A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
TABELA VÍRUS, PATOLOGIAS E SINTOMAS.

Pré-visualização | Página 3 de 5

ou 
nenhum papel na proteção contra a infecção pelo vírus da 
raiva É minimamente citolítica e raramente causa lesões 
inflamatórias. Diagnóstico: Imunofluorescência direta, RT-
PCR, são observados Corpúsculos de Negri (inclusões 
intracitoplasmáticas em neurônios afetados. OBS: NÃO 
TEM TRATAMENTO. Em casos de suspeita ou 
confirmação de Raiva animal ou animais silvestres, 
administrar imediatamente vacina contra raiva e 
imunoglobulinas séricas após a mordida.
Fase de incubação: assintomático Fase 
prodrômica: febre, náusea, vômito, perda 
de apetite, letargia, dor no local da mordida; 
Fase neurológica: hidrofobia, depressão, 
irritabilidade, hiperatividade, paralisia, 
confusão;Coma; Morte.
Ananda Soares Valeriano MAD 2
MENINGITE 
VIRAL
SNC
Causadas por enterovírus (ECHO, Coxsackie e 
polio) com manifestações clínicas leves, com 
líquor sem alterações.
Meningites causadas por herpesvírus (HSV1, 
VZV, CMV, EBV) tem manifestações piores que as 
bacterianas, por causar encefalite por herpes vírus.
Líquor límpido por ser causada por vírus.
(Enterovírus: 
Echo, 
Coxsackievirus, 
polio) 
Herpesvírus: 
HS1 e 2, VZV, 
CMV, EBV
e outros (HIV, 
sarampo, 
caxumba e
rubéola)
Vírus
Cada qual com sua morfologia. 
Enterovírus RNA positivo não 
envelopado. Herpes vírus DNA 
fita dupla envelopado. 
Enterovirus (75 a 90%) : Echo e 
Coxsackie B
Herpesvirus (HSV 1, VZV, CMV, 
EBV) -
* Lembrar da encefalite por herpes 
vírus)
Outros: HIV, Sarampo, caxumba e 
rubeola.
Meningite viral (asséptica) : Mais 
comum em
lactantes. Enterovírus = 90% dos 
casos
Encefalite : Causam 
aproximadamente 5% de todos
os casos de encefalite aguda 
coxsackievírus e Echo
virus . 
A meningite viral é uma inflamação das camadas dos 
tecidos que cobrem o cérebro e a medula espinhal 
(meninges) e do espaço preenchido por líquido entre as 
meninges (espaço subaracnóideo) quando é causada por 
vírus.
Coxsackie A 7, 9 e 24 Coxsackie B 1 a 6 
Echovirus 4, 6, 9, 16 e 30: Febre, vômitos, 
irritabilidade, cefaléia, sinais de irritação 
meníngea, exantema. Herpéticas (HS1 e 2, 
VZV, CMV, EBV): Início agudo, com febre, 
convulsões, sinais focais, coma, com 
comprometim ento do lobo temporal.
Herpes viral
VARICELA 
ZOSTER
Catapora
O principal meio de transmissão está relacionado 
contato próximo, secreções respiratórias, contato 
com as lesões e fômites. Possui vacina
VZV - Herpes 
vírus humano 3
Vírus
DNA fita dupla linear, capsídeo, 
simetria icosaédrica, 
envelopado.
Tegumento com proteínas e enximas 
virais, envelope lipoprotéico com 
glicoproteínas.
Gotículas entram no trato respiratório, linfáticos e quando o 
vírus cai na corrente sanguínea, causando viremia, gerando 
a febre (sistêmica, ação de citocinas). Na mucosa causa as 
vesículas e pelo reconhecimento o vírus entra em estado 
de latência em neurônios. Prefere gânglios nervosos das 
costas e do pescoço. Para o VZV acontecem no máximo 2 
reativações na vida do paciente.
Exantema máculopapular, lesões 
vesiculares, pústulas, crostas, febre e 
prurido. Doença da prima-infecção catapora
Doença da reativação: Herpes zoster
Herpes viral EPSTEIN-BARR MHC
O principal meio de transmissão contato próximo, 
alguns presentes na saliva.
EBV - Herpes 
vírus humano 4
Vírus
DNA fita dupla linear, capsídeo, 
simetria icosaédrica, 
envelopado.
Transforma morfologicamente 
linfócitos B e células epiteliais, além 
de prevenir a apoptose mediada pela 
p53 - Linfomas; Inibe a p53, 
reguladora de dano no ciclo celular, 
a célula não morre. Ativa o ciclo 
celular.
• Induz a expressão de bcl-2 (anti 
apoptótico), oncogene que promove 
a sobrevivência celular. Por isso a 
célula é imortal.
Tropismo por MHC de classe 2 assim faz latência em 
linfócitos (principalmente linfócitos B e células APCs 
(macrófago e células dendríticas). Mononucleose infecciosa
Febre alta • Tosse • Adenopatia cervical • 
