A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
60 pág.
Resumo Atenção Farmacêutica I

Pré-visualização | Página 4 de 16

a 
responsabilidade com o paciente. Quando a gente vai 
propor um plano de cuidado para o paciente, temos 
que garantir que ele está de acordo com esse plano, 
para que o tratamento seja efetivo. 
 
● 1990—Hepler e Strand- “Opportunities and 
responsabilities in the Pharmaceutical Care” 
 
-Nesse trabalho foi levantado um dado muito 
importante e impactante, eles colocam que 
cerca de 12 mil mortes, 15 mil hospitalizações 
devido a eventos adversos relacionados a 
medicamentos foram reportados pelo FDA 
em 1987, e muitas ainda não foram reportada, 
então ainda temos uma subnotificação da 
quantidade de mortes e hospitalizações por 
evento adverso a medicamento. E eles 
colocam que a morbimortalidade relacionada 
aos medicamentos são frequentemente 
previniveis, e os serviços farmacêuticos 
podem reduzir o número desses eventos 
adversos relacionados ao medicamento, 
também o período de hospitalização, e 
consequentemente o custo do cuidado (os 
custos do setor de saúde são reduzidos 
quando temos o farmacêutico inserido no 
processo de cuidado com o paciente. 
 
↳ Morbimortalidade e custos (doenças e 
medicamentos 
↳ Novo paradigma/ novo perfil farmacêutico 
(O farmacêutico vai ter que atuar monitorando 
o uso desses medicamentos pela população, 
para prevenir a ocorrência de eventos 
adversos, do mal uso, da falta de efetividade 
em decorrência do uso incorreto. 
 
●1993—OMS “El papel del farmacêutico em el 
sistema de Atención de Salud” 
 
↳ Assume o conceito de Hepler e Strand 
sobre cuidado farmacêutico 
 
↳ Estende Atenção Farmacêutica à 
comunidade (não fica só no meio hospitalar) 
 
↳ Prevenção de doenças e promoção da 
saúde 
 
● 1999- Declaração tel aviv - Associação 
medica mundial - sobre as relações 
profissionais entre médicos e farmacêuticos 
na terapia medicamentosa 
 
C. Responsabilidades do farmacêutico 
 
13. Assegurar a obtenção, armazenamento e 
distribuição segura de medicamentos (dentro 
das regulamentações pertinentes) 
 
14. Repasse de informações aos pacientes, que 
pode incluir o nome do medicamento, sua 
ação, interações potencias e efeitos 
secundários, como também o uso e 
armazenamento corretos. 
 
Mudança de foco 
Medicamento → Paciente 
ee 
 
 
 
15. Seguimento da prescrição para identificar 
interações, reações alérgicas, contra-
indicações e duplicações terapêuticas. As 
preocupações devem ser discutidas com o 
médico. 
 
16. A solicitação do paciente, discussão dos 
problemas relacionados com medicamentos 
ou preocupações com respeito aos 
medicamentos prescritos. 
 
17. Assessoramento aos pacientes, quando 
corresponda, sobre a seleção e utilização dos 
medicamentos não prescritos e o manejo dos 
sintomas ou mal-estares menores (aceitando 
a responsabilidade do dito assessoramento). 
Quando a auto-medicação não é apropriada, 
pedir aos pacientes que consultem os seus 
médicos para tratamento e diagnóstico. 
 
18. Informar as reações adversas aos 
medicamentos, às autoridades de saúde, 
quando necessário. 
 
19. Repasse e repartição de informação geral 
e específica relacionada com os 
medicamentos, e assessorar ao público e 
provedores de atenção médica. 
 
20. Manter um alto nível de conhecimentos 
sobre a terapia de medicamentos, através de 
um desenvolvimento profissional continuado. 
 
Cuidado farmacêutico – Brasil 
 
● 2001- Proposta de Consenso Brasileiro de 
Atenção Farmacêutica (OPAS) 
 
 
 
Componentes: 
 
 
 
 
● 2003 - Conferência Nacional de 
Medicamentos e Assistência Farmacêutica 
(aprova a AF como serviço de farmácia) 
 
Conselho Nacional de Saúde (aprova a Política 
Nacional de Assistência farmacêutica -
Resolução n° 338 de 06 de maio de 2004) 
-“As ações de Assistência Farmacêutica 
envolvem aquelas referentes à Atenção 
Farmacêutica, considerada como um modelo 
de prática farmacêutica, desenvolvida no 
contexto da Assistência Farmacêutica e 
compreendendo atitudes, valores éticos, 
comportamentos, habilidades, compromissos 
e co-responsabilidades na prevenção de 
doenças, promoção e recuperação da saúde... 
é a interação direta do farmacêutico com o 
usuário, visando uma farmacoterapia racional...” 
 
