A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
APOSTILA-TIPOS-DE-CURATIVOS

Pré-visualização | Página 2 de 3

de carvão ativado é um material que possui poros em sua superfície, que são capazes de 
capturar moléculas que ficam presas por atração elétrica do carvão. 
AÇÃO/CARACTERÍSTICAS: 
• Adsorção dos microrganismos e secreção purulenta no tecido de carvão, através de ação magnética. 
Com isso as bactérias ficam presas no carvão, longe do tecido danificado; 
• O exsudato da lesão é absorvido pelo curativo secundário; 
• A prata age impedindo a proliferação bacteriana. 
VANTAGENS E CONTRA INDICAÇÃO: 
• Pode causar sangramento controlável por ser aderente quando utilizados em queimaduras; 
• Fazer a limpeza da ferida e aplicar o produto diretamente sobre a ferida com técnica asséptica; 
• Não pode ser cortado; 
• Pode ser dobrado, amassado, para ter contato direto coma ferida; 
• Deve ser coberto com curativo secundário e este deve ser substituído sempre que estiver úmido; 
 
 
• Utilizar óleo de girassol para retirar o carvão ativado da ferida, evitando sangramento e para impedir 
que a secreção contida no carvão retorne para o leito da ferida; 
• Na fase inicial do tratamento, deve ser trocado em intervalos de 48 a 72 horas. À medida que a 
secreção do curativo, pela exsudação, for diminuindo, a troca poderá ser prolongada por até 7 dias, no 
Máximo. 
ALGINATO DE CÁLCIO 
MECANISMO DA AÇÃO: 
O sódio presente no exsudato e no sangue interage com o cálculo presente no curativo de alginato. A troca 
iônica: 
• Resulta na formação de um gel que mantém o meio úmido para a cicatrização, além de auxiliar no 
desbridamento autolítico; 
• Aumento capacidade de absorção e induz hemostasia. 
VANTAGENS E INDICAÇÕES: 
• Úlceras limpas e com exsudato, dá origem a um gel e impede a adesão da ferida e mantém um 
microambiente úmido; 
• É indolor nas trocas; 
• Pode ser usado em feridas com cavidade de difícil acesso; 
• Acelera o processo de cicatrização; 
• Alcança a hemostasia entre 3 e 5 minutos; 
• Superabsorvente, com redução das trocas e dos vazamentos. 
DESVANTAGENS E CONTRA INDICAÇÃO: 
• No caso de pouca secreção, pode secar dando origem a uma crosta muito aderente e de difícil 
remoção; 
• Contra indicado em queimaduras. 
CUIDADOS NA APLICAÇÃO: 
• Umedecer a fibra com SF 0,9%; 
• Não deixar que a fibra de alginato ultrapasse a borda da ferida, com risco de prejudicar a epitelização; 
• Ocluir com curativo secundário. 
TROCA DO CURATIVO: 
• Feridas infectadas: no máximo em 24 horas; 
• Feridas limpas com sangramentos: a cada 48 horas; 
• Feridas limpas: quando saturar; 
• Quando o exsudato reduzir, e a frequência das trocas estiver sendo feita a cada 3 a 4 dias, significa 
que é hora de utilizar outro curativo. 
ÁLCOOL 
• Ação: antisséptico 
• Vantagens e indicações: NENHUMA 
• Desvantagens e contra indicações: 
• Aumenta por 6 vezes a incidência de escaras; 
• Seu uso freqüente causa ressecamento e liquidificação da pele por remoção dos lipídios cutâneos. 
 
 
• Modalidade de emprego: NUNCA 
• Seu uso tem apenas valor histórico. 
DESBRIDAMENTO OU DEBRIDAMENTO 
Desbridamento=debridamento 
DEFINIÇAO: É a remoção do tecido necrosado de uma lesão. 
A AHCPR recomendada que qualquer tecido necrótico observando durante a avaliação inicial ou subsequente 
deverá ser desbridada, desde que a intervenção seja consistente com os objetivos globais do tratamento e 
condições clínicas do paciente. 
Entretanto, existem algumas situações em que não é recomendado o desbridamento de tecido desvitalizado, 
como em feridas isquêmicas com necrose seca. Estas necessitam que sua condição vascular seja melhorada 
antes de ser desbridada. Neste caso, a escara promove uma barreira contra infecção. 
Outra exceção se faz em pacientes fora de possibilidades terapêuticas que possuem úlceras com presença 
de escaras, que ao desbridar pode promover desconforto, dor, e devido às condições clínicas, não disporá de 
tempo e condições para a cicatrização. 
 
