A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Analise Junguiana - Beldan do filme Coraline

Pré-visualização | Página 1 de 2

Personalidade ll
BELDAM - UMA ANÁLISE JUNGUIANA
Gabriela Borges 
Izidoro Ferracini Neto 
FRANCA
2017
Gabriela Borges de Pádua Faleiros 
Izidoro Ferracini Neto
BELDAM - UMA ANÁLISE JUNGUIANA
 Trabalho apresentado como requisito 
parcial de A2 apresentado ao curso 
de psicologia da Universidade De Franca.
Orientadora: Rita Aparecida Oliveira Martins.
FRANCA
2017
SUMÁRIO
INTRODUÇÃO	6
1 HISTÓRIA DE BELDAM	7
2 RESUMO OBJETIVO DO FILME CORALINE	8
3 ANÁLISE JUNGIANA SOBRE BELDAM................................................................. 9
CONSIDERAÇÕES FINAIS	24
REFERÊNCIAS	25
ANEXOS	26
RESUMO
Nesse trabalho será apresentada uma análise de acordo com a teoria analítica de Jung da personagem Beldam, uma vilã do filme e livro Coraline. Coraline é um filme em stop-motion baseado no livro de mesmo nome, do autor britânico Neil Gaiman. O filme chegou a faturar mais de 16 milhões de dólares, apenas no fim de semana de estréia, e sendo indicado ao Oscar de 2010, tendo sido respectivamente lançado em 2009.
Palavras-chave: Análise Junguiana; Coraline; Psicologia Analítica; Arquétipos; Complexos.
Capa do filme Coraline 2009.
INTRODUÇÃO
Esse trabalho tem como objetivo analisar de acordo com as teorias de Jung, a obra Coraline, obtendo como informação seu livro e filme. No decorrer dessa análise será encontrada exemplos de persona, sombra, símbolos, ego, e algumas outras teorias de Carl Jung.
Em primeiro lugar contaremos a história de Beldam no filme, o resumo do mesmo, enfatizando seus desejos e sua importância na história. Vamos encaixar em cada parte do filme um simbolismo de Beldam.
1. HISTORIA DE BELDAM 
Beldam uma vilã incrível não tem uma história definida e contada para o público. Sabemos pouco sobre seu passado, o que temos certeza é que ela já foi humana, e teve uma mãe, isso foi enfatizado no livro, o resto que temos são teorias criadas por fãs, então não vamos entrar nessa parte.
Nem o livro e nem o filme contam detalhes sobre a personagem, tudo o que podemos fazer é inferir. Beldan é provavelmente bastante velha, pois ficou claro que ela tem enganado crianças por muito tempo. Seu verdadeiro nome é desconhecido e a forma como ela chegou ao Outro Mundo é uma incógnita. Algumas teorias dizem que ela caiu no poço retratado na história de Coraline e que o Outro Mundo não era nada além de um espaço vazio até que ela tomou o controle e o moldou para aquilo que lhe era mais conveniente. 
Ela tem necessidade de devorar almas, o que foi deixado bem claro no filme e no livro, mas se as almas que ela precisa tem de ser de crianças ou se as crianças apenas são um alvo mais fácil é impossível dizer. Seu corpo é, pelo menos no filme, parcialmente mecânico.
Outro aspecto da personagem deixado bem claro é que ela não pode deixar o Outro Mundo, pelo menos não completamente ou verdadeiramente. No filme uma de suas mãos vai atrás de Coraline e tenta recuperar a chave da porta, mas esse é uma mão mecânica, ou seja, não realmente parte do corpo de Beldan.
 Beldan, a outra mãe, é um dos mistérios mais intrigantes da história de Coraline. A incerteza existente em seu personagem é extremamente curiosa e fonte de inúmeras teorias e ideias, das quais nenhuma foi comprovada.
2. RESUMO OBJETIVO DO FILME CORALINE
O filme conta a história de Coraline, uma menina que se mudou para o Palácio Cor-de-rosa com os seus pais. Ao ficar curiosa e tentar encontrar um poço de água, conheceu um novo amigo, o Wybie, que lhe ofereceu uma boneca muito parecida com ela, que segundo ele encontrou no porão de sua avó. Coraline estava sempre a tentar chamar a atenção dos pais, mas como nunca conseguia, resolveu explorar a sua nova casa através do incentivo de seu pai. Encontrou muitas portas e janelas, e descobriu na sala uma pequena porta tapada com papel de parede. A menina resolveu pedir à mãe para lhe abrir a porta, mas descobre que por detrás dela só existem tijolos. 
