A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
EPS_ Alunos ANTROPOLOGIA DA NUTRIÇÃO 1 (1)

Pré-visualização | Página 1 de 1

29/10/2019 EPS
simulado.estacio.br/alunos/ 1/3
 
 
 
Disc.: HISTÓRIA E ANTROPOLOGIA DA NUTRIÇÃO 
Aluno(a): LUÍS CARLOS SILVEIRA DOS SANTOS Matríc.: 201903469988
Acertos: 0,2 de 0,5 05/09/2019 (Finaliz.)
 
 
1a Questão (Ref.:201906441474) Pontos: 0,1 / 0,1 
São temas que constituem o objeto de estudo da História e da Antropologia da Nutrição:
I - A composição nutricional de determinadas dietas.
 II - Os aspectos simbólicos ligados aos alimentos.
 III - As crenças relativas às dietas de emagrecimento.
 IV - A história do gosto.
 V - Os efeitos metabólicos de determinadas dietas.
Estão corretas as afirmativas:
II, III e V
I, II e III
I, II e IV
 II, III e IV
I, III e IV
Respondido em 05/09/2019 16:01:19
 
 
Compare com a sua resposta:
 
2a Questão (Ref.:201906441746) Pontos: 0,0 / 0,1 
Na Idade Média, enquanto os nobres comiam carnes de criação e caça - somente a eles era permitido caçar - em abundância,
os camponeses a consumiam em ocasiões especiais. Cotidianamente, estes consumiam a carne salgada fervida em caldos
com legumes, caldo este que depois também era utilizado para fazer papas e mingaus de cereais, muito comuns na época.
O trecho acima faz parte do objeto de estudo de qual ciência?
 História da nutrição.
Antropologia biológica.
Nutrição.
Biologia.
 Antropologia da nutrição.
Respondido em 05/09/2019 16:01:37
 
 
Compare com a sua resposta:
 
3a Questão (Ref.:201906441496) Pontos: 0,1 / 0,1 
Leia atentamente o texto abaixo:
COMER INSETOS FICOU FÁCIL
29/10/2019 EPS
simulado.estacio.br/alunos/ 2/3
Se você reparar em programas de TV, como "No Limite", verá pessoas em provas onde devem comer insetos vivos para
alcançar o grande prêmio. Mas a prática de comer insetos, mesmo quando não existe um grande prêmio em jogo, é
comum em diversas partes do mundo, e se chama entomofagia. Pesquisas sobre novas fontes de alimentos de baixo
custo e grande capacidade de oferta, que possam atender aos milhões de seres humanos que passam fome são de
inquestionável importância atualmente. Se aliarmos esse fato com a estimativa de que existam pelo menos 100 trilhões
de insetos hoje no planeta, muitos com um elevado valor nutricional, torna-se claro que dispomos de um vasto
suprimento de alimentos, praticamente esquecido, pronto para ser explorado indefinidamente se feito de forma racional
e sustentável. O fato de existirem insetos muito nutritivos e em abundância normalmente é rebatido com fortes
argumentos culturais que identificam essas criaturas como "sujas" ou "nojentas". Diante disso, pesquisas têm sido
desenvolvidas objetivando tornar a entomofagia mais aceitável pelo padrão alimentar ocidental. (...)
 Fonte: http://www.insetosonline.com.br/artigos/entomofagia.php
Avalie as afirmativas abaixo e marque aquelas que representam o motivo pelo qual os insetos não são consumidos em
nossa sociedade:
I - Um tabu ligado à religião.
 II - Um tabu ligado a crenças e valores atribuídos aos insetos.
 III - Um tabu ligado ao respeito que temos pelos insetos.
 IV - Um tabu ligado ao fato de os insetos serem muito nutritivos.
 V - Um tabu ligado à nossa história e aos nossos hábitos alimentares.
IV e V
 II e V
II e III
I e II
III e IV
Respondido em 05/09/2019 16:02:29
 
 
Compare com a sua resposta:
 
4a Questão (Ref.:201905944041) Pontos: 0,0 / 0,1 
A comida convencional do morador do Rio de Janeiro não inclui carne de répteis animais como
lagarto e jacaré, baseado nesta afirmativa poderíamos considerar isso um tabu alimentar?
Nenhuma das alternativas anteriores está correta.
 Não porque não é uma proibição somente um costume.
Não é possível identificar um tabu alimentar somente com essas informações.
Sim porque lagarto e jacaré não são alimentos comestíveis, são animais que não se prestam à
alimentação.
 Sim porque ninguém come isso nesta cidade.
Respondido em 05/09/2019 16:04:11
 
 
Compare com a sua resposta:
Em nível econômico, o açúcar foi a base da economia colonial do Brasil e seu comércio foi um dos mais importantes
do mundo. Sob o aspecto social, como, por exemplo, o plantio e o beneficiamento do açúcar, estes eram realizados
exclusivamente por mão de obra escrava. O trabalho escravo foi um fator decisivo na implantação e na duração
deste fenômeno, que, mesmo tendo sido extinto há mais de um século, teve profundos efeitos nas relações raciais
nos países onde era comum, e continua tendo consequências na distribuição de renda e na exclusão destas
minorias. Culturalmente, em nível de alimentação, o açúcar representou a edulcoração geral do gosto
contemporâneo.
 
5a Questão (Ref.:201905944072) Pontos: 0,0 / 0,1 
Leia atentamente o texto abaixo:
(...) No entanto, após confirmar que a busca pelo prazer através da comida é uma prática recorrente há séculos, é
preciso ir um pouco além para esclarecer suas implicações atuais. Na verdade, a gastronomia trata-se de prazer e
sobretudo da possibilidade de mostrá-lo à sociedade. Indicativo de luxo e sofisticação, o papel da comida também é
manifestar status. O que muda são os porquês e as formas de distinção ao longo do tempo. Por isso, pode-se
concluir que a atual febre da gastronomia no mundo contemporâneo trata-se de mais uma releitura de um conceito
bastante consolidado no imaginário gastronômico: comer é poder. (...)
29/10/2019 EPS
simulado.estacio.br/alunos/ 3/3
AZULAY, P. Banquetes Midiáticos: A Gastronomia na Mídia e Novas Tendências na Cultura do Consumo
Contemporâneo. 2005. 81 f. Trabalho monográfico (Graduação em Comunicação Social) -Universidade Federal do
Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2005.
O texto acima ressalta principalmente:
 A importância da gastronomia na atualidade.
A legitimação das tendências de consumo pela mídia.
A busca do prazer pela comida.
 Como as classes sociais estabelecem a afirmam suas diferenças pelos hábitos alimentares.
A obsessão pelo gosto.
Respondido em 05/09/2019 16:04:09
 
 
Compare com a sua resposta:
Os alimentos e práticas que devem estar descritos nesta resposta se contrapõem ao estilo fast-food e devem ser
avaliados como corretos quando a explicação envolver longo tempo de preparo ou de consumo. Se a resposta
contemplar uma reflexão que esse tempo é simbólico, ou seja, que nem sempre o tempo longo é do relógio, muitas
vezes a sensação é que é de um tempo longo, por exemplo em práticas de consumo comercial quando comemos
feijoada (longo tempo de preparo) em um modelo de restaurante com comida a quilo (breve tempo de consumo), ou
um sanduíche (curto tempo de preparo) em lanchonetes onde se enfrenta longas filas pra comprar e pra conseguir
mesa pra consumir (longo tempo para consumo).

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.