A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
12 pág.
Histologia do Sistema Digestório

Pré-visualização | Página 1 de 3

MARÍLIA ARAÚJO – P2 MEDICINA 
 
Histologia do 
Sistema Digestório 
• Trato digestivo (cavidade oral, esôfago, 
estômago, intestino delgado e grosso) 
• Glândulas associadas: salivares, fígado e 
pâncreas; 
• Função de obter as moléculas 
necessárias para a manutenção, o 
crescimento e as demais necessidades 
energéticas do organismo a partir dos 
alimentos ingeridos 
• Absorção dos nutrientes: intestino 
delgado → depois de os alimentos 
serem degradados 
• Intestino grosso: reabsorção de água e 
absorção de sais minerais e vitaminas 
• O fígado faz o processo de triagem dos 
alimentos que chegam 
EMBRIOLOGIA 
 
• O intestino é formado pela mesma 
camada dos folhetos embrionários 
(ectoderme, endoderme e mesoderme) 
• Membrana orofaríngea – região onde se 
desenvolve a boca. Entra em contato 
com a mesoderme, que desenvolve o 
sistema digestório. Todo o tubo em 
formação (da boca até o ânus) possui a 
mesma origem embrionária. Por conta 
disso, as características histológicas são 
semelhantes 
• A região da boca e a do tubo digestório 
possuem epitélio estratificado. 
ESTRUTURA GERAL 
 
• Tubo oco composto por um lúmen, ou 
luz 
• Mucosa 
 Epitélio de revestimento: por onde 
passa o lúmen. 
 Lâmina própria: possui vasos 
linfáticos que servem para proteção. 
 Muscular da mucosa (é mais delgada 
do que a própria camada muscular. 
Controla o tamanho do lúmen, 
fazendo com que o alimento tenha 
mais ou menos contato com o 
epitélio de revestimento) 
• Submucosa: camada de divisão onde se 
encontra vasos sanguíneos, linfáticos e 
nervosos 
• Muscular (movimentos peristálticos). 
Possui duas direções de feixes. Uma para 
promover a constrição do bolo alimentar 
e outra para empurrar ao longo do tubo 
 Circular interna 
 Longitudinal externa 
• Serosa ou Adventícia (a serosa fica só 
na parte do esôfago, antes de entrar na 
camada peritoneal, passando a ser 
adventícia) 
MARÍLIA ARAÚJO – P2 MEDICINA 
 
• Nódulos linfoides: presentes no 
intestino grosso e no esôfago (combate 
imunológico na presença de infecções) 
CAVIDADE ORAL 
 
• É formada pela ectoderme 
• Vestíbulo é o espaço entre os lábios, 
bochechas e dentes 
• Cavidade oral fica por trás dos dentes e 
é delimitada pelos palatos duro e mole, a 
língua e o assoalho da boca e a entrada 
da orofaringe posteriormente 
• Os dentes possuem histologia similar a 
dos ossos 
• Tecido epitelial pavimentoso 
estratificado: 
 Queratinizado: palato duro e 
gengiva. 
 Não queratinizado: palato mole, 
lábios, bochechas e assoalho da 
boca. 
 
Tecido epitelial queratinizado do palato duro 
• Lâmina própria: 
 Camada espessa contendo papilas 
(as mesmas encontradas na pele, não 
são as gustativas) 
 Tecido conjuntivo frouxo 
 Vasos sanguíneos 
 Nervos 
LÍNGUA 
• Órgão responsável por parte da 
digestão 
• A língua é uma massa de músculo 
estriado esquelético revestida por uma 
camada mucosa 
• O tecido muscular da língua é revestido, 
principalmente, por tecido epitelial 
estratificado queratinizado 
• Lâmina própria = tecido conjuntivo 
frouxo 
• Feixes de fibras musculares separadas 
por tecido conjuntivo frouxo. Esses 
feixes proporcionam a movimentação 
da língua em várias direções 
• Superfície ventral (inferior) da língua é 
lisa enquanto a superfície dorsal é 
irregular (papilas) 
• O tecido epitelial possui as papilas, que 
são elevações do epitélio oral e lâmina 
própria que assumem diversas formas e 
funções 
 
Ep = tecido epitelial / CT = tecido conjuntivo 
frouxo / M = camada muscular 
MARÍLIA ARAÚJO – P2 MEDICINA 
 
 
PAPILAS FILIFORMES 
• São as mais abundantes 
• Epitélio de revestimento estratificado 
queratinizado 
• Não contêm botões gustativos 
• Formato cônico alongado 
• Função de fricção/atrito entre o alimento 
e a língua 
• No meio do tecido epitelial da papila, há 
tecido conjuntivo (lâmina própria), é a 
projeção tridimensional do tecido 
 
