A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
12 pág.
Afecções reprodutivas de macho

Pré-visualização | Página 1 de 3

Afecções reprodutivas no macho 
Impotência coeundi 
É a dificuldade de realizar a copula, mais tem 
sêmen de boa qualidade. 
. Fisiologia da copula
 
 
 
começa a ser produzido a Testosterona: 
partir da puberdade, e estimular a libido
(característica sexual segundaria à 
puberdade). 
Partir da puberdade o macho começa a 
receber estímulos (visuais, olfativos, 
auditivos), que são os estímulos da fêmea em 
cio, esses estímulos vão à medula lombar nos 
nervos parassimpáticos sacros e provoca a 
 pela liberação de acetilcolina. ereção
Obs.: em alguns animais acontece a 
vasodilatação do pênis (cavalos e cão), nas 
outra espécies vai acontecer o relaxamento 
do ligamento do S peniano (suínos e 
ruminantes). 
 
Fatores que interferem na cobertura 
ou capacidade de serviço: 
 
o Visuais: 
o Olfativos: feromônios, reação de 
flehmen. 
o Auditivos: vocalização dos 
reprodutores ou barulho excessivo 
o Endócrinos: testosterona e equilíbrio 
hormonal 
 
 
 
 
Depois da ereção o macho vai fazer a 
, e vai tentar fazer a monta introdução do 
, para que ocorra a pênis na vagina
, alguns nervos sensitivos do pênis ejaculação
precisam ser estimulados. (Ruminantes, Cão 
base do pênis; Equinos, Suínos = glande do 
pênis). 
Quando esses nervos são estimulados (via 
simpática), acontece à que é a emissão 
contração da musculatura lisa da gls. Anexas 
e liberado o liquido seminal na uretra e tem o 
fechamento do colo da bexiga (para o liquido 
seminal não ir para bexiga) e no mesmo 
tempo, sincronicamente a ocitocina faz a 
contração da cauda do epidídimo liberando os 
espermatozoides na uretra (mistura o liquido 
seminal na uretra). Tudo isso acontece no 
momento do escato (pulinho) e tem a 
 (vias parassimpáticas) a ejaculação
acetilcolina vai contrair o musculo que 
envolve a uretra (musculo isquiocarvernoso e 
bulbocavernoso) e vai relaxar o esfíncter 
uretral. 
 
 
 
 
 
Os problemas podem estar: 
o Na falta de testosterona 
o Problemas na ereção 
o Problemas na monta 
o Problemas na introdução do pênis na 
vagina 
o Problemas na ejaculação 
Exame da libido 
Tem que apresentar vontade estimulo e 
perceber que a fêmea esta no cio. 
 
 
 
Fatores que interferem na cobertura 
ou capacidade 
o Ambientais: temperatura e umidade, 
frio: estresse térmico (Bos tauros) 
o Grande diferença genética em 
bovinos 
 Bos tauros Bos indicus 
Puberdade: precoce Puberdade: tardio 
 Cortejo: curto Cortejo: longo 
+ agressivos Discretos 
Maior repetibilidade 
de monta 
Menor repetibilidade 
de monta 
Estresse térmico 
(clima frio) 
Clima quente 
o Variações individuais 
o Inibição de sexualidade: dominância (o 
animal esconde sua libido por conta 
de outro animal do mesmo sexo) 
agressividade (estabelecer quem vai 
dominar), e falta de aprendizado 
(nunca ter visto outro animal fazer 
(animais jovens)). 
o Nutrição (falta ou excesso). Falta de 
leptina 
o Alterações do sistema locomotor 
(manejo inadequado, instalações 
inadequadas, fatores genéticos). 
o Doenças sistêmicas (febres, dor) 
o Idade (diminuição testosterona, 
senilidade, diminuição corporal). 
o Fatores psicológicos (dor nos casco, 
dor na coluna e qualquer outra tipo 
de dor). 
o Deficiências hormonais (muitas 
vezes falta LH que estimula as 
células de leydig a produzirem 
testosterona, pode estimular a 
produção de testosterona, aplicando 
o GnRH estimula a hipófise produzir 
LH. Gonadotrofinas. 
Hipotireoidismo(diminuição dos 
hormônios tireoidianos que são 
responsáveis pelo metabolismo de 
todas as células do corpo inclusive 
das células de leydig) 
Mudança de manejo 
o Instalações 
o Adaptação ao calor 
o Tratamento das alterações de 
casco, tendões ligamentos e 
membros. 
o Cuidados com a vagina artificial 
o Hormôniotrerapia (testosterona, 
GnRH) 
 
