A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Revisão Fisiologia do Exercício AV2

Pré-visualização | Página 1 de 1

Revisão Fisiologia do Exercício AV2
Atividade física é toda e qualquer forma de manifestação muscular.
Exercício físico atividade física geralmente regular e feita com intenção de melhorar ou manter a aptidão física.
Aptidão física/condicionamento físico capacidade de realizar uma atividade sem fadiga e com vigor excessivo.
Qualidades de aptidão física: capacidade cardiorrespiratória, força muscular, flexibilidade, agilidade, equilíbrio e composição corporal.
Parâmetros do exercício: intensidade, frequência, volume, nº. de séries, nº. de repetições, quantidade de exercícios e escolha do exercício.
Quanto maior a intensidade menor a frequência.
Energia é a capacidade de realizar trabalho.
Formas de energia: química, mecânica, térmica, luminosa, elétrica e nuclear.
A energia não é criada nem destruída, mas sim transformada de uma forma em outra.
Reações químicas transferem ou utilizam a energia armazenada nos reagentes. 
Caloria é a quantidade de calor necessária para elevar em 1ºC a temperatura de 1kg de água.
O quociente respiratório é a relação entre lipídios e carboidratos, não tem como analisar a participação das proteínas através da respiração.
Dieta mista é quando o indivíduo esta utilizando metade de lipídio e metade de carboidrato no seu gasto energético.
Ponto de cruzamento momento na qual a porcentagem de carboidrato no metabolismo passa a ser maior do que a de lipídios.
>>> Os carboidratos são uma importante fonte de energia, não só em condições aeróbicas, mas também em condições anaeróbicas.
>>> A quebra de glicose na ausência de O2 forma o ácido lático.
Ciclo de Cori do fígado formação da glicose através do ácido lático.
Anabolismo síntese (construção tecidual) 	
Catabolismo degradação
1 MET = 3,5ml/kg/min – Cálculo: qtde Met x kg x min/1000 em litros hora. 
1 litro de O2 = 4,83 kcal – Cálculo: valor encontrado de Met (litro de O2) x 4,83kcal
1 de gordura equivale +/- 9 kcal
Aeróbico – presença de O2, ao ar livre, gasto de ATP
Anaeróbico - ausência de O2, peso. Por unidade de tempo possui um gasto calórico maior. 
Exercício anaeróbico alático – ATP-CP (ressíntese do ATP através da CP) sem O2 e sem formação de ácido lático.
Papel do sistema respiratório – é ativado a partir da concentração de CO2 . Através da respiração podemos segurar o pH através da (ácido) ou de CO2.
Papel do sistema renal: aumento ou diminuição dos íons hidrogênio ou bicarbonato (básico) 
Capacidade cardiorrespiratória é aprimorada à medida que é possível captar utilizar cada vez mais o oxigênio para a produção de energia.
Consumo máximo de oxigênio – VO2 máx capacidade máxima de captação e transporte de oxigênio.
Ergospirometria procedimento de diagnóstico para medir continuamente a respiração e o metabolismo de gases durante as diversas modalidades de atividade física e no repouso.
Adaptações aos exercícios: Limiares
Limiar anaeróbico e aeróbico – Considerações
- Quanto maior a produção de ácido lático mais o pH tende a cair
- Quanto maior o nível de lactato maior as chances de fadiga (atividade anaeróbica)
- 70% do VO2 máximo sendo utilizado quer dizer que o indivíduo está passando da aerobiose para anaerobiose (zona de transição)
- A FC aumenta porque o lactato sobe. Seu papel é bombear mais O2 para que ocorra a diminuição de lactato, proporcionando uma homeostase.
Stady state mantém o nível de lactato sem que ocorra fadiga ( FC quase inalterada. Acima de 4mmols a pessoa não consegue manter seu stady state.
Adaptações Cardiovasculares
Adaptação aguda ( PA x FC: aumento da FC, quanto maior a demanda energética maior a FC, consumo de O2 alto maior gasto calórico. Tendências: alteração do pH (diminuição), alteração da PA (geralmente aumenta), aumento da lipólise/glicogenólise, aumento da temperatura.
