A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
103 pág.
Apostila Pré-natal

Pré-visualização | Página 1 de 17

1. O que é e como é realizada a Manobra de Leopold? Qual a idade 
gestacional para ser aplicada? 
2. Como se organiza o serviço de pré-natal? E o que ele deve ter pra funcionar e pra 
ser ativado? 
3. Quantas semanas, dias, trimestres duram uma gestação? E como são divididos 
esses trimestres? 
4. Qual o número de consultas pré-natais que uma gestante tem que ter no mínimo? 
E como são divididas essas consultas por trimestre? (Incluindo as consultas 
trimestrais). 
5. O que é plano de parto, nomenclatura gesta, para e aborto? 
6. Qual a posição que o útero toma de acordo com a gestação? Por quê? 
7. Cite tudo sobre mobilograma. 
8. O que é a DDP? Como se calcula? O que é a IG? Como se calcula? Explique a 
Regra de nagelly. 
9. Como é feita a avaliação nutricional da gestante? 
10. Quais os parâmetros dos BCFs? 
11. Quais vacinas a gestante deve tomar? Quais vacinas são contraindicadas? Manual 
SBIM 
12. Quais os exames solicitados no pré-natal em cada semestre? 
13. Como se faz o diagnóstico da gravidez? Explique e especifique os sinais de 
presunção, probabilidade e certeza da gestação. 
14. Quais os riscos que uma infecção urinária traz para a gestação? 
15. Qual a quantidade de urina residual que deve permanecer na bexiga? 
16. Qual o tempo correto para prescrever o sulfato de ferro na gestação? 
17. O que é a rede cegonha? Discorra sobre o pré-natal do parceiro. 
18. Especifique o período exato para o feto: pré-termo, à termo, pós-termo, pós 
datismo. 
19. Discorra sobre os principais fatores que levam a morbimortalidade materna. 
 
 
 
 
 
 
 
 
1. O que é e como é realizada a Manobra de Leopold? Qual a idade gestacional para 
ser aplicada? 
 
 
 
 
 
 
 
REFERÊNCIAL TEÓRICO: 
 
É uma técnica que visa a identificação da apresentação, posição e situação fetal. 
Temos a apresentação cefálica ou pélvica. Situação transversal oblíqua ou longitudinal. 
Posição direita ou esquerda. Variedade de posição (anterior, posterior e transversa). O 
profissional primeiro deve certificar-se que a mulher esvaziou a bexiga previamente, a 
mulher deve deitar de costas com os seus ombros levemente elevados com um travesseiro 
(MATA, J. A L., 2017). 
O abdômen da mulher deve ser descoberto, e como ato de humanização é 
importante que o profissional aqueça as mãos antes da palpação. É possível a realização 
da manobra a partir da 36° semana de gestação e são quatro passos para a total realização 
da Manobra de Leopold: 
 
ETAPA DESCRIÇÃO 
Delimitação do fundo do útero Promoção do rechaço fetal. 
Palpação Palpar o dorso fetal e membros através do 
espalmar das mãos no dorso do útero, uma 
fixa e outra móvel, ao encontrar a 
superfície rígida e contínua identifica-se o 
dorso onde se ausculta os BCFs ao lado e a 
espessura do útero. 
Exploração da mobilidade cefálica Explora a mobilidade do polo fetal em 
relação ao estreito superior do trajeto 
pélvico. Ao apreender esse pólo fetal entre 
o polegar e o indicador da mão direita, 
imprimindo movimentos laterais para 
procurar precisar o grau de penetração da 
apresentação na bacia. 
Exploração da escava Com as extremidades dos dedos, palpa-se a 
pelve para tentar reconhecer o pólo 
cefálico ou o pélvico, e,assim, determinar 
o tipo de apresentação do concepto. O 
produto dessa palpação pode ser: 
-Escava completamente ocupada pela 
região fetal (que é o polo cefálico); 
- Escava incompletamente ocupada (polo 
pélvico); 
- Escava está vazia (apresentação córmica). 
 
 
Na apresentação cefálica, se a cabeça está alta e móvel, os dedos quase se 
tocam pelas extremidades e descem por igual enquanto se apresenta como 
insinuada, o toque se mostra desigual. Na apresentação pélvica, mesmo insinuada, 
os dedos de um lado e de outro transpassam igualmente. Reconhece-se um corpo 
esferóide, irregular, redutível e a indicação para as manobras de Leopold são para 
gestantes a partir do segundo trimestre gestacional (MATA, J. A L., 2017). 
 
