A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Arboviroses

Pré-visualização | Página 1 de 4

Arboviroses 
• REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA: MURRAY, Patrick R.; 
ROSENTHAL, Ken S.; PFALLER, Michael A. 
Microbiologia médica - 8. ed. - Rio de Janeiro: Elsevier, 
2017. Cap. 52: Togavírus e Flavivírus. 
• Dentro do reino animal, no filo dos artrópodes, temos 
insetos, aracnídeos e crustáceos - quando falamos em 
arboviroses, estamos abrangendo um grupo de vírus 
que vivem nos artrópodes. 
• ARBOVIROSES: são viroses transmitidas por 
artrópodes. 
• NÃO UMA FAMÍLIA VIRAL: existem várias famílias 
capazes de causar as doenças - ex: Flaviviridae, 
Togaviridae, Bunyaviridae… 
↪ trata-se apenas de uma classificação pelo fato desses 
vírus serem transmitidos por artrópodes. 
• DOENÇAS QUE PODEM SER CAUSADAS PELOS 
ARBOVÍRUS: encefalites, febres hemorrágicas… 
• CADEIA DE TRANSMISSÃO: vírus → vetor 
(artrópodes) → hospedeiro vertebrado (podem ser 
macacos, aves, o próprio ser humano…) → homem 
(ou outro hospedeiro final). 
• ECOLOGIA: a ↑ quantidade de florestas nos expõe à 
um ↑ risco de contrair alguma arbovirose. 
 
➱ Visão Geral das Arboviroses: 
• Existem +600 espécies de arbovírus reconhecidas, 
sendo que 210 espécies já foram isoladas no Brasil e 
36 delas são capazes de causar doenças nos seres 
humanos de forma esporádica, endêmica e/ou 
epidêmica. 
↪ ex: epidemia de dengue. 
• FAMÍLIA Flaviviridae: vírus da dengue, febre amarela, 
Nilo Ocidental, Zika, Rocio, vírus da encefalite de St. 
Louis. 
• FAMÍLIA Bunyaviridae: Vírus Oropuche, La Crosse, 
vírus da encefalite da Califórnia. 
↪ o Oropuche possui sintomatologia similar à do vírus 
da dengue. 
• FAMÍLIA Togaviridae: Vírus Mayaro, Chikungunya, 
vírus de encefalites equinas - venezuelana, do leste e 
do oeste. 
↪ muitas vezes o paciente está com Mayara e obtém 
o diagnóstico de Chikungunya - isso ocorre pois ambos 
os vírus são da mesma família viral. 
• TRÍADE DAS ARBOVIROSES MAIS COMUNS: dengue, 
zika (ambos da família Flaviviridae) e Chikungunya 
(família Togaviridae). 
• Ocorreram alguns casos esporádicos de febre amarela 
e a extensa campanha de vacinação foi suficiente para 
controlar os casos da epidemia de 2017. 
➱ Doenças Causadas pelos Arbovírus: 
• Doenças febris (ex: rash); 
• Encefalites; 
• Febre hemorrágicas; 
• Os arbovírus estão associados à epidemias e muitos 
deles não são identificados. 
➱ Vetores dos Arbovírus: são exclusivamente os 
artrópodes. 
• Mosquitos - ex: Culex, Aedes; 
• A ECOLOGIA DO VETOR ESTÁ RELACIONADA COM 
A ECOLOGIA DA DOENÇA: na febre amarela, p. ex, 
temos um ciclo silvestre e um ciclo urbano, sendo que 
o vetor mostra-se como o diferencial para a 
identificação do ciclo. 
• As arboviroses precisam realiz ar um ciclo em um 
hospedeiro invertebrado, no caso do Aedes aegypti, 
por exemplo, ele permite a infecção por diferentes 
tipos de arbovírus (diferentes tipos de arbovírus são 
capazes de reconhecer receptores do Aedes aegypti). 
• Em laboratório, algumas linhagens de insetos podem 
ser utilizadas para realizar a replicação viral, ↑ sua 
população. 
➱ Hospedeiros Vertebrados Arbovírus: 
• É onde o vírus se mantem, realizando viremia, mostra-
se como um reservatório de longo prazo. 
• Esses indivíduos não são afetados gravemente e são 
migratórios. 
• Nas arboviroses, podemos ter um ciclo urbano e um 
ciclo silvestre: 
↪ CICLO URBANO: artrópode → homem - é um 
artrópode urbano, não faz parte do ciclo silvestre, ocorre 
quando o vírus é capaz de realizar no artrópode sua 
replicação e infectar o indivíduo na cidade. 
↪ CICLO SILVESTRE: artrópode → vertebrado → 
artrópode → homem - nesse caso, o homem entra em 
contato com o artrópode da floresta/mata preservada. 
* o homem pode se expor à esse artrópode durante a 
realização de trilhas, p. ex. 
 