TECIDO NECROSADO 
• Dificulta o fornecimento de sangue (oxigenação e nutrição dos tecidos); 
• Atua como meio de cultura de bactérias; 
• Inibe a ação dos leucócitos em controlar microrganismos invasores; 
• Aumenta a possibilidade de infecção sistêmica; 
• Inibe a migração de células epiteliais, interrompendo a segunda fase do processo de cicatrização; 
• Impede a atuação de substâncias antibacterianas administradas por via tópica; 
• A presença deste tecido pode esconder a extensão e possível penetração da ferida. 
POR ISSO... 
É importante que o tecido desvitalizado/necrosado seja removido das feridas, pois o processo de 
cicatrização e a regeneração epitelial não são possíveis sem o desbridamento regular e cuidadoso. 
 
MÉTODOS DE DESBRIDAMENTO 
MÉTODO CIRÚRGICO: 
• É a ressecção dos tecidos necrosados, utilizados quando a área necrótica é muito extensa e/ou 
profunda, e quando o tecido necrótico é mais desidratado, mais firme, seco, petrificado e caloso; 
• A execução é de responsabilidade médica, envolvendo analgesia ou anestesia para a realização do 
procedimento. 
CUIDADOS DE ENFERMAGEM: 
• Compressão no local (curativo compressivo); 
• Observar sinais de choque (hipotensão, sudorese, palidez, taquicardia e alteração do nível de 
consciência); 
• Se a hemostasia não acontecer, será necessária a assistência médica para avaliação e provável 
sutura do(s) vasos lesionados. 
MÉTODO MECÂNICO 
 
 
É a remoção dos tecidos necróticos pela limpeza mecânica, utilizando-se de fricção de gaze umedecida com 
SF 0,9% ou da gaze umedecida sobre a necrose e após a secagem retirá-la com consequente 
desbridamento. 
• Técnica muito traumática; 
• Lesa tecidos viáveis próximos à necrose; 
• Consiste na utilização de agentes químico-enzimáticos. 
Dentre eles: 
• Colagenase; 
• Papaína... 
COLAGENASE 
MECANISMO DA AÇAO: 
• Desbridante, fibrinolítica; 
• É uma enzima proteolítica que consome as pontas do colágeno natural, favorecendo a remoção da 
necrose. 
VANTAGENS E INDICAÇOES: 
• É indicado nas úlceras com presença de áreas necróticas com acúmulo de fibrina no fundo da lesão; 
• É indicado em feridas isquêmicas. 
DESVANTAGENS E CONTRA INDICAÇAO: 
• Alta concentração de colagenase pode causar eritema e descamação nas bordas da lesão; 
• Quando em excesso e com sobras nas bordas causa endurecimento do tecido; 
• Não age na presença de tecido necrótico seco (escara). 
CUIDADOS NA APLICAÇÃO: 
• O curativo e a troca deverão ser realizados a cada 8 ou 12 horas; 
• Deve ser aplicada uma fina camada; 
• Deve ser mantido um ambiente úmido para melhor efeito do produto; 
• É inativa na presença de água oxigenada, algodão e ressecamento da lesão; 
• Requer um curativo secundário oclusivo. 
PAPAÍNA 
DESCRIÇÃO: 
• Enzima proteolítica, bactericida e bacteriostática e de antiinflamatória; 
• De origem vegetal extraída da Carica Papaya. Após o seu preparo, obtém-se um pó de cor leitosa, 
com odor forte e característico; 
• É inativo ao reagir com agentes oxidantes como o ferro, oxigênio, derivados de iodo, água oxigenada 
e nitrato de prata. 
AÇÃO: 
• A papaína é uma mistura complexa de enzimas proteolíticas e peroxidases, ou seja, capaz de 
decompor substâncias protéicas; 
• Como desbridante, liquefaz o tecido necrótico; 
• Atua como antiinflamatório, agindo ao nível das prostraglandinas; 
 
 
• Fibrinolítica provoca uma diluição na rede de fibrina dos coágulos, podendo provocar sangramento por 
esta razão, não interferindo nos fatores de coagulação; 
• Este efeito bacteriostático. Rompem a parede celular de bactérias especialmente aquelas de parede 
predominante protéica; 
• Estimula o desenvolvimento de tecido de granulação e auxilia no processo cicatricial através do 
alinhamento dos fibroblastos, reduzindo a possibilidade de formação de quelóides. 
APRESENTAÇAO: 
• É comercializada purificada na forma de pó, em diferentes concentrações,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.