REFERÊNCIAS: 
 
Curso de Especialização em Linhas de Cuidado em Enfermagem , Saúde Materna, 
Neonatal e do Lactente. Módulo 6: Saúde materna, neonatal e do lactente: Enfermagem 
na atenção à saúde materno-fetal – pré-natal. Acessado em: 10/12/2019. Disponível em: 
https://unasus2.moodle.ufsc.br/pluginfile.php/13944/mod_resource/content/4/un03/top0
4p04.html 
 
MATA, J. A. L. da; SHIMO, A. K. K. Apresentação social da arte da pintura do ventre 
materno para gestantes. Revista pequisa qualitativa. São Paulo (SP), Vol. 5, N° 8, 
Pág. 250-268, Agosto – 2017. Acessado em: 12/12/2019. Disponível em: 
https://editora.sepq.org.br/index.php/rpq/article/view/113/80 
 
 
MEU ESPAÇO: 
 
Realização dos 4 passos da Manobra de Leopold: 
 
 
 
 
 
 
https://unasus2.moodle.ufsc.br/pluginfile.php/13944/mod_resource/content/4/un03/top04p04.html
https://unasus2.moodle.ufsc.br/pluginfile.php/13944/mod_resource/content/4/un03/top04p04.html
https://editora.sepq.org.br/index.php/rpq/article/view/113/80
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
2. Como se organiza o serviço de pré-natal? E o que ele deve ter pra funcionar e pra 
ser ativado? 
 
 
 
 
 
 
REFERÊNCIAL TEÓRICO: 
 
O serviço do pré-natal se inicia antes mesmo do diagnóstico da gravidez, no 
período pré concepcional, onde a mulher realiza o planejamento familiar e já recebe as 
suas primeiras orientações quanto a suplementação alimentar, exames preventivos, 
utilização do ácido fólico e a implementação de intervenções para cada demanda 
levantada na anamnese completa (BRASIL, 2012). 
Existe a necessidade de um bom conhecimento territorial dentro do programa de 
pré-natal pois quanto mais cedo for captada a gestante - o ideal é que seja até a 12• semana 
- melhor será seu acompanhamento e mais agravos serão prevenidos, dessa forma, melhor 
será a assistência integral. Além disso, esse segmento tem como porta de entrada as 
unidades de atenção básica e são dotados da necessidade de vínculo com os demais níveis 
de atenção em complexidade para gestantes bem como de um bom sistema de referência 
e contra referência visto que para a necessidade do acompanhamento da gestante em um 
serviço de alta complexidade ou até mesmo de neonatal, ela precisa estar em posse de seu 
caderno gestacional, seus dados médicos e com uma devolutiva do que lhe leva a tal 
serviço (RODRIGUES, W. F. G., 2017). 
São asseguradas pelo Caderno de Atenção Básica Pré-natal, no mínimo 6 
consultas e continuidade do atendimento. O programa também consiste na atividade de 
educação em saúde ou rodas de conversa com a população feminina e de gestantes a 
respeito de assuntos pertinentes a necessidade e a importância do pré-natal bem como 
sobre os cuidado com o neonato e o período de puerpério (BRASIL, 2012). 
A mulher deve passar pelo processo de rastreamento de câncer do colo do útero e 
câncer de mama através do exame de colpocitologia oncótica e a ultrassonografia da 
mama/mamografia, respectivamente. Também será necessária a indicação ao serviço de 
testagem rápida para sífilis, hiv e as hepatites assim como essas usuárias devem ser 
orientadas quanto a imunização antitetânica e para hepatite B (RODRIGUES, W. F. G., 
2017). 
Também deve ser realizada a triagem nutricional, as orientações e o estímulo a 
uma alimentação saudável e de qualidade bem como a prática de atividade física 
considerando as dificuldades e vulnerabilidades a qual essa usuária está sujeita conforme 
a visão holística preconizada no atendimento em saúde. Outro aspecto a ser investigado 
e orientado para essas mães e futuras mães cabe ao reconhecimento dos diversos tipos de 
violência que essa mulher já viveu ou está vivendo sem que reconheça (THOMASI, E., 
2017). 
Na perspectiva do parceiro, é estimulada a sua inserção no pré-natal pelo 
programa do pré-natal do parceiro onde ele é integrado a todo o processo de cuidado e 
orientado quando a sua importância e suas possíveis atribuições nesse processo