➱ Controle das Arboviroses: 
• PROFILAXIA: VACINAS - ex: febre amarela. 
• CONTROLE DO VETOR: é o ponto mais importante - 
pode ser realizado através de educação pública (ex: 
campanhas para controle da reprodução do Aedes 
aegypti). 
➱ Patogênese: 
• Infecção ocorre logo após a picada, onde teremos 
uma replicação epitelial e/ou nos macrófagos e 
monócitos. 
• O quadro inicial dessas arboviroses é um Flu-like: 
parece um quadro de resfriado comum - sinais e 
sintomas são semelhantes (dor no corpo, cefaleia…). 
• Podem causar viremia, possuindo um tropismo 
secundário para o seu órgão alvo. 
➱ Recuperação: 
• Segue a mecanística padrão da imunidade inata, 
presença das células NK e interferon. 
• Também haverá participação da imunidade celular e 
humoral. 
• Anticorpos atuam no controle da viremia. 
➱ Diagnóstico das Arboviroses: 
• São de difícil diagnóstico. 
• Ex: Chikungunya - paciente apresenta lesões 
eritematosas nos mmii semelhantes às da erisipela, só 
é cogitada a Chikungunya quando percebe-se que 
essa presença é bilateral, porém nem sempre ela é. 
• Existem características específicas de determinados 
tipos de arboviroses - ex: dengue - dor atrás do olho; 
Zika - rash (vermelhidão no corpo com coceira).; 
Chikungunya - poliartralgia unilateral ou bilateral. 
• Por esse motivo, o diagnóstico laboratorial é MUITO 
IMPORTANTE! 
• EXAMES LABORATORIAIS: 
↪ ELISA - métodos imunoenzimáticos. 
↪ PCR - reação em cadeia da polimerase: encontra o 
material genético viral. 
• GÊNERO: Flavivírus. 
• É um vírus icosaédrico. 
• ssRNA+: é um virus de RNA fita simples positiva (já é 
um RNAm, A PARTÍCULA VIRAL CONSEGUE SER 
DIRETAMENTE MONTADA NO CITOPLASMA) - 
possuem uma única sequência aberta de leitura, ou 
seja, quando esse RNA é traduzido, temos a produção 
de uma grande poliproteína que será clivada através 
da ação de proteases em proteínas estruturais e não-
estruturais. 
↪ PROTEÍNAS ESTRUTURAIS: formam a estrutura viral 
- ex: proteína do capsídeo viral, proteína pré-membrana 
está entre o capsídeo viral e ao envelope, proteína E 
(ligada ao envelope). 
↪ PROTEÍNAS NÃO-ESTRUTURAIS: são 7 no total e 
estão presentes no momento da replicação viral - ex: 
NS1, NS2A, NS2B, NS3, NS4A, NS4B e NS5 
• ENVELOPADO. 
• PRESENÇA DE CAPSÍDEO: material genético está 
dentro do capsídeo. 
• FAMÍLIA QUE ABRANGE OS SEGUINTES VÍRUS: 
↪ VÍRUS DA DENGUE: com 4 sorotipos. 
↪ VÍRUS DA FEBRE AMARELA: com apenas 1 sorotipo. 
↪ ZIKA VÍRUS: acredita-se que seja apenas um 
sorotipo. 
• COMO OCORRE A AREPLICAÇÃO VIRAL DA 
FAMÍLIA FLAVIVIRIDAE: 
↪ o vírus realiza adsorção à célula hospedeira e será 
endocitado - a proteína G do envelope viral é capaz de 
absorver múltiplos receptores de diferentes tipos 
celulares em diferentes hospedeiros. 
↪ após ser endocitado, teremos o DESNUDAMENTO - 
liberação do material genético viral no citoplasma, onde 
ele será dividido para duas finalidades: 
- PRODUÇÃO DE POLIPROTEÍNAS: uma vez que esse 
material é um RNA fita simples positiva, nos 
ribossomos esse RNA sintetizará uma poliproteína, 
composta por proteínas estruturais e não estruturais. 
- PRODUÇÃO DO SEU PRÓPR IO MATER IAL 
GENÉTICO: nesse ssRNA (+) teremos a síntese de 
um molde de ssRNA (-) que posteriormente 
sintetizará vários progênies de ssRNA (+) que serão 
colocados dentro do envelope virão e posteriormente 
sairão da célula por exocitose. 
➱ Dengue: 
• Possui quatro sorotipos (DENV 1-4): dengues 1, 2, 3 e 
4. 
↪ sorotipos 1 e 4: associados à casos mais leves. 
↪ sorotipos 2 e 3: são mais graves. 
* a gravidade da doença também está relacionada com 
o polimorfismo de HLA, ou seja, depende da genética 
do paciente - dependendo disso, teremos uma 
diferente resposta imune sendo desenvolvida contra o 
vírus. 
↪ dentro dos sorotipos também temos os GENOTIPOS, 
que são pequenas variações dentro dos vírus: dengue 1 
e 2 (5 genótipos), dengue 3 (4 genótipos) e dengue 4 
com (2 genótipos). 
• É uma doença febril viral aguda. 
• A maior parte dos pacientes apresenta uma clínica 
leve e autolimitada, apenas uma pequena parte evolui 
para forma grave da doença. 
• PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA MUNDIAL: é a 
arbovirose mais importante que afeta o ser humano. 
• Juntamente com o vírus da febre amarela,