-Resolução n° 585 de 2013 do CFF- 
Regulamenta as atribuições clínicas do 
farmacêutico e dá outras providências- 
constitui a base legal para a atuação clínica do 
farmacêutico 
 
Resolução n° 586 de 2013 do CFF- Regula a 
prescrição farmacêutica e dá outras 
providencias 
 
Essas resoluções trazem alguns conceitos 
dentro da área do cuidado farmacêutico, que 
 
 
trazem as principais bases legais para atuação 
clínica do farmacêutico.. 
 
 A resolução n° 585 traz o cuidado centrado 
no paciente: relação humanizada que envolve 
o respeito às crenças, expectativas, 
experiencias, atitudes e preocupações do 
paciente ou cuidadores quanto às suas 
condições de saúde e ao uso de 
medicamentos, na qual farmacêutico e 
paciente compartilham a tomada de decisão e 
a responsabilidade pelos resultados em saúde 
alcançados. 
 
↳ Farmácia clínica: área da farmácia voltada à 
ciência e prática do uso racional de 
medicamentos, na qual os farmacêuticos 
prestam cuidado ao paciente, de forma a 
otimizar a farmacoterapia, promover saúde e 
bem-estar, e prevenir doenças. 
 
↳ Ciência- tem contribuído para o acúmulo de 
conhecimentos sobre a atuação clínica do 
farmacêutico e o aprimoramento de práticas 
profissionais 
 
↳ Pesquisa 
-Estudos de avaliação de tecnologias em 
saúde (revisões sistemáticas com meta-
análises, estudos farmacoeconômicos) 
 
-Estudos de serviços de saúde (ensaios 
clínicos) 
-Estudos de utilização de medicamentos 
(observacionais) 
 
Orienta a prática profissional – modelos de 
prática 
-Cuidado farmacêutico (modelo de prática) 
 
Cuidado farmacêutico 
 Modelo de prática que orienta a provisão de 
diferentes serviços farmacêuticos diretamente 
destinados ao paciente, à família e à 
comunidade. 
 
→Obejtivos dos modelos de prática: 
- Prevenção e resolução de problemas da 
farmacoterapia 
- Uso racional e ótimo dos medicamentos 
- Promoção, proteção e recuperação da 
saúde 
- Prevenção de doenças e de outros 
problemas de saúde 
 
Relação entre os constructos da 
área do saber farmácia clínica 
 
 
Aqui a farmácia clinica como grande área do 
saber vai nortear a prática profissional e a 
pesquisa, nessa pratica profissional nós temos 
um modelo de pratica que é o cuidado 
farmacêutico e como modelo de pratica ele 
vai contemplar a filosofia da pratica, qual é essa 
filosofia? o intuito maior é reconhecermos as 
necessidades de saúde do paciente e atende-
las, então quando pensamos em filosofia 
temos que pensar nas necessidades de saúde 
dos nossos paciente. 
 
 
Como modelo de pratica o cuidado também 
vai contemplar um processo de trabalho, 
método clinico, como vai ser o processo, 
como vamos prestar esse cuidado ao 
paciente. Nós temos um método, bem 
delineado e estruturado para promover o 
cuidado farmacêutico que vai incluir: coleta de 
dados do paciente, identificação dos 
problemas relacionados a farmacoterapia, 
elaboração do plano de cuidado em conjunto 
com o paciente e o segmento terapêutico 
desse paciente. 
Também requer uma gestão de prática, eu 
preciso de recursos para executar esses 
serviços, para conseguir praticar o cuidado 
farmacêutico, então eu preciso ter: ambiente 
apropriado, materiais apropriados, recursos 
humanos (capacitação), então é tudo que me 
permite praticar o cuidado farmacêutico, e 
tudo isso esta embasado em normas, nós 
temos a regulamentação dessa prática 
contemplando as resoluções 585 e 586, 
esses 4 fatores são bem importantes que a 
gente conheça para conseguir executar um 
cuidado farmacêutico. 
 
Quanto a pesquisa, nós temos áreas dentro 
da farmácia clinica como a :Prática profissional 
com modelagem e avaliação de serviços, 
então se eu vou implantar um serviço 
farmacêutico na farmácia comunitária eu 
preciso ter todo um estudo, sobre