De noite, Coraline vai até à pequena porta e atravessa-a. Do outro lado encontra um mundo semelhante ao seu, mas onde tudo era como ela sempre desejou. Neste lado toda as pessoas, no lugar dos olhos, tinham botões. A certa altura, a sua outra mãe diz-lhe que se ela deseja ficar naquele mundo para sempre, terá de usar botões em vez de olhos. Como Coraline se recusou a usá-los, a outra mãe castigou-a, prendendo-a dentro de um espelho. Neste espelho, Coraline conhece 3 fantasmas. Um deles era a irmã da avó do Wybie que tinha desaparecido quando visitou o Palácio Cor-de-rosa. Estes fantasmas contaram que a outra mãe lhes costurou botões nos seus olhos, e que lhes tinha tirado suas almas. Esses fantasmas chamam a outra mãe de Beldan. Finalmente, Coraline consegue voltar ao seu verdadeiro mundo, mas quando chega em casa não encontra os seus pais verdadeiros. Então resolve voltar ao outro mundo e apostar com a outra mãe que conseguia encontrar os seus pais e os olhos das crianças que ela tinha aprisionado. Se Coraline conseguisse, ela libertaria as crianças e os seus pais; se não conseguisse, ela poderia costurar botões nos olhos de Coraline. Coraline consegue encontrar os 3 olhos com a ajuda do Gato e, com a ajuda dele e dos 3 fantasmas, consegue libertar os pais verdadeiros daquele espelho maléfico. A outra mãe, mesmo sabendo que Coraline tinha ganho a aposta, não a quis deixar escapar. Mas, com a ajuda dos fantasmas e do Gato, Coraline consegue derrotar a outra mãe e volta para o mundo real. Já em casa, trancam a pequena porta. Coraline descobre que a outra mãe a espiava através dos olhos da boneca oferecida pelo Wybie e resolve destruir a chave e a boneca, para que aquela bruxa má nunca mais engane ninguém. No fim do filme Coraline joga a chave no poço. 
3. ANÁLISE JUNGUIANA SOBRE BELDAM
Beldam começa o filme fazendo uma persona (boneca) sendo uma cópia fiel e extremamente parecida com Coraline (anexo 1). Através dessa persona iria observar todos os passos de Coraline até descobrir uma maneira de manipular a menina até sua armadilha. Coraline gostou bastante da boneca, tanto que a chamou de “pequena eu” e a levou para todo canto (fazendo com que o plano da Beldam se cumprisse).
A primeira vez que Coraline atravessa a pequena porta (anexo 2) ela se encontra com aquela que iremos nos referir apenas como Beldam. Nesse momento Beldam está usando uma aparência idêntica à da mãe de Coraline, levando a menina a chamá-la de a “outra mãe”. A única diferença entre Beldam e a verdadeira mãe de Coraline, nesse momento são os olhos de botão, que possuem um pesado simbolismo, muitas vezes fazendo referência à percepção intelectual e a espiritualidade. Os olhos também nos levam a pensar no ditado popular de que “os olhos são a janela da alma”, sua falta sendo um sinal da inexistência ou falta de alma. Beldam tem poder de criar fantoches, e cria o pai da Coraline, claro que também com olhos de botão, deixando bem claro que ela somente controla a persona da outra mãe, já o pai fantoche tem apenas que obedecer Beldam. (Anexo 3).
Beldam inicialmente se apresenta como uma mãe perfeita, tudo o que Coraline desejava que sua verdadeira mãe fosse. Isso é, de acordo com Jung (apud Silveira, 1997) uma persona, uma falsa roupagem que não corresponde com sua forma autentica de ser, cujos moldes foram retirados da psique coletiva. Coraline fica encantada com aquele Outro Mundo, mas para ficar Beldam lhe diz que deve permitir que ela costure botões no lugar dos olhos, essencialmente, vendendo sua alma (Anexo 4). Nesse momento começamos a perceber que Beldam pode ser interpretada como um ser formado inteiramente pela sombra, encarnando os aspectos mais obscuros e indesejáveis da humanidade. (Anexo 5). 
“Quando uma pessoa tenta ver a sua sombra ela fica consciente (e muitas vezes envergonhada) das tendências e impulsos que nega existirem em si mesma, mas que consegue perfeitamente ver nos outros — coisas como o egoísmo, a preguiça