Adenopatia generalizada • Esplenomegalia, 
linfonodomegalia • Hepatomegalia discreta • 
Faringo-amigdalite exudativa.
Herpes viral
CITAMEGALOVÍR
US
Imunocomprometidos
O único reservatório deste vírus para a 
transmissão é o próprio homem; 
• Fontes de disseminação dos vírus: secreções 
respiratórias, saliva, sangue, urina, secreção de 
colo uterino, esperma, colostro e leite materno; 
Qualquer secreção.
• A infecção primária pode ocorrer no período pré-
natal (pela placenta), perinatal (no nascimento) ou 
pós-natal (leite); 
Herpes vírus 
humano 5
Vírus
DNA fita dupla linear, capsídeo, 
simetria icosaédrica, 
envelopado.
Tegumento com proteínas e enximas 
virais, envelope lipoprotéico com 
glicoproteínas. contém mRNA 
CMV pode permanecer latente no interior de vários órgãos 
e serem reativados em decorrência de depressão da 
imunidade celular, em situações como a gravidez e 
doenças como a AIDS, ou quando do uso de drogas 
imunossupressoras.
Clinicamente pode apresentar sintomas 
similares à infecção pelo EBV. Quadro de 
mononucleose com linfonodomegalia. 
Lesões ulceradas e dolorosas na boca, 
garganta, faringe, esôfago, estômago, 
intestino grosso e intestino delgado;
• Coriorretinite, podendo levar a cegueira; 
calcificações intracranianas (na região do 
sistema nervoso).
Herpes viral
HERPES VIRAL 
HHV6
Linfócitos TCD4
O principal meio de transmissão está relacionado 
ao contato próximo, alguns presentes na saliva.
Herpes vírus 
humano 6
Vírus
DNA fita dupla linear, capsídeo, 
simetria icosaédrica, 
envelopado.
Tegumento com proteínas e enximas 
virais, envelope lipoprotéico com 
glicoproteínas.
Não tem reativação.
Incubação de 4-7 dias, começo abrupto febre alta com 4 
dias, ausência de febre e aparecimento de exantema, 
rrecuperação sem complicações.
Em crianças: exantema súbito (associados 
a doença de roséola infantil); 
• Em adultos: síndrome mononucleose like, 
linfadenopatia persistente, hepatite 
fulminante, desordens autoimunes, 
esclerose múltipla, infecção generalizada. 
Herpes viral
HERPES VIRAL 
HHV7
Linfócitos TCD4
O principal meio de transmissão está relacionado 
a IST’s ou contato próximo, alguns presentes na 
saliva.
Herpes vírus 
humano 7
Vírus
DNA fita dupla linear, capsídeo, 
simetria icosaédrica, 
envelopado.
Tegumento com proteínas e enximas 
virais, envelope lipoprotéico com 
glicoproteínas.
Causa infecção produtiva em linfócitos T CD4+;
Exantema súbito, ão reativa, causa 
somente a doença roséola infantil.
Herpes viral
HERPES VIRAL 
HHV8
células epiteliais, 
tecido conjuntivo e 
linfócitos B
O principal meio de transmissão está relacionado 
a IST’s, onde o paciente deve apresentar AIDS
Herpes vírus 
humano 8
Vírus
DNA fita dupla linear, capsídeo, 
simetria icosaédrica, 
envelopado.
Tegumento com proteínas e enximas 
virais, envelope lipoprotéico com 
glicoproteínas.
Liga no cromossomo inibindo p53 e desenvolvendo bcl-2. 
Células não sofrem apoptose.
Indivíduos infectados produzem anticorpos detectáveis no 
sangue 
Causa viremia, As lesões podem ser 
superficiais (epiderme), ou profundas 
(vísceras). Oncovírus • Associado ao 
Sarcoma de Kaposi: lesão múltiplas que 
podem aparecer na forma de manchas ou 
nódulos. (induzindo a célula a formar 
células neoplásicas);
Herpes viral
HERPES VIRAL 
SIMPLES
Tropismo por células 
epiteliais
O principal meio de transmissão está relacionado 
a IST’s ou contato próximo, alguns presentes na 
saliva.
HSV 1/2 - 
Herpes vírus 
simples; 
Vírus
DNA fita dupla linear, capsídeo, 
simetria icosaédrica, 
envelopado.
Capacidade de latência, permanece 
escondido sem causar lesões por 
muito tempo. Proteínas de adesão, 
fusão e evasão
Resposta imune celular é importante no combate e controle 
da doença viral é citotóxica. Inata: NK – Adaptativa: CD8. 
(resposta imune pode ajudar na manifestação da doença 
viral, por causar lise nas células, além da ação citotóxica do 
vírus). • Causam infecções líticas na maioria das células e

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.