Relatório 01 - LEI DE OHM
15 pág.

Relatório 01 - LEI DE OHM

Pré-visualização2 páginas
UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ 
 
 
 
 
 
 
ALAN MENDES RODRIGUES 
CAIO HENRIQUE NICOLETTI STECCA 
GLADSON VINICIUS FERREIRA BRAGA 
GLEISON DO CARMO SOARES DE MORAIS 
 
 
 
 
 
 
 
LABORATÓRIO 1: 
LEI DE OHM 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
ITAJUBÁ 
 2019 
 
 
 
ALAN MENDES RODRIGUES 
CAIO HENRIQUE NICOLETTI STECCA 
GLADSON VINICIUS FERREIRA BRAGA 
GLEISON DO CARMO SOARES DE MORAIS 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
LABORATÓRIO 1: 
LEI DE OHM 
 
Relatório submetido à Professora Camila Paes 
Solomon como requisito parcial para aprovação 
na disciplina de Introdução à análise de 
circuitos experimental, do curso de graduação 
em Engenharia Elétrica da Universidade 
Federal de Itajubá. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
ITAJUBÁ 
 2019 
 
 
 
RESUMO 
 
Este experimento consiste em aplicar a Lei de Ohm, utilizando as relações entre tensões e 
correntes elétricas. Para isso, foi necessário medir a resistência dos resistores, por meio do 
código das cores, e utilizando dos instrumentos de medidas elétricas, foi possível determinar a 
tensão e a corrente que passava no circuito. O principal resultados obtido com este trabalho foi 
que conforme a tensão do sistema aumentava, a intensidade da corrente também crescia, uma 
vez que a resistência permanecia constante. Dessa forma, pode-se concluir que o potencial 
elétrico e a corrente elétrica são diretamente dependentes 
 
Palavras-chave: Lei de Ohm. Resistência. Circuitos elétricos. Correntes elétricas. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
SUMÁRIO 
 
1 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA ....................................................................................4 
1.1 Lei de Ohm .........................................................................................................................4 
1.2 Resistores ............................................................................................................................4 
2 OBJETIVOS .......................................................................................................................6 
3 MATERIAIS UTILIZADOS ............................................................................................7 
4 PROCEDIMENTO METODOLÓGICO ........................................................................8 
5 RESULTADO E DISCUSSÃO .......................................................................................12 
6 CONCLUSÃO ..................................................................................................................13 
 REFERÊNCIAS ...............................................................................................................14 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
4 
 
1 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA 
 
1.1 Lei de Ohm 
Embora os conhecimentos sobre eletricidade tenham sido ampliados, a Lei de Ohm 
continua sendo uma lei básica da eletricidade e eletrônica, por isso conhecê-la é de fundamental 
importância para o estudo e compreensão dos circuitos eletroeletrônicos. 
A lei de Ohm é aquela que estabelece uma relação entre tensão (V), corrente (I) e 
resistência (R). Assim, é uma das mais importantes e poderosas, \u201cpois pode ser aplicada a 
qualquer circuito em qualquer escala de tempo, podendo ser aplica em circuitos de corrente 
contínua, circuitos de corrente alternada, circuitos digitais e de micro-ondas\u201d (BOYLESTAD, 
2012, p. 85). 
Dessa forma, esta lei diz respeito que a corrente é proporcional à tensão aplicada e 
inversamente proporcional à resistência, tendo como fórmula: 
\ud835\udc3c = \ud835\udc49/\ud835\udc45 (1) 
Segundo Boylestad (2012), a expressão acima permite inferir que, em uma resistência 
fixa, quanto maior a tensão aplicada nos terminais de um resistor, maior será a corrente, e que, 
em uma tensão fixa, quanto maior for uma resistência, menor será a corrente. 
Com isso, a corrente é uma reação à tensão aplicada e não o fator que coloca o sistema 
em movimento, sendo a diferença de potencial causadora da movimentação do sistema, com a 
resistência limitando a oposição deste movimento. Deste modo, aumentando-se a tensão 
aplicada, maior será a corrente do sistema. 
Manipulando a fórmula (1), verifica-se que a corrente elétrica é diretamente 
proporcional à tensão elétrica e inversamente proporcional à resistência elétrica entre os 
terminais do circuito, então: 
\ud835\udc49 = \ud835\udc45 . \ud835\udc3c (2) 
Infere-se, portanto, que a equação é linear, do tipo y = a.x, sendo o coeficiente angular 
dado pela resistência entre os terminais. 
 
1.2 Resistores 
Segundo Dorf e Svoboda (2009), resistores são componentes que têm por finalidade 
oferecer uma oposição à passagem de corrente elétrica por meio de seu material. A essa 
oposição damos o nome de resistência elétrica, que possui como unidade o ohm [\u2126], sendo o 
inverso da resistência, a condutância, representada pela letra [S] ou [\u1b1]. 
5 
 
Classificam-se os resistores em dois tipos, sendo fixos e variáveis. Os resistores fixos 
são aqueles cujo valor da resistência não pode ser alterado, enquanto as variáveis têm a sua 
resistência modificada dentro de uma faixa de valores por meio de um cursor móvel. 
Os resistores fixos são comumente especificados por três parâmetros: o valor nominal 
da resistência elétrica, a tolerância, ou seja, a máxima variação em porcentagem do valor 
nominal, e a máxima potência elétrica dissipada. 
Os valores ôhmicos dos resistores podem ser reconhecidos pelas cores das faixas em 
suas superfícies, cada cor e sua posição no corpo do resistor representam um número, de acordo 
com a Figura 1. 
 
Figura 1. Código de cores dos resistores 
 
 
 
Fonte: http://eletronsdadepressao.blogspot.com/2015/01/codigo-decores-de-resistores.html 
 
 
 
 
 
 
6 
 
2 OBJETIVOS 
 
A realização deste experimento tem como objetivos: 
 
\uf0b7 Apresentar o código de cores dos resistores; 
 
\uf0b7 Utilizar instrumentos de medidas elétricas; 
 
\uf0b7 Aplicar a Lei de Ohm a partir das relações entre tensões e correntes elétricas. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
7 
 
3 MATERIAIS UTILIZADOS 
 
Os matérias utilizados para a realização do experimentos são: 
 
\uf0b7 3 resistores com código de cores diferentes; 
\uf0b7 1 protoboard; 
\uf0b7 4 fios condutores; 
\uf0b7 1 amperímetro; 
\uf0b7 1 voltímetro; 
\uf0b7 2 cabos que continham pontas de prova; 
\uf0b7 Fonte de tensão ajustável em corrente contínua (CC); 
\uf0b7 Calculadora; 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
8 
 
4 PROCEDIMENTO METODOLÓGICO 
 
Para realização do experimento, primeiramente utilizou-se do código de cores para 
determinar o valor nominal dos resistores. Com o multímetro na função ohmímetro, mediu-se 
os valores reais das resistências. Com os dados dos resistores, montou-se a Tabela 1. 
 
Tabela 1. Utilização do código de cores de resistores 
Resistores Valor Nominal [\u3a9] Valor Medido [\u3a9] Erro Calculado [%] 
R1 910 ±5% 920 ±1,1% 
R2 1000 ±5% 985 ±1,5% 
R3 2200 ±5% 2193 ±0,3% 
Fonte: Autoria Própria 
 
Utilizando o protoboard, montou-se o circuito conforme a Figura 2, utilizando o 
resistor R1. 
Figura 2. Circuito para a verificação da Lei de Ohm 
 
 
Para medir a tensão sobre o resistor,