A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Abdome agudo e sindromes coronarianas aguda

Pré-visualização | Página 1 de 1

Habilidades médicas – abdome agudo e síndrome coronariana aguda 
ABDOME AGUDO 
- abdome agudo não é sinônimo de dor abdominal (ela é um 
sintoma cardinal do abdome agudo) 
- abdome agudo é uma síndrome complexa, de caráter 
progressivo, que requer uma decisão e conduta imediata 
- Podem ser: síndrome inflamatória, perfurativa, hemorrágica, 
obstrutiva e vascular 
- Síndrome inflamatória: quando tem um processo inflamatório nas 
vísceras; associada a náuseas, vômitos, febres e se intensifica nas 
fases mais avançadas; pode ter alteração nos hábitos intestinais 
› A apendicite aguda: mais comuns das síndromes; inflamação do 
apêndice; por meio da obstrução da luz e proliferação de bactérias; 
pode ocorrer ruptura e derramamento de componentes gástricos 
› A colicistite aguda: desenvolvimento de uma infecção química da 
vesícula biliar, resultante da obstrução do ducto cístico; decorre da 
presença da litíase (cálculo) biliar 
› Pancreatite aguda: condição inflamatória do pâncreas de caráter 
reversível, com acometimento variável do pâncreas, das estruturas 
peripancreáticas e órgãos a distância, a depender do nível de 
ativação das enzimas intrapancreaticas que causaram um processo 
de autodigestão 
› Diverticulite aguda: inflamação aguda de um ou mais divertículos 
colonicos; geralmente decorrente da impactação de um fecalito no 
nível do colo diverticular; pode liberar conteúdo do intestino para a 
cavidade peritoneal 
- Síndrome perfurativa: perfuração de alguma parede do trato 
gastrointestinal e seu conteúdo pode extravasar e acometer a 
cavidade peritoneal 
› A úlcera péptica: mais comum (gástrica ou duodenal); em casos 
mais graves, a lesão pode ser em toda a parede e levando ao 
derramamento do conteúdo no peritônio 
- Síndrome hemorrágica: rara; hemorragias intra abdominais 
espontâneas; ligada com procedimentos gineco-obstetricos; NÃO 
SE CONSIDERA TRAUMA ABDOMINAL OU HEMORRAGIAS DO 
TRATO GASTROINTESTINAL; o mais comum é a gravidez 
ectópica; NÃO LEVA AO CHOQUE SEPTICO, E SIM AO CHOQUE 
HEMORRAGICO 
› cisto do ovário funcional: pode sangrar devido ao aumento da 
vascularização no ovário; podem reabsorver esse sangramento ou 
romper-se para a cavidade abdomino-pelvica 
- Síndrome obstrutiva: quando há impedimento a progressão do 
conteúdo gastro-duodeno-intestinal de forma habitual 
› Obstrução mecânica (barreiras anatômicas físicas, como fecaloma, 
tumor) ou de alteração de motilidade do tubo gastrointestinal 
(como o íleo paralitico – falta dos movimentos peristálticos após 
grandes cirurgias) 
- Síndrome vascular: mais rara e letal; obstrução de uma artéria 
que leva a irrigação sanguínea a alça intestinal; isquemia 
mesentérica aguda (leva a necrose e o paciente desenvolve 
infecções) 
motivos: hipovolemia, redução do débito cardíaco, uso de agentes 
vasoconstrictores 
PRIMEIROS SOCORROS: 
1. Avaliar a cena; impressão inicial 
A principal complicação na evolução é a sepse e síndrome da 
resposta inflamatória sistêmica 
Caracterização da dor: durante o AMPLE 
E: evolução (início, tipo e duração da dor) 
L: localização 
I: irradiação 
I: intensidade 
A: agravo 
A: alívio 
A: antecedentes de dor semelhante 
S: sinais e sintomas associados 
2. ABCDE (SEMPRE checar as vias aéreas) 
SINDROME CORONARIANA AGUDA 
- pode ser confundida com dor torácica (sintoma cardinal da 
síndrome), apesar de estar presente em outros agravos 
- o socorrista precisa identificar a dor e tratá-la adequadamente 
- a dor é chamada de dor angina do peito; relacionada a obstrução 
nas artérias coronárias; 
- tipos: angina estável, instável, variante e IAM 
1. angina estável: síndrome causada por obstrução fixa da coronária; 
diminui o fluxo de sangue (supor de O2) e quando o paciente 
precisa de uma maior quantidade de sangue (stress como 
exercício), a obstrução não permite que o sangue chegue e a dor 
angina aparece (DOR PREVISIVEL, dura entre 15 seg a 15min e com 
a interrupção do esforço ela para) 
- dor descrita como um aperto ou queimação. Pode ser 
desencadeada por refeições volumosas, frio ou exercício físico; 
normalmente ABAIXO DO ESTERNO e irradia para a parte superior 
do tórax, podendo irradiar para outras partes; PODE ESTAR 
ACOMPANHA DE DISPNEIA, SUDORESE, NAUSEA, SENSACAO DE 
FRAQUEZA 
2 angina instável: oclusão parcial ou total maior da coronária; 
dor tem as mesmas características da estável, mas a dor eh 
IMPREVISIVEL (dura acima de 20 minutos e pode ocorrer 
ate em repouso); com a interrupção de exercícios ela não 
cessa 
3. Angina variante (Prinzmetal): espasmo da coronária associada 
a uma obstrução; contração muscular diminui a luz da artéria 
e interrompe o fluxo sanguíneo. Aparece de forma súbita e 
não se relaciona com esforço físico; normalmente aparece 
no período noturno ou bem cedo na manha 
4. IAM: interrupção do sangue leva ao sofrimento do musculo 
cardíaco. Dependendo da restrição sanguínea leva a 
necrose, levando ao infarto. Causada principalmente por 
trombose formada em uma placa aterosclerótica 
CAUSAS: espasmo da artéria coronária, arterite, embolia 
coronária, anormalidades congênitas da coronária, intoxicação 
por CO, consumo de cocaína ou traumatismo (contusão 
torácica) 
Fatores de risco: histórico familiar, dislipidemia, hipertensão, 
tabagismo, sedentarismo, obesidade, diabetes, estresse 
PRIMEIROS SOCORROS 
1. Colocar o paciente em repouso e ligar para o SAMU 
2. Buscar o kit de primeiro socorros e um DEA, se 
disponível 
3. ABCDE 
4. Certificar que o paciente não é alérgico a aspirina, não 
está sangrando e não apresenta sinais de AVC; dar duas 
aspirinas infantis e pedir para o paciente mastigar e engolir 
5. Ficar AO LADO do paciente e reavaliando quando 
necessário 
6. Se o paciente ficar inconsciente, preparar para RCP 
A ASPIRNA AJUDA NA REDUCAO DO INDICE DE MORTALIDADE 
- se o paciente for alérgico, outras medicações serão dadas no 
hospital 
Caracterização da dor por meio do ELIIAAAS