A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
59 pág.
Resumão N2 Clínica de pequenos 3

Pré-visualização | Página 1 de 12

Clínica de Pequenos Animais 3 
 
1 
(Fernanda Yoshikado) 
 
sistema reprodutor feminino 
• afecções cirúrgicas: piometra 
• técnica cirúrgica: laparotomia, OSH/OHE 
1 Laparotomia ou celiotomia 
Onde: primeira incisão deve começar na linha media ventral (ou linha alba), paracostal (ao lado da 
costela) ou pelo flanco 
 
• Linha média ventral 
o Pré-umbilical (xifoide → umbigo): fígado, vesícula biliar, pâncreas, baço, estômago, 
duodeno, jejuno, rim, diafragma 
o Retro umbilical: bexiga, uretra, ovário, íleo, 
intestino grosso, jejuno, ureteres, rim, baço 
o Pré-retro-umbilical: somente laparotomia 
exploratória 
• Paracostal (2cm caudal à última costela) 
o Direita: diafragma, lobos hepáticos, rim e 
vesícula biliar 
o Esquerda: diafragma, rim, fígado e vesícula 
biliar 
• Flanco: rim, glândula adrenal 
Indicação: neoplasia de órgãos abdominais, corpo estranho, ruptura diafragmática, colecistectomia, 
biópsia, abordagem às vísceras abdominais 
 
 
1. Diérese 
a. Pele 
b. Subcutâneo → divulsionar até chegar à linha alba 
c. Músculo 
d. Incisão da linha alba → exposição da musculatura com a pinça Allis 
2. Síntese 
Clínica de Pequenos Animais 3 
 
2 
(Fernanda Yoshikado) 
 
a. Músculo → fio de nylon (não absorvível) → 
ponto Sultan, simples contínuo ou simples 
interrompido (bordas tem que ficar paralelas) 
→ somente fáscia e músculo (peritônio não 
é suturado!) para a sustentação da sutura 
b. Subcutâneo → fio absorvível (de preferência) 
→ ponto simples interrompido, simples 
contínuo ou Cushing (envaginação → jogar 
as bordas para dentro) 
c. Pele → fio não absorvível ou absorvível, 
depende da região → ponto simples 
interrompido, Sultan, Wolf, Colchoeiro 
(cuidado para não everter!!) 
Retirar os pontos da pele em 10~15 dias 
 
2 Ovário-salpingo-
histerectomia (OSH/OHE) 
 
• Ovário direito → levemente 
mais cranial em gatas e cadelas 
• Ovários possuem ligamentos 
• Cadelas possuem os cornos 
envoltos em gordura, gatas não 
tem tanta gordura 
• Ligamento pode ser 
seccionado, mas o pedículo e o 
ovário não! 
Laparotomia pela linha 
média ventral 
(abertura em 3 planos) 
- Preparo: jejum, MPA, 
tricotomia 
- Antissepsia 
- Colocação dos panos de 
campo (1) 
- Incisão de pele com bisturi 
- Divulsão do SC com 
tesoura 
- Colocação dos panos de 
campo (2) 
- Tração do músculo reto 
do abdomen 
- Inicsão da linha alba com 
bisturi 
Clínica de Pequenos Animais 3 
 
3 
(Fernanda Yoshikado) 
 
 
 
1) 1ª pinça → porção distal da veia e artéria 
ovariana 
2) 2ª pinça → logo em seguida da 1ª pinça (na 
porção mais proximal) 
3) 3ª pinça → mais proximal com certa distância 
da 2ª pinça 
4) Secção entre a 2ª e a 3ª pinça 
5) 1ª ligadura → sobre a primeira pinça 
6) Tirar a 1ª pinça após dar o nó de cirurgião da 1ª 
ligadura → finalizar ligadura 
7) 2ª ligadura → sobre a segunda pinça 
8) Tirar a 2ª pinça após o nó de cirurgião da 2ª 
ligadura → finalizar ligadura 
Clínica de Pequenos Animais 3 
 
4 
(Fernanda Yoshikado) 
 
 
• Esterilização 
• Infecção 
• Neoplasias 
• Prevenção de algumas 
patologias (diminui as chances 
de neo mamária e elimina as 
de piometra) 
• Estabilizar doenças sistêmicas 
 
