A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
60 pág.
Resumo Atenção Farmacêutica I

Pré-visualização | Página 2 de 16

de saúde e como 
consequência estão vivendo por mais tempo, 
mas isso acarreta algumas dificuldades para o 
sistema de saúde, o perfil das doenças tem 
mudado, ocorre um aumento da ocorrência 
de doenças crônicas devido ao aumento da 
população idosa. 
Então junto com a transição demográfica 
vem uma transição no tipo de doenças e isso 
tem que ser considerado nessa nova estrutura 
do sistema de saúde pq senão o sistema de 
saúde não da conta de atender as demandas 
da população, e a estruturação em rede visa 
atender a essas necessidades. 
 
 
● Transição epidemiológica 
 
-Mortalidade por doenças infecciosas 
↳ 1930- 46% 
↳ 2000- 5% 
 
-Mortalidade por doenças cardiovasculares 
↳ 1930- 12% 
↳2000- 30% 
→Temos um aumento muito expressivo de 
mortes por doenças crônicas, que não eram 
vistas antigamente pois as pessoas morriam 
antes. 
Fernanda Iachitzki 
 
Claro, tem toda a questão de estilo de vida e 
alimentação envolvida também, por isso que 
além do tratamento temos que pensar em 
estratégias de promoção e prevenção da 
saúde, pois todo o nosso estilo de vida ruim, 
que foi piorando ao longo dos anos, também 
esta relacionado com o crescimento dessas 
doenças crônicas (obesidade, diabetes tipo 2) 
Então juntamente com o medicamento, 
mudanças de estilo de vida, não podemos 
pensar só na terapia farmacológica, a gente 
tem que pensar nas terapias não 
farmacológicas. 
● No Brasil, diferente da transição 
epidemiológica em países desenvolvidos, que 
basicamente saiu de um perfil de doenças 
agudas para doenças crônicas, como o Brasil 
ainda é um pais em desenvolvimento, nós 
temos uma tripla carga de morbimortalidade, 
além desse aumento expressivo nas doenças 
crônicas, nós ainda temos uma grande taxa de 
mortalidade por doenças agudas, a diferença 
de acesso das diferentes regiões do Brasil, 
causam muitos desafios que acarretam essa 
tripla carga de morbimortalidade. 
Então nós ainda temos uma alta taxa de 
mortalidade por doenças infecciosas, incluindo 
doenças parasitárias e desnutrição. 
As doenças crônicas aumentando 
expressivamente e todos os fatores de risco 
envolvidos como tabagismo, sedentarismo e 
obesidade. 
E ainda, existem as causas externas, alta taxa 
de morbimortalidade relacionada a violência, 
acidentes de trânsito, homicídios/suicídios. 
Então o ambiente que a pessoa vive, toda a 
realidade socioeconômica também influencia. 
●Como resolver isso? 
Isso leva a toda a reestruturação do sistema 
de saúde, pq anteriormente o sistema de 
saúde era muito focado na resolução das 
doenças infecciosas, e não funciona na 
realidade que temos hoje, esse modelo já está 
ultrapassado. 
As redes de atenção a saúde foram 
estabelecidas pela portaria n° 4.279 de 20110 e 
estabelece as diretrizes para a organização da 
Rede de Atenção à Saúde no âmbito do SUS. 
Por definição as redes de atenção a saúde 
consistem em arranjos organizativos de ações 
e serviços de saúde, de diferentes densidades 
tecnológicas, que integradas por meio de 
sistemas de apoio técnico, logístico e de 
gestão, buscam garantir a integralidade ao 
cuidado. Fundamenta-se na compreensão da 
APS como primeiro nível de atenção, 
enfatizando a função resolutiva dos cuidados 
primários sobre os problemas mais comuns 
de saúde e a partir do qual se realiza e 
coordena o cuidado em todos os pontos de 
Fernanda Iachitzki 
 
atenção. Os pontos de atenção a saúde são 
entendidos como espaços onde se oferta 
determinados serviços de saúde, por meui de 
uma produção singulas (BRASIL,2010) 
 
Organização anterior as redes de atenção 
à saúde 
 
 
 
 
Tínhamos uma organização piramidal, um 
sistema hierarquizado e fragmentado em que 
os níveis de atenção não se conversavam, e 
o paciente se perdia no meio do processo, o 
principal foco da atenção se perdia. 
A gente ainda tem esses níveis de atenção, 
mas não funciona mais como uma hierarquia, 
agora eles assumem a mesma importância 
dentro desse sistema de saúde. 
 
