A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
131 pág.
Manual Contabilidade de Gestão II

Pré-visualização | Página 9 de 26

pois concentra-se nas actividades desenvolvidas pelos 
recursos ao dispor da organização. Por outro lado identifica os recursos 
inerentes às tarefas desempenhadas, como é o caso da preparação das 
máquinas, do planeamento dos trabalhos, da inspecção de qualidade e do 
movimento de materiais. 
Para a imputação dos gastos fabris às actividades, o sistema procura, em 
primeiro lugar, identificar as actividades de apoio e os custos dos respectivos 
recursos utilizados. De seguida, os custos das actividades são repartidos 
pelos produtos através cost driver definido para cada actividade, calculando 
e utilizando a proporção que corresponde à cada um dos cost drivers para 
imputar os custos da actividade ao produto. 
Os custos dos departamentos que executam serviços de apoio não podem 
imputar-se aos departamentos de produção, quer de forma directa quer 
através de um cost driver que reflicta uma relação causa-efeito entre os 
custos do departamento de serviço e o de produção. 
O sistema ABC considera que existe uma relação casual entre as actividades e os 
gastos que os sistemas tradicionais tratam como comuns ou conjuntos. 
 
Exemplo: 
Determinado serviço de recepção e movimentação de materiais de uma 
empresa industrial teve gastos em determinado período no montante de 
28.000,00 que são imputados a produção do período com base na 
mãodeobra directa. Para o efeito, utiliza em média 4.000 horas de mão-de-
obra directa. 
ISCED 
CURSO: CONTABILIDADE E AUDITORIA; 30 Ano Disciplina/Módulo: Contabilidade de Gestão II 
 
 33 
 
Utilizando o sistema tradicional baseado na mão-de-obra directa, a relação 
entre a recepção e movimentação é de 7,00/Hh de mão-de-obra directa, 
pelo que, se um departamento utilizar 2.500 horas de mão-de-obra directa, 
será debitado por 17.500,00. 
Segundo este modelo, cada hora de trabalho de mão-de-obra directa num 
departamento custa 7,00 do serviço de recepção e movimentação. Pelo 
método ABC, a valorização desta actividade implicaria a identificação de 
recursos utilizados e de um indutor de custo que se mostrasse 
adequadamente razoável para a atribuição do custo a actividade. 
 
Sumário 
Nesta unidade tratamos do conceito do método Activity-Based Costing e da 
sua distinção com o sistema tradicional de apuramento do custo de 
produção. O que fica subjacente é que o ABC é um modelo alternativo para 
de repartição dos custos indirectos, em resultado da crescente importância 
dos custos indirectos de fabricação sobre o custo de produção. 
 
Exercícios de Auto Avaliação 
 
1. O que entende por método ABC? 
2. Como se fundamenta a diminuição do peso da mão-de-obra directa vs 
aumento do peso dos custos indirectos sobre o custo de produção? 
3. O que esta por detrás da introdução do modelo de custo baseado nas 
actividades? 
4. Qual é a distinção entre o sistema tradicional de apuramento de custo de 
produção e o ABC? 
 
Solução: 
ISCED 
CURSO: CONTABILIDADE E AUDITORIA; 30 Ano Disciplina/Módulo: Contabilidade de Gestão II 
 
 34 
 
1. O método ABC é um modelo para a repartição dos custos indirectos que 
se consubstancia na identificação das actividades ligadas a fabricação de 
um bem, de modo que se proceda a respectiva afectação de custos. 
2. A diminuição do peso da mão-de-obra directa vs aumento do peso dos 
custos indirectos sobre o custo de produção é fundamentada com a 
crescente automação das unidades industriais, o que implica que seja 
cada vez mais reduzido o número de operários na fábrica, aumentando 
os custos com a utilização de equipamentos. 
3. O que esta por detrás do modelo de custo baseado nas actividades são 
as insuficiências decorrentes da imputação tradicional dos gastos de 
fabricação com base na mão-de-obra directa. 
4. A distinção consiste no facto de que no sistema tradicional os gastos 
gerais de fabricação eram repartidos com base na mão-de-obra directa, 
porquanto no método ABC a repartição dos gastos gerais implica a 
identificação da actividade realizada e do respectivo indutor de custo. 
 
