A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Legislação Social

Pré-visualização | Página 3 de 4

o Pode existir cláusula assecuratória de 
direito recíproco de rescisão. 
 
Validade do contrato: 
Como o contrato é informal, a validade é dada pela 
capacidade das partes, somente maiores de 16 anos e 
capacitados mentais podem ter um contrato de traba-
lho. 
Menores de 16 anos e maiores de 14 podem ser Me-
nores Aprendizes. Torna-se ilícito quando menor da 
idade referida, não capacitado mentalmente ou a 
atividade que se realiza não é lícita. 
 
Jornada de trabalho 
 
� Jornada legal máxima de 8 horas diárias, 44 
semanais e 220 mensais. 
� Jornada diferenciada prevista por lei ou ins-
trumentos normativos. 
É possível uma jornada menor em casos especiais de 
acordo entre as partes, profissionais com regulamen-
tação própria ou convenção coletiva. 
Horas extras são pagas separadamente da remunera-
ção mensal. O valor é da hora trabalhada acrescida de 
no mínimo + 50% cabível de aumento por acordo co-
letivo. 
Quando à hora extra é habitual (+ de 3 dias por sema-
na) o descanso semanal é acrescido, o FGTS é calcula-
do junto com horas extras se for mais da metade do 
mês, o 13º é acrescido se for habitual durante o ano. 
O tempo máximo de horas extras é de 2h por dia. 
� Horas extras (Súmula 291 do TST) 
o Adicional de periculosidade (Trabalho 
com eletricidade e explosivos) + 30% 
o Adicional de insalubridade (Trabalho 
com diferença de pressão e tóxicos) 
40% no máximo. 
Sistema de compensação de horas: 
Distribuição de horas de uma jornada por outras jor-
nadas diárias. É possível distribuir as horas de um dia 
em outros para não se trabalhar ou trabalhar menos 
no determinado dia. 
• Banco de horas: Com a validade de 1 ano o 
banco é criado para organizar as horas dos 
empregados. Se trabalhar mais que o previsto 
no ano, o empregador deve pagar, se traba-
lhar menos que o previsto nada acontece. 
• Cargos de confiança e de atividades externas 
não tem horário de jornada, mas os de confi-
ança tem +40% no salário e gratificações. 
• Turnos ininterruptos de revezamento: Tempo 
entre jornadas de 11 horas além das 24 horas 
semanais. Tempo intra jornadas de 1 a 2 ho-
ras de almoço. 
Repouso semanal obrigatório 
Tem direito a ele o empregado que for assíduo e pon-
tual durante os dias trabalhados. Deve ser dado pre-
ferencialmente aos Domingos e deve ser remunerado 
em dobro quando trabalhado. 
Remuneração 
 
