A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
ISOLAMENTO DE MICRORGANISMOS E TESTES BIOQUÍMICOS DE CITRATO, CATALASE, VM E VP

Pré-visualização | Página 1 de 1

UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS 
FACULDADE DE ENGENHARIA 
ENGENHARIA DE ALIMENTOS 
MICROBIOLOGIA DE ALIMENTOS 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
ISOLAMENTO DE MICRORGANISMOS E TESTES BIOQUÍMICOS DE CITRATO, 
CATALASE, VM E VP 
 
 
 
CLARA SANTA ROSA FIORITI 
GEOVANE AMARAL DA CUNHA 
GUILHERME LEONEL MACHADO 
LUCAS HENRIQUE FARAONI 
NAIARA APARECIDA DE SOUSA 
 
 
 
 
 
 
Profª Dr. Cristina Tostes Filgueiras 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
DOURADOS/MS 
2019
 
 
1. INTRODUÇÃO 
 A técnica de isolamento de colônias de um determinado microrganismo a partir de 
uma cultura mista tem como objetivo obter uma colônia separada onde será possível 
caracterizar a bactéria sem que haja interferência de outras espécies de microrganismos, 
tornando-as viáveis para cultivo no laboratório. Para isso, é necessário apropriar-se de 
técnicas de estrias ou espalhamento em meio de cultura específico. Essas estrias podem ser 
feitas do modo simples, onde a alça de inoculação ou platina percorre a placa em “ziz-zag” ou 
a alça pode ser esgotada de forma em que as estrias fiquem paralelas no canto da placa e são 
continuadas no mesmo modo nas extremidades. Normalmente após o isolamento uma colônia 
é retirada e inoculada em meios de culturas específico em tubos inclinados (SILVA, 2010). 
 Cada microrganismo possui um metabolismo distinto, uns podem fermentar glicose, 
outros podem degradar determinados compostos. Essas características bioquímicas são 
determinadas por diversos testes. A análise de Voges-Proskauer(VP)é um teste bioquímico capaz 
de determinar se uma espécie de microrganismo libera a acetoína ao metabolizarem a glicose. Já a 
análise de Vermelho-de-Metila (VM) determina se uma bactéria fermenta a glicose formando ácidos. 
Ambas análises necessitam de reagentes de leitura, onde a mudança de cor determina a obtenção do 
teste positivo (SILVA, 2010). 
 O teste do citrato e catalase também são testes bioquímicos para a caracterização de um 
microrganismo. O teste do citrato tem como objetivo analisar se o microrganismo estudado usa o 
citrato como única fonte de carbono, alterando o pH. O ágar citrato de Simmons + o indicador de pH 
azul de bromotinal tem cor verde quando pH é neutro. Quando o pH fica básico o ágar muda para a 
cor azul caracterizando teste positivo. O teste da catalase tem por objetivo analisar se a bactéria 
degrada peróxido (SILVA, 2010). 
 Diante do exposto, o objetivo desse trabalho foi isolar uma colônia de cultura mista de leite 
cru e após a isolação realizar testes bioquímicos para caracterizar o microrganismo da colônia. 
2. MATERIAL E MÉTODOS 
 As análises foram realizadas no Laboratório de Microbiologia (LAMICRO) da 
Universidade Federal da Grande Dourados. A técnica de isolamento de colônia foi realizada 
no fluxo de luz UV com auxílio da chama do bico de Bunsen. As placas de cultura mista de 
leite cru em diluição 10-3teve uma colônia retirada com alça de platina e estriada em placas 
com ágar PCA. Foram feitas estrias simples e comportas. As placas foram incubadas à 35ºC 
por 48 horas. 
Após a incubação foram feitos testes de citrato, catalase, VP e VM. Para o teste de 
citrato foi escolhida a colônia mais isolada e estriada em ágar inclinado de citrato de Simmons 
e incubadas em estufa à 37ºC por 72 horas. Para o teste de catalase uma colônia isolada foi 
estriada em lâmina e adicionadas algumas gotas de peróxido de hidrogênio, foi observada a 
formação de bolhas. O VP e o VM foram feitos com caldos glicosados e, com a alça de 
platina, a colônia foi inoculada e incubadas à 37ºC por 48 horas. Após a incubação foram 
adicionados os indicadores a base de potássio para VP e vermelho-de-metila para VM e foram 
observadas as reações. 
3. RESULTADOS E DISCUSSÃO 
 Para as análises realizadas no primeiro dia, foi feito o isolamento de microrganismos, 
estria simples e compostas, obtendo o resultado observado nas figuras abaixo. 
 
Figura 1. Estria simples Figura 2. Estria composta 
 
O primeiro teste bioquímico realizado foi o da catalase, com o intuito de analisar a 
degradação do peróxido de hidrogênio pela enzima catalase, obteve-se então o resultado 
negativo, indicando que não houve a degradação. Para o segundo teste, citrato de Simmons, no 
qual foi realizado estria composta, o tubo permaneceu na cor verde,significando um resultado 
negativo, ou seja, o microrganismo não é capaz de utilizar o citrato como única fonte de 
carbono. Quando o microrganismo utiliza o citrato como fonte de carbono indica teste 
positivo, resultando na alcalinidade do meio, tornando-o azul. 
 
Figura 3. O tubo verde representa o teste negativo, já o tubo azul representa o teste positivo. 
 
No teste Vermelho de Metila (VM) o resultado foi positivo, ocorrendo a fermentação 
da glicose, deixando o meio ácido, e alterando a cor para rosa avermelhado. O resultado é 
representado na figura abaixo. 
 
Figura 4. Teste positivo para o Vermelho de Metila (VM). 
 
 O teste Vogues-Proskauer (VP), é realizado com o intuito de analisar a oxidase da 
acetoína em diacetila, utilizando o hidróxido de potássio como reagente de leitura, podendo 
ser observado na figura 5. 
 
 
Figura 5. Resultado negativo para VP. 
 
 
Analisando a figura a cima, observa-se o resultado negativo, pois a coloração 
permaneceu amarela, caso o resultado fosse positivo a coloração mudaria para rósea ou 
vermelho. 
 
4. CONCLUSÃO 
Diante deste estudo pode-se observar que os testes bioquímicos são eficazes na determinação 
dos microorganismos isolados, pois apresenta claras reações em que há liberação de 
compostos que são resultados de suas reações metabólicas decorrentes no meio ao qual estão 
dispostos. 
 
 
 
REFERÊNCIAS 
SILVA, Neusely da.; JUNQUEIRA, Valéria Christina Amstalden; SILVEIRA, Neliane Ferraz 
de Arruda; TANIWAKI, Marta Hiromi; SANTOS, Rosana Francisco Siqueira dos; GOMES, 
Renato Abeilar Romeiro.Manual de métodos de análise Microbiológica de Alimentos e 
água. 4- Ed. São Paulo: Editora Varela, 2010.