 
A organização em rede tem a APS como 
principal centro e o sistema todo conversa. 
 
Características das redes de atenção à 
saúde 
-Poliárquica- formação de relações horizontais 
entre os pontos de atenção, tendo APS como 
centro de comunicação; 
-Responsabilização por atenção contínua e 
integral; 
-Compartilhamento de objetivos e 
compromissos com resultados sanitários e 
econômicos; 
-Cuidado multiprofissional; 
-Centralidade nas necessidades de saúde da 
população (estruturar conforme a população); 
 
↳ Com isso, o objetivo é que a APS tenha 
capacidade para solucionar mais de 85% dos 
problemas de saúde de sua população 
(resolução). 
 
 
 
 
Fernanda Iachitzki 
 
Operacionalização 
Os elementos constitutivos das redes de 
atenção a saúde incluem população e região 
de saúde (pra atender eu preciso ter a 
população, e a região de saúde pra saber se 
essa população tem alguma 
vulnerabilidade/necessidade especial), também 
é um componente a estrutura operacional 
que são os componentes propriamente ditos 
das redes de atenção à saúde e preciso de 
um modelo de atenção à saúde. 
● População e região de saúde – População 
adscrita (que esta presente no território da 
UBS) - estimular o desenvolvimento de 
relações de vinculo e responsabilização entre 
as equipes e a população, garantindo a 
continuidade das ações de saúde e a 
longitudinalidade do cuidado..... 
 
● Estrutura operacional – Constituída pelos 
diferentes pontos de atenção à saúde. 
Dentro dessa estrutura operacional temos o 
centro de comunicação- exercido pela APS 
(coordenadora do cuidado), que ordena fluxos 
e contrafluxos de pessoas, produtos e 
informações entre os diferentes 
componentes das redes. 
Além disso nós temos os pontos de atenção 
nessa rede- espaços nos quais se ofertam 
determinados serviços de saúde (unidades 
básicas de saúde, unidades ambulatoriais 
especializadas, serviços de hemoterapia e 
hematologia, centros de apoio psicossocial...) 
Temos também pontos de apoio diagnóstico 
e terapêutico- unidades que ofertam 
procedimentos de apoio (diagnostico de 
imagem, patologia, analises clinicas e métodos 
gráficos). 
Sistemas de apoio- locais onde se prestam 
serviços comuns a todos os pontos de 
atenção à saúde (Sistemas de Apoio 
Diagnóstico e Terapêutico, Sistemas de 
Informação e Sistema de Assistência 
Farmacêutica. 
E Sistemas logísticos- consistem na efetivação 
de um sistema eficaz de referência e 
contrarreferência que orientam decisões 
assistenciais, de prevenção da doença e de 
promoção da saúde (comunicação entre as 
equipes e os serviços, a programação de 
ações e a padronização de determinados 
recursos) 
 
● Modelo de atenção à saúde – Sistema 
lógico que organiza o funcionamento da RAS 
-Modelo vigente: configuração inadequada; 
incoerência entre oferta de serviços e a 
necessidade de atenção 
-Modelo de atenção à saúde “pautado na 
defesa da vida”- capaz de responder as 
condições crônicas e as condições agudas e 
promover ações de vigilância e promoção a 
saúde, efetivando a APS como eixo 
estruturante da RAS no SUS. 
 
 
 
 
 
 
 
Fernanda Iachitzki 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fernanda Iachitzki 
 
Atenção farmacêutica 1 
Assistência farmacêutica integrada 
ao processo de cuidado 
 
 
Assistência farmacêutica integrada 
ao processo de cuidado em saúde 
Dentro do processo de assistência 
farmacêutica nós temos como se fossem 
duas etapas, dois campos de atuação do 
profissional farmacêutico. 
 
↳ Gestão técnica da assistência farmacêutica 
 
↳ Gestão clínica do medicamento 
 
 
● Gestão técnica da assistência farmacêutica- 
Consiste em um conjunto de atividade 
farmacêuticas focadas na qualidade, no acesso 
e no uso racional de medicamentos. 
 
 
 
 
↳ Envolve aquele ciclo da cadeia de 
abastecimento farmacêutico e da produção 
desse medicamento, então uma vez que