A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Dúvidas frequentes sobre o novo aviso prévio de até 90 dias2

Pré-visualização | Página 2 de 3

e às decisões das autoridades competentes.
Parágrafo único. A livre estipulação a que se refere o caput deste artigo aplica-se às hipóteses previstas no art. 611-A desta Consolidação, com a mesma eficácia legal e preponderância sobre os instrumentos coletivos, no caso de empregado portador de diploma de nível superior e que perceba salário mensal igual ou superior a duas vezes o limite máximo dos benefícios do Regime Geral de Previdência Social. (Incluído pela Lei nº 13.467, de 2017)
O que ele pode livre estipular? Tudo o que está no artigo abaixo:
Art. 611-A. A convenção coletiva e o acordo coletivo de trabalho, observados os incisos III e VI do caput do art. 8º da Constituição, têm prevalência sobre a lei quando, entre outros, dispuserem sobre: 
XII e XIII  - enquadramento do grau de insalubridade e prorrogação de jornada em locais insalubres
§ 3° Se for  pactuada cláusula que reduza o salário ou a jornada, a convenção coletiva ou o acordo coletivo de trabalho deverão  prever  a  proteção  dos empregados contra  dispensa  imotivada  durante  o  prazo de  vigência  do instrumento  coletivo.
 Compare o inciso XII com o artigo 60 da mesma CLT:
 Art. 60. [reforma trabalhista 2017]
Nas atividades insalubres, assim consideradas as constantes dos quadros mencionados no capítulo "Da Segurança e da Medicina do Trabalho", ou que neles venham a ser incluídas por ato do Ministro do Trabalho, Industria e Comercio, quaisquer prorrogações só poderão ser acordadas mediante licença prévia das autoridades competentes em matéria de higiene do trabalho, as quais, para esse efeito, procederão aos necessários exames locais e à verificação dos métodos e processos de trabalho, quer diretamente, quer por intermédio de autoridades sanitárias federais, estaduais e municipais, com quem entrarão em entendimento para tal fim.
 Nova redação, vigência em 11/11/2017:
Parágrafo único. Excetuam-se da exigência de licença prévia as jornadas de doze horas de trabalho por trinta e seis horas ininterruptas de descanso. (Incluído pela Lei nº 13.467, de 13.7.2017)
7.  No Teletrabalho qual o  prazo de transição para a conversão do trabalho para presencial na empresa? E quem pode propor? (Artigo 75-C parágrafo 2º. e livro.)
R: Veja artigo 75 da CLT:
§ 2º Poderá ser realizada a alteração do regime de teletrabalho para o presencial por determinação do empregador, garantido prazo de transição mínimo de quinze dias, com correspondente registro em aditivo contratual. (Incluído pela Lei nº 13.467, de 2017)
8. Na CLT temos o que se chama de “período de quarentena”, se o empregado for demitido, ele só poderá ser recontratado depois de um certo tempo. Você sabe que quarentena é esta? ( Lei 6019 do trabalho Temporário e Terceirização) – 03/01/1974, alterada pela CLT)
R: 
Lei nº 6.019 de 03 de Janeiro de 1974  - trabalho temporário e terceirização
Art. 5o-D. O empregado que for demitido não poderá prestar serviços para esta mesma empresa na qualidade de empregado de empresa prestadora de serviços antes do decurso de prazo de dezoito meses, contados a partir da demissão do empregado. (Incluído pela Lei nº 13.467, de 2017)
9. O trabalhador autônomo não é considerado empregado, e com a reforma trabalhista, como fica a contratação deste trabalhador perante a CLT ?  (Artigo 442-B e livro)
R: 
Art. 442-B. A contratação do autônomo, cumpridas por este todas as formalidades legais, de forma contínua ou não, afasta a qualidade de empregado prevista no art. 3º desta Consolidação. (Redação dada pela Medida Provisória nº 808, de 2017)
§ 1º É vedada a celebração de cláusula de exclusividade no contrato previsto no caput. (Incluído pela Medida Provisória nº 808, de 2017)
§ 2º Não caracteriza a qualidade de empregado prevista no art. 3º o fato de o autônomo prestar serviços a apenas um tomador de serviços. (Incluído pela Medida Provisória nº 808, de 2017)
§ 3º O autônomo poderá prestar serviços de qualquer natureza a outros tomadores de serviços que exerçam ou não a mesma atividade econômica, sob qualquer modalidade de contrato de trabalho, inclusive como autônomo. (Incluído pela Medida Provisória nº 808, de 2017)
§ 4º Fica garantida ao autônomo a possibilidade de recusa de realizar atividade demandada pelo contratante, garantida a aplicação de cláusula de penalidade prevista em contrato. (Incluído pela Medida Provisória nº 808, de 2017)
10. Quais  os princípios do Direito do Trabalho.
R: Proteção do trabalhador, Irrenunciabilidade de direitos, continuidade da relação de emprego, primazia da realidade.
