A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
23 pág.
ADM PRODU+ç+âO des produtos

Pré-visualização | Página 2 de 4

planejados – viabilidade técnica e econômica do projeto, capital necessário para realizá-lo, como será produzido e com que equipamentos, qual será o argumento de venda, entre outros fatores. Além disso, os que foram bem especificados desde o início (que funções vão atender, tamanhos, potência, materiais e outros aspectos) têm mais chance de atingir mais plenamente seus objetivos.
Qualidade do desenvolvimento: são maiores as chances de sucesso quando a equipe responsável pelo projeto possui as qualificações necessárias para o desenvolvimento do produto e trabalha em cooperação com o pessoal da produção e do marketing.
FLUXO PARA O DESENVOLVIMENTO DE NOVOS PRODUTOS
A introdução de um novo produto em um mercado deve seguir algumas etapas como:
1ª ETAPA: AVALIAÇÃO DO POSICIONAMENTO INTERNO E EXTERNO DA EMPRESA
Antes de um produto ser introduzido no mercado, a empresa deve auto-avaliar-se em termos de suas condições internas para que o novo produto venha efetivamente a constituir-se em uma vantagem para a organização. Alem disso, é interessante que o novo produto otimize a utilização dos recursos disponíveis e possa constituir-se em uma força a mais para a corporação em função do tipo de negócio em que ela opera. Essa etapa pode ser chamada de etapa da pesquisa da organização, pois o objetivo é identificar se as metas corporativas serão valorizadas ou não com o novo produto.
A pesquisa de ideias para novos produtos deve levar em conta os cenários do ambiente interno, como recursos de produção, de matérias-primas, recursos financeiros e humanos, etc., e o cenário externo, constituído do ambiente tecnológico, econômico, político, legislativo e social, a fim de não se lançar em uma aventura empresarial de resultados duvidosos. Portanto, é preciso que o meio ambiente seja favorável ao lançamento do novo produto, ou ao menos não se constitua em um embaraço intransponível. Em suma, os passos dessa primeira etapa seriam:
Verificar se os novos produtos estão em consonância com os objetivos corporativos;
Realizar constantes sondagens acerca da situação de marketing da empresa;
Analisar as forças e os recursos da organização;
Caracterizar em que tipo de negócio a empresa está atuando e se o novo produto é consistente com o escopo do negócio, tanto em nível de produção como no nível de comercialização;
Especificar os critérios para a escolha do campo de negócios em que o novo produto pode ser posicionado;
Pesquisar um elenco de ideias para novos produtos;
Estabelecer o cenário onde o novo produto pode desenvolver-se selecionando as ideias de novos produtos para uma validação preliminar.
2ª ETAPA: PESQUISA DE VIABILIDADE
Essa etapa pode ser descrita da seguinte maneira:
Pesquisa de experimentação técnica:
Estabelecimento de especificações de desempenho;
Estudo de alternativas técnicas básicas;
Alternativa de manufatura;
Estimativa de tempo e custos para o desenvolvimento.
Pesquisa de mercado:
Características do mercado, tamanho e tendências;
Natureza da concorrência;
Especificações das características do produto para atender às necessidades de mercado;
Estratégias de colocação do produto baseadas na forma do produto, relação preço-qualidade e variáveis psicológicas.
Análise e integração de expectativas:
Tempo para o desenvolvimento e lançamento do produto;
Custos de desenvolvimento e produção em série;
Mão de obra necessária e disponível para desenvolver o projeto;
Potencialidade comercial do produto.
3ª ETAPA: DESENVOLVIMENTO DO PRODUTO
Aqui estão inclusos o desenvolvimento técnico, a estimativa de custo de planejamento e produção do novo produto, bem como a previsão de mercado, os vários planos de marketing e a análise do ponto de equilíbrio. O fluxo desta etapa pode ser assim descrito:
Desenvolvimento técnico:
Construção de um protótipo do produto;
Teste de laboratório e de uso do produto;
Configuração preliminar do design do produto;
Planejamento e custo de produção:
Materiais necessários;
Mão de obra;
Equipamentos necessários á produção;
Espaços necessários à nova linha de produção.