Indicadores Hemodinâmicos 
- Duplo produto (DP = FC x PAS) representa o trabalho do músculo cardíaco. Quanto maior o DP maior a sobrecarga do músculo cardíaco.
- Débito cardíaco (DC = FC x VS) é a quantidade de sangue que sai do coração em 1 min.
- Pressão arterial (PA = DC x RVP) força que o sangue exerce na parede do vaso. Quanto menor a área (RVP) maior a pressão.
Observações:
- Bradicardia de repouso do atleta ( diminuição da FC
- O aumento do VS leva a diminuição da FC, ocorre geralmente nos atletas.
- Coração batendo no seco ( aumento exagerado da FC diminuindo o VS, podendo gerar um IAM
Adaptações crônicas ( aumento do volume plasmático, aumento das hemácias, aumento do volume sistólico, aumento do débito cardíaco.
Adaptações Musculoesqueléticas
Contração Muscular - Considerações
- A unidade básica de contração muscular é a unidade motora, composta de fibras musculares + neurônio motor.
- Quanto maior o número de unidades motoras maior a força muscular desenvolvida.
- A contração muscular é um processo ativo que exige gasto de ATP
- Plasticidade: depende da especificidade ( as adaptações vão ser especificas a depender do estímulo dado.
- Otimização do fluxo periférico ( sangue chega com mais facilidade no músculo do atleta por causa do aumento de capilares.
Fibras do tipo I/oxidativas/vermelhas – contração muscular lenta, sistema do oxigênio aeróbico, fibras bastantes resistentes a fadiga. São as primeiras fibras a serem solicitadas quanto ao principio do tamanho.
Fibras do tipo II/glicolíticas/brancas – contração muscular rápida, ausência de O2, quebra de glicose, fibras que fadigam rapidamente, metabolismo principal anaeróbico.
Musculatura tônica – consegue sustentar a contração por mais tempo, depende de O2, processo de contração mais lento.
Musculatura fásica – contração mais rápida, mas fadiga mais facilmente.
Geração de força - quantidade de unidades motoras ativadas, tipo das unidades motoras ativadas, tamanho do músculo, disposição das fibras, comprimento inicial do músculo na ativação, aspectos biomecânicos.
Hipertrofia aumento do tamanho das fibras.
Hipertrofia metabólica ou sarcoplasmática aumento do tamanho da célula devido ao aumento das reservas de glicogênio muscular.
Hiperplasia aumento da quantidade de fibras. Suposição: quando a célula atinge um determinado comprimento, logo em seguida ela se divide em 2. 
Cineantropometria aplicação de medidas para estudar o tamanho, forma, proporção, composição, maturação e função. Entender o movimento humano.
PROVAS
(FALSO) Do Ponto de vista de rentabilidade, em termos de ganhos de energia, o metabolismo anaeróbico e aeróbico são iguais.
(VERDADEIRO) A importância do oxigênio nas reações energéticas dos seres vivos reside na sua eficiência como aceptor (aceitador) de elétrons.
(VERDADEIRO) A energia liberada em uma sequência de reações ao longo da cadeia respiratória é utilizada na conversão de ADP+P em ATP.
(VERDADEIRO) A glicogenólise é importante para o fornecimento de energia durante o exercício físico intenso.
Um aumento da PCO2 no sangue reduz o pH.
Ponto de Cruzamento é o momento em que a participação dos carboidratos supera a de lipídios.
 Um indivíduo que realiza exercícios físicos de lonmga duração num dia quente e úmido, apresentará dificuldade na termorregulação devido à dificuldade de dissipação de calor pelo principal mecanismo utilizado durante o exercício físico para este fim: evaporação.
 Formação do lactato a partir do fracionamento da glicose ocorre quando há déficit de oxigênio.
O metabolismo anaeróbico alático consiste na maneira mais rápida de ressíntese do ATP. 
Potencial de Ação ( liberação de ACH ( abertura dos canais de sódio ( despolarização da membrana do músculo ( liberação do cálcio: interação actina/miosina ( o Na se liga a uma proteína regulatória: troponina ( há movimentação da tropomiosina, desbloqueando o sítio de ligação ( interação actina/miosina.