho, 
da produtividade e da organização como um 
todo. 
LIDERANÇA 
a liderança é um processo de influenciar as 
pessoas, focado no resultado, mas não deve ser 
vista somente com o propósito de atingir 
objetivos ou ganho pessoal e sim um propósito 
considerado nobre. 
Blanchard (2007, p. 15) 
 A partir desse pressuposto, a 
liderança é uma arte que engloba 
planejamentos, direcionamento de 
ações, posturas, comportamentos, 
atitudes e a tomada de decisões que 
estão aquém de simples transmissão 
de conhecimento e de tarefas a 
executar. 
O desenvolvimento das pessoas – sejam clientes 
ou colaboradores – é tão importante quanto o 
desempenho. Como resultado, o foco de liderar 
em auto nível está tanto em obter resultados a 
longo prazo quanto na satisfação humana. 
Liderar em alto nível, portanto, é um processo. 
 
Blanchard (2007, p. 15) 
 A convivência com os outros, 
especialmente no ambiente de 
trabalho, não é tarefa fácil, e o desafio 
é transformar essa dificuldade em uma 
oportunidade de contato interpessoal 
que promova o crescimento e o 
amadurecimento emocional. 
 
 As pessoas comunicam-se, 
aproximam-se, afastam-se, sentem 
aversões, carinho, medo, sentimento 
de ameaça, de segurança, etc. Existe 
uma infinidade de reações e 
sentimentos, conscientes ou 
inconscientes, que derivam da mente 
humana e constituem o complexo 
processo de interação entre os 
homens. 
Gerenciar pessoas vai muito além do direcionamento de competências 
técnicas, pois devem levar em consideração aspectos comportamentais, 
personalidade e emoções que formam os talentos humanos. 
 Independentemente das bases de 
influência utilizada pelo líder, a 
motivação é o objetivo principal para 
se alcançar os resultados esperados 
pelo grupo e nesse aspecto é 
importante salientar que a motivação é 
específica dentro de um contexto, ou 
seja, uma pessoa pode estar motivada 
para desempenhar alguma tarefa 
como, por exemplo, pintar um quadro, 
e nada motivada para ir a uma festa ou 
praticar esporte. 
 
 Com base nisso, podemos dizer 
que o papel do líder dentro das 
organizações é o de influenciar 
positivamente seus colaboradores, 
para que se sintam motivados para o 
trabalho. 
o líder deve ter a habilidade de mobilizar as 
pessoas em torno da integração da visão da 
empresa e que, deve estar voltado às 
necessidades das pessoas, quebrando barreiras 
e as integrando em torno de uma visão. 
 
Covey (2002) 
 As organizações de alto 
desempenho estão sempre em contato 
com todos seus clientes, em busca da 
melhor condição que os atenda com a 
melhor qualidade e isso é de 
responsabilidade de um líder. Assim, 
os lideres são automotivados e devem 
responder de forma flexível e rápida as 
mudanças constantes que vivenciam 
as organizações. 
 
 Dessa forma, a liderança exige 
habilidades para que seja bem 
sucedida, tais como: 
A habilidade técnica que se refere ao 
conhecimento e a capacidade da 
pessoa em qualquer tipo de processo 
ou técnica. Alguns exemplos são as 
habilidades que os contadores, 
engenheiros, digitadores e fabricantes 
de ferramentas aprendem. 
Essa habilidade distingue o 
desempenho no trabalho operacional; 
mas à medida que os empregados são 
promovidos a cargos de liderança, as 
habilidades técnicas tornam-se 
proporcionalmente menos importantes. 
 
Cada vez mais dependem das 
habilidades técnicas dos seus 
subordinados e, em muitos casos, 
nunca praticam algumas das 
habilidades técnicas que 
supervisionam. 
A habilidade humana é a capacidade 
para trabalhar eficazmente com as 
pessoas para obter resultados no 
trabalho em equipe. Nenhum líder de 
qualquer nível hierárquico escapa a 
necessidade