ATPS Projeto Multidisciplinar III

ATPS Projeto Multidisciplinar III

Disciplina:Projeto Multidisciplinar III8 materiais73 seguidores
Pré-visualização3 páginas
UNIVERSIDADE ANHANGUERA – UNIDERP
CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
CURSO DE PEDAGOGIA

Projeto Multidisciplinar III

Nome		 RA:

Atividade Prática Supervisionada (ATPS) entregue como requisito para conclusão da disciplina “Projeto Multidisciplinar III”, 5º série, sob orientação, da professora-tutora presencial, xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx.

RIBEIRÃO PRETO
25 maio 2015

PROJETO EDUCATIVO E SUA RELEVÂNCIA EM EDUCAÇÃO

Acreditamos que a aprendizagem por meio de projetos traz uma totalidade para a formação do aluno, pois gera situações de aprendizagem reais e diversificadas, aumentando o interesse do educando para resolvê-las, assim desenvolvendo mais o cognitivo, a autonomia, o afeto e a sua vida social.
O significado da palavra “projeto” em latim (projectus) é lançado para frente, o que podemos comparar com o projeto da nossa Pedagogia, incentivar os alunos a caminhar no aprendizado e sempre avançando nas buscas, descobertas, pesquisas e nas construções de seus conhecimentos, fazendo com que participem e valorizem o seu trabalho. O Projeto, já diz o nome, precisa ser bem elaborado, devemos saber o ponto de partida e para onde queremos ir, temos que ter objetivo e foco para cumpri-lo.
O mundo se renova a cada dia, as necessidades de hoje são diferentes de 20 anos atrás, hoje precisamos de uma educação que vai além dos conhecimentos específicos, precisamos pensar em formas bons cidadãos, com opinião, críticos, comunicativos e capazes de solucionar questões do seu dia a dia. A educação também precisa investir nas mudanças aceleradas das novas tecnologias.
Existem algumas dificuldades em se trabalhar com Projetos interdisciplinares, uma delas é a questão de cumprir os cronogramas, os Projetos costumam demorar um pouco mais do que o planejado, pois as descobertas vão aparecendo e os professores e alunos vão se envolvendo até serem solucionados. Outra dificuldade encontrada é a falta de profissionais qualificados para agir nas duas áreas do conhecimento, educação e informática. Para tanto, Lévy (1998) afirma que as novas tecnologias utilizadas como ferramentas pedagógicas na escola redefinem a função docente e agregam às práticas de ensino e aprendizagem à novos modos de acesso aos conhecimentos. O desconhecimento de uma das áreas desvirtua uma proposta integradora das mesmas.
“Esse processo se constitui num exercício e aplicação do que já se sabe” (Almeida, 2002) a respeito do tema “Não deve ser assumido pelos alunos como imposição do professor tampouco pode ser fruto de uma curiosidade circunstancial dos alunos. O tema gerador deve constituir-se em desafio, algo que mereça investimento de tempo e esforço cognitivo” (Barbosa, 2004).
Por isso, é de extrema importância o professor deixar de ser o transmissor e interagir com os alunos, criando situações problemas reais para que eles possam encontrar sentido no que estão aprendendo, assim acabam sendo incentivados a fazer e aprender em seu processo cognitivo. Portanto os professores têm que repensar em suas práticas e postura, colaborando para tornar a atividade útil no desenvolvimento de competências e habilidades básicas importantes para que vivam vidas autônomas, produtivas e responsáveis, favorecendo o ela entre as diversas áreas do conhecimento e incluindo recursos e mídias, permitindo o aluno a se expressar por diferentes meios de linguagens e formas de comunicação.
Tratando de uma ideia de que a escola deveria ser repensada e transformada, com novas visões.
Os textos mostram uma nova metodologia, o construcionismo, uma forma nova para ensinar, o professor com seu papel na instrução, orientação e mediação, já os alunos, ganham o papel de protagonista, ganham liberdade na execução e reconstrução do seu conhecimento.
Em um texto lido, foram destacados alguns pontos positivos para essa implantação da escola: criar autonomia para professor e aluno desenvolverem o processo de aprendizagem de forma cooperativa, trocando conhecimentos com solidariedade e responsabilidade; considerar as necessidades dos alunos e atingir suas expectativas; aprender a trabalhar em equipe, comunicar-se, tomar decisões e resolver problemas relacionados com situações contextuais; aprender a aprender, trazendo para seu conhecimento habilidades, conceitos, estratégias, crenças e valores; trazer para o aprendizado as novas tecnologias, expandindo novas culturas;
Em outro texto foi enfatizado a existência de três aspectos fundamentais que o professor precisa considerar para trabalhar com projeto: as possibilidades de desenvolvimento dos seus alunos, as dinâmicas sociais do contexto em que atua e as possibilidades de sua mediação pedagógica.
Para trabalharmos com Projeto é necessário estudarmos e o planejarmos, considerando o espaço, os ambientes, os recursos e mídias disponibilizados. Os temas tem que ser bem elaborados, pensando que temos que buscar um objetivo a ser conquistado pelos alunos, um desafio.
Por medo do novo, muitos professores ainda preferem a aula tradicional, não abrem o espaço para que os alunos tomem o rumo de sua própria aprendizagem, mas precisamos lembrar que ensinamos para formarmos cidadãos críticos e para isso temos que estimulá-los a buscar conhecimento.
Conclusão, este projeto escolar, esse projeto interdisciplinar precisa ser inserido em nossas escolas e ser explorado, e os professores precisam abrir mais a mente para o novo, para novas possibilidades.