PAPILAS FUNGIFORMES 
• Lembra a estrutura de cogumelo 
• Base estreita e uma superfície mais 
dilatada e lisa 
• Contêm poucos botões gustativos 
• Distribuídas entre as papilas filiformes 
 
PAPILAS FOLIADAS 
• Pouco desenvolvida em humanos 
adultos (comum em gatos, por exemplo) 
• Contém muitos botões gustativos 
• Formam rugas paralelas separadas por 
sulcos 
 
PAPILAS CIRCUNVALADAS 
• Estruturas circulares grandes 
• As superfícies achatadas se estendem 
acima das outras papilas 
• Distribuídas na porção posterior da 
língua; 
• Botões gustativos impregnados no 
tecido epitelial (estratificado 
queratinizado) 
• Numerosas glândulas serosas (glândulas 
de Von Ebner) → produção de muco 
para limpeza dos botões gustativos e 
promoção da sensação de sabor maior 
MARÍLIA ARAÚJO – P2 MEDICINA 
 
 
OBS: Não existe uma região da língua onde 
existe uma maior sensação de determinado tipo 
de sabor 
BOTÕES GUSTATIVOS 
• Aparecem como corpos ovais que se 
estendem através do epitélio 
• Responsáveis pela percepção dos 
sabores 
• Está submerso no tecido epitelial 
• O poro gustativo é onde a molécula do 
alimento entra 
 
• Células de suporte: dão suporte para as 
células gustativas 
• Células gustativas: sentem o sabor e 
eventualmente morrem. Precisam ser 
substituídas por células novas 
• Células basais: células tronco (90%), 
repõem as células gustativas e as de 
suporte 
• Fibras nervosas aferentes: mandam 
mensagem para o SNC, dando uma 
resposta de sabor (doce, salgado, 
amargo, etc.) 
• Nas microvilosidades, há proteínas com 
conformação do tipo chave-fechadura, 
onde a molécula se liga ao alimento para 
dar a sensação do sabor 
 
NF = fibra nervosa / TP = poro gustativo / SC = 
células de suporte / NSC = células sensitivas / 
BC = célula basal 
ESÔFAGO 
• Tubo muscular com função de 
transportar o alimento da boca para o 
estômago 
• Não tem propriedade de fazer a 
digestão 
• Revestido por um epitélio pavimentoso 
estratificado não queratinizado 
 
• Lâmina própria: 
 Células musculares lisas longitudinais 
 Vasos, nervos, nódulos linfáticos 
 Glândula esofágica da cárdia – 
secretora de muco (próximo ao 
estômago) 
MARÍLIA ARAÚJO – P2 MEDICINA 
 
• Submucosa: 
 Tecido conjuntivo denso 
 Rico em vasos sanguíneos e linfáticos 
 Plexo de Meissner (fibras nervosas) 
 Glândulas esofágicas: secretam muco 
 
• Muscular externa: 
 “Músculo estriado no primeiro terço 
do esôfago” → No movimento da 
deglutição, há um controle do 
movimento peristáltico. Por isso, 
parte do esôfago possui células 
musculares estriadas 
 Circular (interna) 
 Longitudinal (externa) 
• Adventícia: 
 Rica em tecido adiposo 
 Na primeira parte do esôfago 
 Tecido conjuntivo 
• Serosa: 
 Dentro da cavidade peritoneal 
 
StM = muscular estriado / SM = muscular liso 
• No meio do esôfago, há mistura de 
músculo estriado e músculo liso. Do final 
do esôfago até o fim do tubo digestivo, 
há somente músculo liso 
 
• A camada da mucosa possui o tecido 
epitelial, que repousa sobre uma lâmina 
própria, e também possui a muscular da 
mucosa. A camada mais inferior da 
imagem, a muscular, é que faz os 
movimentos peristálticos 
 
 
MARÍLIA ARAÚJO – P2 MEDICINA 
 
• Na camada muscular, há dois feixes de 
direcionamento, o mais interno, mais 
próximo do lúmen, é circular a ele, o 
mais externo é perpendicular a ele. Um 
faz o movimento de fechar o lúmen e o 
outro faz o movimento de empurrar o 
alimento ao longo do esôfago 
ESTÔMAGO 
• Segmento dilatado do trato digestivo 
• Responsável por parte da digestão dos 
alimentos 
 Produção do quimo. 
• Dividido em quatro porções: 
 Cárdia 
 Fundo 
 Corpo 
 Piloro (antro) 
 
• Mucosa 
 Formada por epitélio glandular 
simples (única camada), cuja unidade 
secretora é tubular e ramificada e 
desemboca na superfície, em uma 
área denominada fosseta gástrica. 
• Lâmina própria 
 De