A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
APOL1 - ANALISE DE POLITICA EXTERNA

Pré-visualização | Página 1 de 4

Questão 1/10 - Análise de Política Externa
Leia o texto a seguir:
“Para o realismo clássico, o cenário internacional está amparado na incerteza. Ainda, esse cenário “é estruturado em assimetria de informações por causa da natureza desnivelada do relacionamento entre os Estados e demais atores não estatais. O cenário internacional é amoldado pelo poder, pela força, pelo interesse (Castro, 2012, p. 316). A visão realista clássica não somente reconhece a ausência de igualdade entre as nações, mas também coloca nessa desigualdade observada um dos motivos pelo status de incerteza que consome o cenário externo”.
Fonte: Rota de aprendizagem da aula 2. Análise da Política Externa com a profa Prof.ª Bruna Leal Barcellos. Tema 2: APE e o Realismo.
Tendo como base os conteúdos discutidos na disciplina de Análise de Política Externa, assinale a alternativa que indica, corretamente, quais são as duas principais características do cenário internacional para o realismo clássico:
Nota: 10.0
	
	A
	O cenário internacional é marcadamente caracterizado pela dominação do cosmopolitismo e pela institucionalização da política internacional.
	
	B
	O cenário internacional é majoritariamente pautado pelas disputas econômicas entre os atores e pelo seu caráter hierárquico.
	
	C
	O cenário internacional é marcadamente caracterizado pela coordenação das relações dos Estados e pela lógica da cooperação internacional.  
	
	D
	O cenário internacional é majoritariamente marcado pelo desequilíbrio entre os atores e pelo seu caráter anárquico.
Você acertou!
A incerteza existente no cenário internacional fomenta o desequilíbrio internacional e o caráter anárquico do campo internacional que fariam com que a defesa do Estado se tornasse um ponto essencial. A atenção do realismo clássico se volta para a necessidade de proteção estatal. O Estado precisaria estar a todo o momento garantindo sua própria segurança pois, não sabe qual a ação que outro Estado tomará. A ideia de que o outro está se armando, o faz também se armar a fim de se auto preservar.
 
Referência: Rota de aprendizagem da aula 2. Análise da Política Externa com a profa. Prof.ª Bruna Leal Barcellos. Tema 2: APE e o Realismo.
	
	E
	O cenário internacional é marcado pela construção de uma identidade coletiva internacional e pela defesa de uma sociedade global.
Questão 2/10 - Análise de Política Externa
Leia o trecho a seguir:
“O processo de ciclo político, quando observamos a política externa como política pública, pode e deve ser utilizado na compreensão do processo governamental. A ideia de pressões domésticas provenientes de grupos sociais ou stakeholders, também é relevante nessa visão. De certa forma, a argumentação do ciclo político nos dá mais um mecanismo de observação para a influência das forças não estatais dentro do aparato político”.
Fonte: Rota de aprendizagem da aula 3. Análise da Política Externa com a profa. Prof.ª Bruna Leal Barcellos. Tema 5: A Junção da APE com as Políticas Públicas.
Tendo como base os conteúdos discutidos na disciplina de Análise de Política Externa, assinale a alternativa que apresenta, corretamente, a principal potencialidade de se analisar a política externa como política pública: 
Nota: 10.0
	
	A
	A análise da política externa como uma política pública permite que a primeira seja considerada como parte do funcionamento da democracia.
Você acertou!
Observar e tratar a política externa como política pública trás para o campo da APE todas as ferramentas, conceitos e métodos que as políticas públicas têm em si. Um dos principais pontos a ser comentado, no entanto, é sobre o caráter democrático que a concepção de política pública leva para a política externa. Compreender que a política pública, da forma como se dá e utilizando a visão de que a mesma se constrói a partir das forças não só governamentais, mas também estatais, é assumir a posição de democracia que um Estado teria no planejamento e execução das políticas públicas. Logo, essa visão é emprestada pela política externa ao ser vista como uma política pública.
 