11. Tratados e Convenções internacionais sobre Direitos Humanos devem ser aprovados antes de entrarem em vigor. Qual a  Metodologia de aprovação destes Tratados? (Livro)
R: Serão equivalentes às Emendas Constitucionais e devem ser aprovados por 3/5 de cada casa do Congresso em dois turnos. (Parágrafo 3 do artigo 5 da Constituição federal)
12. Fale sobre o contrato por tempo determinado com o empregado (445 e 452 CLT e livro). 
R: 
Art. 445 - O contrato de trabalho por prazo determinado não poderá ser estipulado por mais de 2 (dois) anos, observada a regra do art. 451. (Redação dada pelo Decreto-lei nº 229, de 28.2.1967)
Artigo 452 - E só pode ser repactuado 6 meses depois do término do contrato, se for repactuado dentro deste prazo de 6 meses será considerado contrato por prazo indeterminado
13. Fale sobre o Contrato de Experiência. (Artigo 445 CLT e livro)
R: 
Art. 445 - O contrato de trabalho por prazo determinado não poderá ser estipulado por mais de 2 (dois) anos, observada a regra do art. 451. (Redação dada pelo Decreto-lei nº 229, de 28.2.1967)
Parágrafo único. O contrato de experiência não poderá exceder de 90 (noventa) dias. (Incluído pelo Decreto-lei nº 229, de 28.2.1967)
14. Quais são os  requisitos da condição de trabalhador avulso? (livro)
R: Ele não tem vínculo empregatício; pode prestar serviços para diversas empresas; pode ser sindicalizado ou não; possui intermediação obrigatória do sindicato da categoria profissional ou do OGMO - Órgão Gestor da Mão de Obra.
15. Quais são os  requisitos da condição de trabalhador  eventual (livro)?
R: É contratado para prestar serviços em certo evento. É de carátr ocasional, esporádico.
16. Que tipo de empregador rural pode contratar trabalhador rural por pequeno prazo (tempo determinado)o e qual é a norma? Livro
R: SÒ pode contratar por pequeno prazo (2 meses em 1 ano) o empregador rural pessoa física.
17. Quando o trabalhador por tempo determinado tem direito a aviso prévio?(Artigo 481 e livro)
R: São os contratos por tempo determinado, que contiverem cláusulas de rescisão imotivada antes do termo final, sendo então regidos pelas normas do trabalho por tempo indeterminado.
18. Fale sobre as normas do trabalho temporário. (Lei 6019 e livro)
R: O trabalho temporário tem duração de 180 dias, podendo ser prorrogado por mais 90 dias, Só pode ser repactuado novo contrato após 90 dias. Se o trabalho temporário for de curta duração, 30 dias,  não há  pagamento de FGTS. Não há contrato de experiência para o trabalhador temporário. Mas se este trabalhador for recontratado em nova função na empresa, pode neste caso haver contrato de experiência.
19. O Contrato de Trabalho pode ser extinto de comum acordo? (Artigo 484-A)
R: Sim, pode haver o distrato de acordo com o artigo 484 da CLT. As verbas trabalhistas estão listadas nesse artigo. A movimentação da Conta vinculada no FGTS fica limitada a 80%. A extinção do contrato por acordo não autoriza o ingresso no Programa de Seguro Desemprego.
20. Fale sobre o empregado estagiário.
R: 
O estágio não é regido pela CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas). Portanto, o estagiário não possui vínculo empregatício com o empregador. É liberalidade de o empregador conceder benefícios aos estagiários, como: bolsa-auxílio, qualquer espécie de benefício (assistência médica, vale-transporte, previdência privada, etc.), décimo terceiro salário, férias remuneradas, FGTS e outras garantias legais para empregados celetistas. O Aprendiz, diferentemente