Art. 457 – Compreende-se na remuneração do em-
pregado, além do salário devido e pago diretamente 
pelo empregador as gorjetas. 
A remuneração é o salário direto, o contrato durante 
o tempo de prestação de serviços, mais o salário indi-
reto, extras fora do contrato como gratificações, co-
missões, abonos, gorjetas. 
- Paga direta: Salário � Irredutível 
- Paga indireta: Remuneração recebida por terceiros, 
pode ser suprimida. 
Comissão: pode ser salarial se estiver no contrato ou 
ser paga indireta se pago pelo cliente. 
Elementos integrantes do salário 
• Importância fixa e estipulada 
• Comissões e porcentagens 
• Gratificações ajustadas 
• Diárias para viagens se superiores a 50% 
• Abonos pagos pelo empregador 
• Salário-Utilidade* 
Salário-Utilidade ou in natura 
Prestação in natura é concedida pelo empregador, de 
forma onerosa, habitual, como contraprestação pelo 
trabalho realizado. 
Benefícios materiais e serviços que o empregado re-
cebe para uso pessoal e familiar dado pelo emprega-
dor tem características salarial quando: 
• Tem utilidade 
• Onerosidade do empregador 
• Habitualidade 
• Dado por reconhecimento pelo trabalho e não 
para uso no trabalho: Pelo trabalho ≠ Para o 
trabalho. 
Não tem característica salarial: 
• Vestuário e Equipamentos para o trabalho. 
• Educação, cursos para o trabalho. 
• Transporte e locomoção 
• Assistência médica 
• Seguro de vida 
Princípio da igualdade salarial 
Trabalho de igual valor � Remuneração de igual valor 
• Executado com mesma perfeição técnica 
• Mesma produtividade 
• Mesmo empregador 
• Mesma localidade 
• Entre empregados da mesma função 
• Diferença entre paradigma e empregado não 
passe de 2 anos. 
Fatos impeditivos: 
• Adoção de plano de carreira 
• Empregado readaptado 
Regras para pagamento de salário 
• Pagamento em até 30 dias 
• Até o 5º dia útil 
• Desconto por culpas, dolo, legais e convenci-
onais. 
• Pagamento em moeda corrente 
• Contra-recibo 
o Exceto salário complessivo* 
Rompimento de contrato 
Empregados com estabilidade só podem ser demiti-
dos por justa causa. 
Empregados com estabilidade: 
• Diretor sindical: Estável desde sua candidatu-
ra até 1 ano após o fim de seu mandato. 
• Gestantes: Estável desde a concepção até 5 
meses após o parto. Com conhecimento ou 
não das partes. 
• CIPA (Comissão interna de prevenção de aci-
dentes): O vice-presidente da CIPA, eleito pe-
los empregados tem desde sua candidatura 
ao cargo até 1 ano após o fim do mandato. 
• Acidente de trabalho: Empregado que sofre 
acidente dentro ou fora do ambiente do tra-
balho ou contrai doença laboral tem estabili-
dade desde a data de entrada do benefício no 
INSS até 1 ano após o fim do mesmo. 
Justa causa: 
• Roubo 
• Assédio sexual 
• Vício em drogas 
• Vendas no espaço de trabalho 
• Desídia (Preguiça) 
• Negociação habitual (Trabalhar para o concor-
rente) 
• Prática excessiva de jogos de azar. 
Direitos do empregador 
Pode mandar embora por justa causa ou por vontade 
própria desde que pague a indenização e o emprega-
do não tenha estabilidade. 
FGTS e Estabilidade Decenal 
O FGTS, o empregado deve depositar 8% da remune-
ração do empregado na caixa econômica ao longo do 
contrato do empregado. Ao ser demitido, não por 
justa causa, pode o empregado sacar o FGTS +40% do 
valor como indenização. 
A estabilidade decenal, o empregado com mais de 10 
anos de contrato tem estabilidade até sua aposenta-
doria, não recebendo indenização ao se aposentar. 
�Atualmente o FGTS é o mais presente 
 
 
 
 
16/01/06
•Periodo 
aquisitivo
•Trabalhou 
nas férias
16/01/07
•Periodo de 
uso
•Trabalhou 
nas férias
16/01/08
•Periodo de 
uso
•Tirou férias
16/01/09
•Periodo de 
uso
•Não tirou 
(tempo)
13/11/09
•Aviso prévio
13/12/09
•Demissão
Modalidade de rompimento 
Por iniciativa do empregador: 
� Sem justa causa: 
o Empregado tem direito a aviso prévio 
de 30 dias (pode ser trabalhado ou 
não), saldo de salário (tem direito aos 
dias do mês trabalhados), férias pro-
porcionais, 13º proporcionais, FGTS 
+40% e seguro desemprego. 
o Férias: O empregado recebe o salário 
+ 1/3 antes de entrar de férias. O pe-
ríodo aquisitivo é de 1 ano, o empre-
gador tem que dar férias no próximo 
ano de contrato (2º ano), caso não dê, 
tem que indenizar com férias em do-
bro. O primeiro ano que escolhe é o 
empregador, os outros é o emprega-
do. 
 
 
 
 
Férias = Quantidade X Correção+ Extra 
 2 2 
 1 1 + 1/3
 11/12 1 
o 13º: O marco de contagem é em ja-
neiro, ele deve ser recebido calculado 
em cima da maior remuneração 
quando o salário é fixo ou na média 
em caso de variável, deve ser pago 
50% entre julho e novembro e o res-
tante em dezembro. 
o Seguro desemprego: Pago pelo go-
verno conta o salário recebido em 5 
parcelas. 
� Com Justa causa: 
o Empregado tem direito a saldo de sa-
lário, 13º vencido, férias + 1/3 venci-
das, FGTS depois de 3 anos. 
Por iniciativa do empregado: 
� Justa causa do empregador: 
o O empregado rescinde o contrato in-
diretamente e recebe todos os