Distúrbios ejaculatórios 
1. Falta de libido: hereditário, distúrbios 
endócrinos ou ambientais resultam 
na falha na ereção. 
2. Inabilidade a copula 
(Falha na monta, falha na 
intromissão, falha na ejaculação). 
Problemas relacionados ao pênis e prepúcio 
 Hematomas de pênis ou prepúcio
Traumas na copula mal sucedidas 
Ex.: animal monta na fêmea em pró-estro 
- edema prepucial 
- prolapso peniano 
 
Tratamento: 
o Repouso sexual para cicatrizar 
o Compressas 
o Lavagens prepuciais com 
antissépticos 
 Balanopostite
Processo inflamatório que acomete pênis e 
prepúcio causado por um vírus, bactéria ou 
protozoários. 
- tritrichomonas foetus 
- herpesvírus bovino tipo1 (Vulvovaginite 
pustular) (faz feridas, ele se localiza nas 
terminações nervosas da pela causando 
muita dor). 
-campilobacteriose e Tricomonose a forma 
de transmissão e através da copula 
(infecção leve em comparação ao 
herpesvírus). 
Pode causar: 
o Abscesso em pênis 
 
o Abscesso em prepúcio 
 
 
Acrobustite 
- processo inflamatório crônico que acomete 
a extremidade do prepúcio ( uma 
Balanopostite crônica) 
- estreitamento do óstio prepucial (fimose) 
- não exteriorização do pênis 
- prolapso da mucosa prepucial + traumas 
Acontece muito em zebuínos solto em pasto 
por ter o prepúcio pendular 
 
 
 
Sintomas: 
- exantema e ulceras da mucosa peniana e 
prepucial 
Tratamento: 
o Antibioticoterapia 
o Lavagens topicos 
o Repouso sexual 
o Debridamento da ferida 
Fimose 
Diminuição do diametro do ostio prepucial , 
impedindo a exposição peniana 
Pode ser de origem : 
 congenita (nasce com ele ) ou adquirida 
(traumas, tumores) 
como ele não expoem o penis, ele urina 
dentro do prepucio, e fica com a urina retida 
. 
 
sintomas 
gotejamento de urina, balanopostite, edema 
prepucil, incapacidade de acaslar 
tratamento: 
o correção cirugica (abri-se um 
orifico) 
 
 
parafimose 
é uma fimose onde houve a exposição 
peniano com incapacidade de retonro do 
penis, ficando este garroteado pelo ostio 
prepucial. 
 
Sintomas 
Laceração peniana em diferentes graus 
podendo haver gangrena 
Tratamento 
o Redução do edema com compressar 
frias 
o Recolocação manual com bastante 
lubrificante 
o Amputação parcial do prepucio 
(correção cirugica) 
Alteração da direção peniana 
o Persistencia de frenulo 
o Penis em formato de saca-rolha 
(suinos é normal esse formato) 
o Penis em “ arco-iris” 
o Desvio peniano 
 
 
 
Tratamento 
Correção cirugicas 
 
Neoplasias penianas 
Bonivos – fibropapiloma (tumor benigno, 
mais é transmitido atraves a copula) 
Resolução espontanea 
Remoçao cirugica ou descarte da reprodução 
Criocirugia ou amarrar cordões que 
restringe a circulação e cai. 
Pênis bífido 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Pênis curto 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Comportamento sexual dos cães 
Controle: hormônios sexuais e córtex 
cerebral 
Hiper-sexualidade: 
Agressividade, monta em outros cães, 
objetos, pessoas, marcação de território 
dentro de cas, comportamento destrutivo, 
excitabilidade. 
Tratamento: (pode não resolver a castração
agressividade) uso de progestagenos 
(letargia e aumento do apetite), treinamento 
. comportamental
 
Infertilidade em cães 
Queixa principal: não gestação após 
cobertura 
o Sêmen de má qualidade 
o Ejaculação retrograda: é o não 
fechamento do colo da bexiga 
o Não produza espermatozoide 
o Não copulou. 
o Muitos cães tem falta de libido 
o Inbreend (consanguinidade) = diminui 
a performance reprodutiva 
o Falha na ereção e ejaculação= como 
problemas psicológicos (dominância, 
humanização). 
o Manejo reprodutivo inadequado ( 
porque as pessoas não sabem que o 
sangramento da fêmea, não esta no 
cio) 
o Dor: problemas de coluna, 
prostatite, orquite. 
o Insuficiência hormonal: alteração