• Definição: infecção no útero 
• Fisiopatologia: durante o estro, a cérvix se abre e há entrada de microrganismos. A cadela 
sai do estro, a cérvix se fecha e se torna um ambiente favorável para a multiplicação dos 
microrganismos. A inflamação causa reações no rim (↑ureia e ↑ creatinina); as toxinas 
dos microrganismos vão inibir a produção de ADH e consequentemente a desidratação, 
lesionando mais ainda o rim. 
• Sinais e sintomas: ↑ de volume do abdômen, toxemia (mucosas hiperêmicas, febre, apatia...), 
PU/PD, anorexia, dor, vômito (azotemia pré-renal). 
o Com secreção vaginal: aberta 
o Sem secreção vaginal: fechada 
• Diagnóstico: exame físico, ultrassom (presença de conteúdo de alta celularidade em região 
de útero – muco, hemo, piometra?), hemograma (leucocitose com desvio a esquerda), 
perfil renal, último cio 
• Tratamento suporte: fluidoterapia, antibiótico de amplo espectro, analgésico, antipirético, 
cultura e antibiograma (98% dos casos de piometra são causados por E. coli, mas é 
E SE PERDER O PEDÍCULO? 
• Direito: duodeno → lateralizar para a esquerda 
• Esquerdo: cólon descendente → lateralizar para 
a direita 
E SE PERDER O COTO? 
Tracionar a bexiga e everter 
Clínica de Pequenos Animais 3 
 
5 
(Fernanda Yoshikado) 
 
interessante fazer a cultura e antibiograma para documentar se o ATB em uso é adequado 
ao tratamento) 
• Tratamento cirúrgico: não precisa esperar o perfil renal! Emergencial, fazer a cirurgia no 
mesmo dia se o paciente estiver estável. 
o Fechada: laparotomia com técnica das 3 pinças (OSH) com incisão em região 
retro-umbilical 
o Aberta: lavagem 
• Pós cirúrgico: 
o Pelo menos 24 horas de fluidoterapia → pode variar de acordo com o perfil renal 
do paciente 
o Antibiótico: enrofloxacina, amoxicilina, cefalexina (amplo espectro) 
o AIE: 1 dose → apenas quando o perfil renal do paciente estiver bom 
o Analgésico: tramal/dipirona 
o Protetor gástrico: sucralfato, omeprazol 
o Roupa e colar 
o Retorno em 72h 
• Complicações pós-osh 
o hemorragia 
o ligadura de ureter e vasos renais 
o granuloma e fístura por fio de sutura 
o deiscência de sutura 
o eventração 
o evisceração 
 
• US: resquício ovariano + coto ovariano espessado e com conteúdo 
• Tratamento: laparotomia exploratória → procurar o coto! 
• Pós-operatório com os mesmos cuidados 
 
 
Clínica de Pequenos Animais 3 
 
6 
(Fernanda Yoshikado) 
 
3 neoplasias mamárias 
Características do câncer (neoplasia maligna): 
• Prolifera-se descontroladamente 
• Produz fatores angiogenicos – estimula o crescimento de vasos 
• Perde diferenciação celular – pode ser 
muito diferenciada ou pouco diferenciada 
• Invade tecidos vizinhos 
• Produz metástases via hematógena ou 
linfática 
• Metástase mamária geralmente é 
primária de linfonodo e secundária de 
pulmão – pode ser positivo para 
linfonodo e negativo para pulmão 
 
Cadelas geralmente tem 5 pares de 
mamas e gatas geralmente tem 4 pares. 
 
• Sexo: Fêmeas mais comum 
• Espécie: cadelas (1ª) e gatas (3ª) 
• Idade: 
o Cadelas entre 10 e 11 anos 
o Gatas entre 10 a 14 anos 
• Localização 
o Gatas M1, M2 (8) 
o Cadelas M4, M5 (10) 
• Raças: Poodle, Cocker, Teckel, 
Siameses (qualquer raça) 
 
• Progestágenos: hiperplasia lóbulo-
alveolar e mioepitelial 
• Estrogênicos: desenvolvem 
crescimento ductal 
 
Canina 
• Receptores de estrógeno e 
progesterona 
• Gestação anterior não tem efeito 
protetor 
• Pseudociese não predispõe 
• Risco de desenvolvimento de 
neoplasia de mama em cães: 
o 0,5% se realizar OSH antes 
do 1º cio 
o 8% após o 1º cio 
o 26% após o 2º cio 
o Não há influência após o 3º 
cio (não há garantia de 
diminuição de risco) 
Felina 
• Risco de desenvolver neoplasia de 
mama em gatas: 
o 91% menor se fizer OSH 
antes de 6 meses 
o 86% menor se fizer OSH 
antes de 1 ano 
 
o > 3 cm → 6 meses de vida 
o < 2 cm → > 4 anos de vida 
Clínica de Pequenos Animais 3 
 
7 
(Fernanda Yoshikado) 
 
 
• Multifatorial 
o Hormonais 
o Diabéticos e obesidade 
o Alterações genéticas: mutação e/ou ativação de 
genes 
 
• Metástases: pulmões; linfonodos; fígado 
• Cadelas: 50% dos tumores são malignos 
• Gatas: 80 a 90% malignos 
 
• Carcinoma – neoplasia maligna de origem epitelial 
• Adeno – glândula 
Carcinoma mamário – adenocarcinoma de mama