Previsão de mercado:
Análise de demanda de mercado;
Análise de custos;
Análise de preço.
Composto de plano de marketing.
Análise de ponto de equilíbrio para a fabricação do produto.
4ª ETAPA: TESTE DE MARKETING
Nesta etapa o produto é colocado para teste em um mercado representativo do universo em que ele será comercializado normalmente.
Planejamento:
Seleção das áreas geográficas e dos tipos de clientes para o novo produto ser testado;
Estabelecimento de cronogramas e orçamentos para se avaliarem os resultados do teste.
Produção experimental para o teste de mercado.
Planejamento final da produção.
Execução do teste de mercado.
Análise e revisão:
Modificações no produto;
Modificações na embalagem;
Modificações no marketing do novo produto;
Modificações no preço;
Desempenho geral do teste em relação às previsões e aos parâmetros estabelecidos.
Planos finais para lançamento com orçamentos e responsabilidades estabelecidas.
PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE NOVOS PRODUTOS
IDENTIFIQUE OPORTUNIDADES
As oportunidades estão por aí. Cada problema, cada sofrimento, cada desejo não atendido contém uma ou mais oportunidades para a criação de soluções. Para identificar oportunidades de desenvolvimento de produtos, o fundamental é ter uma atitude observadora e questionadora das coisas tais como elas se apresentam. 
IDENTIFIQUE E ANALISE TENDÊNCIAS DO MERCADO E DA SOCIEDADE
Este instrumento envolve identificar tendências que estão prevalecendo - ou, melhor ainda, surgindo agora - e imaginar formas de explorá-las. Por exemplo, uma tendência atual no Brasil é a redução do tamanho dos domicílios. Isso cria, por exemplo, a necessidade por eletrodomésticos menores e produtos alimentícios em embalagens menores. Você pode observar nos supermercados que várias empresas já estão explorando esta tendência.  Por outro lado, considere pensar grande: muito melhor do que seguir tendências já mapeadas é criar novas tendências. 
OBSERVE PRODUTOS EXISTENTES SENDO UTILIZADOS	
Um instrumento bastante útil para a observação é identificar as etapas de uso de um produto e os problemas encontrados pelas pessoas (clientes) ao realizá-las. Kelley & Littman (2001), autores de A Arte da Inovação, chamam isso de "considerar o produto como um verbo, não um substantivo". Quase que de imediato, surgem possíveis soluções para os problemas, durante a própria execução do processo de observação. A observação permite ir muito além da simples pesquisa de mercado. Ela possibilita verdadeiros insights sobre necessidades que o cliente nem sonha em expressar e oportunidades escondidas.
IDENTIFIQUE E IMPLEMENTE AS IDÉIAS DOS CLIENTES
O Prof. Eric Von Hippel, do MIT (VON HIPPEL, 2005) é um dos precursores da ideia do cliente como inovador. É dele o termo lead user (usuário líder), que é o cliente que possui hoje as necessidades que serão gerais no mercado dentro algum tempo. Estes clientes podem ser ativamente identificados e consultados, ou, mesmo, envolvidos no processo de desenvolvimento de novos produtos, com grandes vantagens. Um exemplo de utilização dos lead users ocorre em algumas empresas usuárias de CAD (computer-aided design). Uma indústria que usa o CAD nos seus limites e mesmo além destes, numa determinada aplicação (modelagem geométrica de produtos estampados, por exemplo), é um usuário líder para a empresa que fornece o CAD. Ela se torna uma co-desenvolvedora do produto, que, posteriormente, pode ser aplicado por várias outras empresas. Pense: quem são, hoje, seus lead users? Como você poderia atendê-los melhor e, assim, criar sua próxima geração de produtos bem sucedidos? Quais são as modificações