A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
17 pág.
CENTRO UNIVERSITARIO INTERNACIONAL UNINTEprojeto tccnovo corrigido

Pré-visualização | Página 1 de 4

CENTRO UNIVERSITARIO INTERNACIONAL UNINTER
NOME:Rosana Bitencourt da Silva
RU:1275531
 
TEMA:
Educação especial: revisando conceitos na historia da inclusão
DELIMITAÇÂO DE TEMA:
Inclusão na educação nos séculos Xlll há séculos.
PROBLEMATIZAÇÂO:
Na época antiga a sociedade valorizava pela busca de manter o que era perfeito e belo, desta maneira a compreensão de avistar o feio, foi um modo de rejeição e eliminação, sem pensar no que isso ia atingir.
Sua aceitação não indicava a existência de um ser que apresentava indícios de má formação ou incapacidade.
Como esta sociedade poderia conviver ou ate mesmo fazer parte da vida de um deficiente físico ou mental.
De que modo poderia manifestar-se e reconhecer o valor de um ser humano, deixando de lado seus defeitos como cegos, surdos ou limitações físicas, na realidade histórica a sobrevivência de crianças assim não era necessária, registro mostra aspectos repugnantes e cruéis. mas em outras referencias também ocorria um costume de não execução de crianças mas de um modo ou outro a deficiência era um objeto de mau vades a qualquer ser humano .
Mas as influencias da ciência foi modificando as classes e esclarecendo a sociedade em geral e a partir daí ocorreu uma mudança sócio-cultural onde foi reconhecido o valor humano.
Partindo para uma busca de respeito de qualidade para poder dar a devida condição ao um individuo que ao divido seus defeitos ou problemas de saúdes são isolados do mundo.
Permitindo que as mudanças possam garantir uma condição de avanço na sociedade e na educação escolar.
Para que venha diferenciar o comportamento e proporcionar novas formas de ensinar e valorizar e também garantir um melhor atendimento favorecendo a educação especial em seus constantes anseios como formas de adaptação e possibilidades e condições de igualdade acessibilidade de praticas pedagógicas e contribuir com nova transformação oferecendo um convívio social, a integração com os direitos de ser incluído para que possa ser incluído no contexto escolar e social. 
JUSTIFICATIVA 	
A escolha do tema se justifica por ser um conteúdo histórico e de um momento importante na educação onde buscava as exterminar uma classe e excluir e discriminar os deficientes físicos, mental ou sensorial, inserindo-se assim no contexto de histórico importante na historia do Brasil. A escolha do tema tem como objetivo uma investigação sobre o que acontecia com os deficientes na historia do Brasil especialmente no século Xlll onde, tudo começou acontecer e as mudanças foram sendo efetuadas e observadas, tendo muitos avanços e desafios e informações que contribuíram para o conhecimento mais aprofundamento na época, onde a população que por vários fatores, de um novo modo de pensar e revolucionar a vida do homem, sob muitos aspectos e uma imensa legião de pobres, enfermos, marginalizados e sem sombra de duvida os portadores de problemas” físicos, sensorial e mental.” 
As demandas da educação especial com a historia buscando uma maneira estrutural e de compreendê-las de modo que um momento intenso promovidos por um grande desafio vistos aos vários contrastes existentes na precariedade das instituições educacionais brasileiras na historia possam contribuir para interesse de um trabalho que poderá servir de base a novas pesquisas, no qual e necessário a busca e de entendimentos da educação especial e a inclusão como um indicador de uma revisão bibliográficas relacionadas ao conteúdo aqui exposto. 
OBJETIVOS:
OBJETIVO GERAL:
Reconhecer um contexto de capacidade de aprender através de recursos uma educação no processo de inclusão, para complementar a escolarização e o atendimento educacional viabilizando a construção do conhecimento.
OBJETIVOS ESPECIFICOS:
*Desenvolver os vínculos afetivos e a formação de atitudes e valores a vida social.
*Oferecer uma formação individualizada na sala de recurso onde deve acontecer o apoio didático pedagógico para possibilitar o entendimento especializado ao aluno com deficiência mental.
*Conhecer o direito da educação especial no relacionamento individual e coletivo no ambiente escolar e um grupo diferente daqueles que o aluno freqüenta a classe comum.
*Compreender o desenvolvimento das situações educacionais da inclusão com a exclusão com pensamento critico da época.
*Avaliar o trabalho da classe e do aluno com deficiência e pratica teórica no ensino aprendizagem e o modo de como a ser capaz de se adaptar a sociedade.
FUNDAMENTAÇÂO TEORICA:
A criança parecia feia disforme e franzina, indicando algum tipo de limitação físico, os anciões ficavam com as crianças e, em nome do estado, a levavam para um local conhecido como Apothetai (que significa “deposito”) tratava-se de um abismo onde a criança era jogada, pois tinham a opinião de que não era bom nem pra a criança nem para a republica que ela vivesse, visto que, dede o nascimento não se mostrava bem construída para ser forte sã e rija durante toda a vida. ( Ligurgo de Plutarco apud Silva, 1987, p .105).
(...) as questões que envolvem as pessoas com deficiência no Brasil- porexemplo , mecanismo de inclusão, políticas de assistencialismo, caridade, inferioridade, oportunismo, dentre outras –foram construídas culturalmente (Grifos Nossos, Figueira 2008,p 17).
Para os gregos, o corpo belo e forte era prova de saúde e força.
Requisitos necessários para o combate e a luta, para a conquista de novas terras, sendo que aqueles que não correspondessem a esse ideal, como as crianças doentes, eram marginalizadas a ate mesmo eliminados ou abandonados a própria sorte pra morrer (Barbosa, Matos, Costa, 2011, p, 25).
	