Referência: Rota de aprendizagem da aula 3. Análise da Política Externa com a profa. Prof.ª Bruna Leal Barcellos. Tema 5: A Junção da APE com as Políticas Públicas.
 
	
	B
	A análise da política externa como uma política pública permite que a primeira seja entendida como um elemento burocrático-legal diferenciado.
	
	C
	A análise da política externa como uma política pública permite que a primeira seja vista como uma imposição das elites políticas sobre a sociedade civil.
	
	D
	A análise da política externa como uma política pública permite que a primeira seja considerada como produto das relações econômicas que sustentam o Estado.
	
	E
	A análise da política externa como uma política pública permite que a primeira seja entendida a partir dos aspectos geográficos de um Estado e os seus efeitos na distribuição do poder.
Questão 3/10 - Análise de Política Externa
Leia o texto a seguir:
“O momento de avaliação política é quando os resultados tomam local central no palco de estudos das políticas públicas. É nesse momento que irá se verificar se os objetivos pré-definidos foram ou não alcançados. No entanto, é preciso ter cuidado, porque a ideia de avaliar o resultado de uma política pública pode, muitas vezes, acabar confundindo o pesquisador que não tem tanta familiaridade com esse método”.
Fonte: Rota de aprendizagem da aula 3. Análise da Política Externa com a profa. Prof.ª Bruna Leal Barcellos. Tema 3: A Avaliação de Políticas Públicas.
Tendo como base os conteúdos discutidos na disciplina de Análise de Política Externa, assinale a alternativa que indica, corretamente, quais são os três momentos de avaliação de uma política pública: 
Nota: 10.0
	
	A
	Podem ser destacados três momentos de avalição de uma política pública, uma vez que esse processo envolve a fase posterior, a fase histórica e fase de encerramento.
	
	B
	A avaliação de políticas públicas possui três fases mais importantes, sendo elas a social, a judicial e a cultural.
	
	C
	Considera-se que são necessárias três fases para a avaliação de uma política pública, sendo elas as fases ideológicas, eleitorais e orçamentárias.
	
	D
	São três momentos de avalição de uma política pública, uma vez que esse processo envolve a fase ex ante, a fase ex post e a fase concomitante.
Você acertou!
Como anteriormente demonstrado, uma das principais críticas ao modelo de ciclo político proposto por Laswell é a ideia de que os momentos da política sempre ocorrem de forma histórica, um estágio sempre precedendo o outro, sem alterações. De fato, quando levamos essa visão teórica para a prática conseguimos perceber que a dinâmica política não permite que o processo de política pública ocorra de forma tão ordenada, e que as dinâmicas e problemáticas diárias muitas vezes alteram as ordens dos processos. No caso da avaliação, esse momento acaba usufruindo de uma aplicabilidade em outros momentos do ciclo que não só no seu fim. Temos então três momentos da avaliação: ex ante, ex post e concomitante. A avaliação ex ante ocorre antes da implementação da política, buscando já verificar sua adequação ao ambiente onde será implementada. A avaliação ex post ocorre após essa aplicação já ter ocorrido, ou até mesmo no momento de terminação da política, tema que será debatido mais a frente (Jann, Wegrich apud Nanci, Pinheiro, 2019, p. 55). No caso de ser aplicada durante o processo, é uma avaliação concomitante.
 
Referência: Rota de aprendizagem da aula 3. Análise da Política Externa com a profa. Prof.ª Bruna Leal Barcellos. Tema 3: A Avaliação de Políticas Públicas.
	
	E
	Entende-se que a avaliação de políticas públicas passa por três fases distintas, a fase de análise dos atores envolvidos, a fase de aperfeiçoamento das práticas e fase de contagem dos gastos.
Questão 4/10 - Análise de Política Externa
Leia o trecho a seguir:
“O artigo seminal de Richard Snyder, Henry W. Bruck e Burton Sapin, “Decision-Making as an Approach to the Study of International Politics” (1954),

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.