SÍNTESE PROJETO EDUCATIVO

Projeto é atividade organizada com o objetivo de resolver um problema com um tempo pré-determinado para encerrar (finito). Em um projeto há uma ideia, uma possibilidade de realização, uma meta, um querer que orientam e dá sentido as ações que se realizam com a intenção de transformar a meta (sonho) em realidade.
 Num projeto há sempre um futuro que pode tornar compreensível e dar sentido a todo o esforço de busca de informações e construção de novos conhecimentos. O conhecimento inicial da meta que dá a origem ao projeto é fundamental para que os alunos possam compreender as decisões que vão sendo tomadas durante a realização do mesmo. Durante o desenrolar do projeto, deve-se haver uma cumplicidade de propósitos entre aluno e professor, onde ocasionará um ambiente de trabalho criativo, no qual cada indivíduo pode contribuir com suas aptidões, ou estar disposto a enfrentar o esforço de aprender algo novo e que se mostrou necessário em função do próprio projeto.
Alguns cuidados devem se tomar, o projeto deve estar bem definido, ou seja, alunos e professores devem ter bem claro daquilo que se vai fazer, a meta, o objetivo e a ação. Não se esquecendo de que para ser um projeto o desenvolvimento do trabalho na sala de aula deve ter a participação dos alunos em algumas decisões, para que aprenda também a analisar situações, tomar decisões e ter a experiência de pôr em prática o que foi planejado. O trabalho com projetos pode dar conta de alguns objetivos educacionais com maior profundidade, em particular o desenvolvimento da autonomia intelectual, o aprender a aprender, o desenvolvimento da organização individual e coletiva, bem como a capacidade de tomar decisões e fazer escolhas com o propósito de realizar pequenos ou grandes projetos pessoais.
Para conseguirmos chamar a atenção dos alunos para o aprendizado em projeto, não basta só dizermos, vamos fazer um Projeto, a curiosidade tem que ser despertada, o interesse em que vamos estudar tem que ser relevante, com contextos reais, de simples entendimento, conseguindo chegar a suas expectativas e objetivos. Para isso, é importante a participação deles na escolha do tema, no desenvolvimento e do objetivo final.
 O professor deve rever sua postura em sala, ajudando, contribuindo com trocas de conhecimento entre si, enriquecendo ainda mais o projeto e seus conhecimentos. A participação de todos no Projeto proporciona uma experiência além de só conhecimento escolar, ajuda a prepará-los para a vida, sabendo resolver alguns conflitos considerados fáceis. O professor