Buscar

Sociologia aplicada à saúde

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 3, do total de 4 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Prévia do material em texto

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA
CAMPUS I
CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE - CCBS
CURSO DE FARMÁCIA
SOCIOLOGIA APLICADA À SAÚDE
ANA BEATRIZ GOMES DE SOUSA FARIAS
CAMPINA GRANDE
2022
O processo pelo qual o indivíduo aprende e internaliza costumes, valores,
crenças e normas do grupo social que está inserido é denominado socialização.
Segundo o teórico construtivista Jean Piaget (1896-1980), o conhecimento se
concretiza na medida que o sujeito, ativo em seu processo, se relaciona com outros
e atua no mundo ao seu redor, o sujeito sendo, nessa perspectiva, dinâmico, pois
estabelece relação de trocas. Já a constituição de inteligência não está relacionada
a herança biológica do sujeito, mas sim por constantes construções do sujeito,
mediante as interações sociais que estabelece com o meio (CARVALHO; NEVES,
2018, p 504 apud PIAGET, 1982). O escritor Saint Exupéry (1900-1944) escreveu no
livro O pequeno príncipe: “Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos
deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós”. Essa frase explica o
processo de socialização, no qual o sujeito é o canal de transmissão de culturas e
também receptor, pois essa troca é mútua. O processo de socialização afeta a
natureza humana pois é a imposição de padrões a conduta individual, chegando a
interferir nos processos fisiológicos do organismo, como por exemplo o uso do
toalete, onde as funções fisiológicas são forçadas a submeter-se a um padrão
(FORACCHI S/A). Essas socializações têm duas fases: a primeira fase denomina-se
primária e ocorre na infância, no contexto familiar e há a aprendizagem da língua,
valores, comportamentos que devem ser seguidos de acordo com a cultura do
grupo que você está inserido. A segunda fase é denominada secundária, e ocorre
na escola, locais de trabalho, sindicatos e está relacionada à formação completa da
personalidade do indivíduo. O processo de socialização é visto por alguns
sociólogos como uma série de atitudes controladoras do grupo, funcionando como
uma espécie de castigo e recompensas (RAMALHO, S/A). As regras de civilidade
por exemplo impõe como se comportar ou não para não parecer bruto, fazendo
pouco a pouco o corpo se apagar, e as regras de civilidade controlar.
Cultura pode ser definida como um conjunto de elementos que mediam e
qualificam qualquer atividade física ou mental, que não seja determinada pela
biologia, e que seja compartilhada por diferentes membros de um grupo social
(WIIK; LANGDON, 2010). Partindo dessa linha de pensamento, a cultura é
aprendida, compartilhada e padronizada. Aprendida porque heranças genéticas e
biológicas não explicam totalmente o comportamento de um indivíduo, mas sim sua
carga genética e as interações com o meio que está inserido. Compartilhada e
padronizada por que consiste em uma criação humana e compartilhada por grupos
sociais específicos. O processo saúde-doença é determinado pela ideia de que
saúde é um produto social, no qual algumas organizações são mais sadias do que
outras, sendo assim, os mesmos processos que determinam cultura e estruturação
de um grupo, também determina desigualdades sociais e perfis epidemiológicos de
saúde e doença (BARATA, 2009, p 20). As más condições de trabalho, deficientes
condições de habitação (como a ausência de um saneamento básico) e
desemprego influenciam na disparidade para que alguns grupos gozem de uma
saúde melhor do que outros. A saúde de um indivíduo depende da sua posição
social, dessa maneira, quem tiver uma boa saúde, consequentemente, tem uma boa
condição social. As classes sociais mais baixas tendem a ter atividades como beber,
fumar ou seguir uma dieta pobre, o que ocasiona a falta de saúde. O modelo
biomédico, que existe hoje predominantemente, é um modelo que visa apenas a
cura da doença enxergando a pessoa como uma máquina, sem valorizar as
opiniões dos pacientes, sofre um impacto diante da experiência da doença porque
os sociólogos estão interessados na experiência da doença, valorizando as opiniões
do paciente, dando assistência, privilégios para minimizar os impactos da doença
para que o indivíduo recupere sua saúde. A sociedade moderna está cada vez mais
adotando estilos de vida saudáveis, ocasionando o crescimento da medicina
alternativa em decorrência da auto-ajuda. O curioso é que muitas pessoas procuram
ajuda por consequência da própria era moderna. Problemas como insônia,
depressão, ansiedade, fadiga e stress são doenças mais comuns da sociedade
industrializada. Embora exista à muito tempo, hoje aparenta causar mais danos a
sociedade.
Referências:
https://www.scielo.br/j/pee/a/kwqzQ8dcXWRrR5TsPbf6GBH/?format=pdf&lang=pt
https://www.sesirs.org.br/sites/default/files/paragraph--files/o_pequeno_principe_-_a
ntoine_de_saint-exupery.pdf
https://cesad.ufs.br/ORBI/public/uploadCatalago/16174608112012Sociologia_I_Aula
_9.pdf
https://static.scielo.org/scielobooks/48z26/pdf/barata-9788575413913.pdf
https://www.scielo.br/j/pee/a/kwqzQ8dcXWRrR5TsPbf6GBH/?format=pdf&lang=pt
https://www.sesirs.org.br/sites/default/files/paragraph--files/o_pequeno_principe_-_antoine_de_saint-exupery.pdf
https://www.sesirs.org.br/sites/default/files/paragraph--files/o_pequeno_principe_-_antoine_de_saint-exupery.pdf
https://cesad.ufs.br/ORBI/public/uploadCatalago/16174608112012Sociologia_I_Aula_9.pdf
https://cesad.ufs.br/ORBI/public/uploadCatalago/16174608112012Sociologia_I_Aula_9.pdf
https://static.scielo.org/scielobooks/48z26/pdf/barata-9788575413913.pdf

Outros materiais