A política, livro Vll,capituloXIV,1335b- Quanto rejeitar ou criar os recém- nascidos, terá um haver uma lei segundo a qual nenhuma criança disforme será criada , com vista evitar o excesso de crianças, se o costume das cidades impede o abandono do recém – nascido deve haver um dispositivo legal limitando a procriação se alguém tiver um filho contrariamente ao dispositivo, devera ser provocado o aborto antes que comecem as sensações de vida (a legalidade ou ilegalidade do aborto será definida pelo critério de haver ou não a sensação de vida),(GUGEL:2007,p,63).
Em 1620, na Espanha, Juan Pablo Bonet (1579-1633) escreveu sobre as causas da deficiência auditiva e dos problemas da comunicação, condenando os métodos brutais e de gritos para ensinar alunos surdos.
No livro Rechection de lãs hablar los surdos Pablo Bonet demonstra pela primeira vez o alfabeto na língua de sinais.
Em (1510-1590), Ambroise, médico Frances do Renascimento encontro uma maneira de cura para pessoas vindas das guerras usando métodos cirúrgicos e cauterização das artérias, criando próteses.
John Milton (1608-1674), um dos maiores poetas ingleses era cego e com apoio de escribas escreveu varias obras dentre elas: “Paraíso Perdido”.
Stephen Farfler fez uma cadeira de rodas para se locomover por que era paraplégica em 1655, a cadeira de rodas era feita de madeira com duas rodas.
Em 1964, foi a realizada a primeira Para - Olímpicos em Tókio, Japão.
Barbier apresentou o seu invento ao Instituto Nacional dos Jovens Cegos de Paris em (1809-1852), O Brailler é usado ate dias de hoje.
Influenciado pelas idéias européias, o então Imperador do Brasil, Dom Pedro II (1840-1889) funda o Imperial Instituto dos Meninos Cegos (1854), hoje chamados Instituto Benjamin Constant (em homenagem ao seu terceiro diretor), e o Imperial Instituto dos Surdos Mudos (1857), hoje denominados Instituto Nacional de Educação de Surdos – INES, ambos em atividade atualmente e referência nacional no tratamento dessas necessidades especiais (MAZZOTTA, 2005, pp. 28-29). 
A partir do fim do século XIII que as praticas da caridade vão se tornando uma espécie de serviço social local. O governo, que era composto pela igreja, autoridades leigas e religiosas, senhores notáveis e burgueses ricos, crias as instituições sociais, hospitais, asilos, orfanatos, hospícios, os quais