UNIDADE Temática 2.2. As Actividades e os Indutores de Gastos 
 
Introdução 
 
O método ABC impera a que se proceda a identificação da actividade 
realizada e de um indutor de custos para a valorização dos serviços 
realizados até a obtenção do produto final. Portanto, os conceitos de 
actividade e de indutor de custo são de tamanha importância para o 
apuramento do custo de produção, mais concretamente no que respeita a 
repartição dos custos indirectos de fabricação. 
Esta unidade temática foi preparada com base no livro Temas de Contabilidade 
de Gestão, 3ª edição, 2010. 
Ao completar esta unidade, você deverá ser capaz de: 
 
ISCED 
CURSO: CONTABILIDADE E AUDITORIA; 30 Ano Disciplina/Módulo: Contabilidade de Gestão II 
 
 35 
 
   Identificar uma actividade e o respectivo indutor de custo; 
 Listar os tipos de actividades ligadas as operações de uma organização; 
Objectivos 
 Identificar as etapas a serem observadas na implementação do método Específicos 
 ABC; 
 Conhecer as vantagens e dificuldades de implementação do método ABC; 
 Apurar o custo de produção pelo método ABC; 
 
2.2.1. As Actividades e os Indutores de Gastos 
 
O produto ou serviço desde a sua concepção até à venda e consumo pelo 
cliente consome recursos das actividades que se traduzem em gastos 
significativos. Muitas vezes omitem-se os custos de planeamento do 
produto ou serviço pós-venda. 
Assim, os gastos são a consequência da utilização dos recursos e, devem ser 
primeiramente atribuídos às actividades e depois aos produtos/serviços que 
as utilizam. 
Actividade – é o conjunto de tarefas executadas ou a executar para 
atingir um certo nível de resultados, mediante o consumo de 
recursos. (Caiado, pag. 300, 3º parágrafo). Tendo em conta a 
diversidade de tarefas r, convém que estas sejam agrupadas em 
actividades homogéneas. 
É importante que na definição de actividades se considere a sua contribuição 
para o valor acrescentado da empresa. Pois, os gastos incorporados nos 
produtos/serviços são recuperados no preço praticado ao cliente, daí que as 
actividades sem valor acrescentado devem ser eliminadas sempre que 
possível. 
ISCED 
CURSO: CONTABILIDADE E AUDITORIA; 30 Ano Disciplina/Módulo: Contabilidade de Gestão II 
 
 36 
 
Indutores de Gastos – são os factores que incidem directamente no 
nível de custo de uma actividade, ou seja, que motivam a ocorrência 
de gastos. 
2.2.2. Etapas da Implementação do Método ABC 
 
 Identificação das principais actividades que ocorrem numa 
organização, obrigando a que se realizem entrevistas a cada uma das 
áreas da organização para que se construam fluxogramas que 
permitam facilitar a compreensão das actividades realizadas; 
 Listagem dos recursos necessários para a realização das actividades; 
 Alocação dos custos indirectos associados ao consumo e utilização dos 
recursos já listados através do indutor de custo de recursos; 
 Selecção dos indutores de custos de actividade mais adequados para 
cada uma das actividades já identificadas; 
 Calculo dos custos por cada objecto de custeio, somando os custos das 
actividades que contribuíram para a sua obtenção. 
Observadas rigorosamente estas etapas, estarão criadas as condições para 
o apuramento do custo de produção, que deve obedecer os seguintes 
passos: 
1. Calculo dos custos totais por cada actividade realizada; 
2. Determinação dos custos unitários das actividades, tendo 
como base o volume do Indutor de Custo; 
3. Atribuição dos custos das