A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
66 pág.
nutrição funcional -SANAR

Pré-visualização | Página 1 de 12

https://www.editorasanar.com.br/nutricao
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO À NUTRIÇÃO FUNCIONAL �����������������������������������������������������������������������������������������3
DETOXIFICAÇÃO E BIOTRANSFORMAÇÃO HEPÁTICA ������������������������������������������������������������������14
SUPORTE NUTRICIONAL AO SISTEMA DE DETOXIFICAÇÃO ��������������������������������������������������������19
IMUNONUTRIÇÃO PARTE I E II ��������������������������������������������������������������������������������������������������������27
IMUNIDADE INATA ���������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������28
IMUNIDADE ADAPTATIVA ����������������������������������������������������������������������������������������������������������������28
CITOCINAS ��������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������29
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DAS RESPOSTAS IMUNES ADAPTATIVAS �������������������������������30
COMPONENTES CELULARES DO SISTEMA IMUNE ADAPTATIVO ������������������������������������������������31
ALIMENTOS FUNCIONAIS: LEGISLAÇÕES �������������������������������������������������������������������������������������45
REFERÊNCIAS ���������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������61
 APOSTILA | Nutrição Funcional 3
INTRODUÇÃO À NUTRIÇÃO FUNCIONAL
NUTRIÇÃO CLÍNICA FUNCIONAL: 
A nutrição funcional é uma área de conhecimento da nutrição baseada na 
perspectiva da medicina funcional. O termo “funcional” aplica-se à manifestação 
de mudanças em processos fisiológicos básicos que refletem sintomas de duração, 
intensidade e frequência aumentadas, ou seja, não se resume apenas a doenças 
de origem conhecida, mas alterações precoces nas funções orgânicas que podem 
evoluir para doenças crónicas ao longo da vida. Os conceitos da nutrição funcional 
abrangem genética, intervenção clínica por meio da biologia em sistemas e a 
compreensão da influência de fatores ambientais e de estilo de vida no surgimento 
e progressão da doença. 
Na prática clínica, objetiva aplicar condutas personalizadas para equilibrar 
funcional e nutricionalmente o organismo e modular respostas frente ao genótipo 
e a diferentes fatores que predisponham desequilíbrios e doenças, promovendo a 
saúde como vitalidade positiva.
As condutas da nutrição funcional são norteadas pelos seguintes princípios 
básicos:
1. Individualidade bioquímica: princípio base para a terapia nutricional 
funcional, caracterizado por um conjunto de fatores genéticos, fisiológicos 
e bioquímicos individuais que orquestra o funcionamento do organismo e as 
necessidades nutricionais, as quais interagem com fatores ambientais (incluindo 
hábitos alimentares, toxinas, poluentes, stress mental e atividade física). Assim, 
cada indivíduo apresenta uma necessidade ou deficiência nutricional específica, 
que podem ser determinadas pela avaliação de sinais e sintomas que o mesmo 
apresenta ou pelo meio ambiente ao qual está exposto; 
2. Tratamento centrado no paciente: o foco do tratamento nutricional funcional 
é centrado no paciente e não na doença, uma vez que é considerada a inter-
relação entre os sistemas orgânicos e a influência sofrida por fatores ambientais, 
socioeconômicos, emocionais, culturais, alimentares, bem como antecedentes 
individuais e familiares, utilização de medicamentos e prática de atividade física, 
indicando a individualidade dos sinais e sintomas apresentados pelo paciente. 
Neste ponto, utiliza-se, conjuntamente, o sistema ATMs (Antecedents, Triggers, 
and Mediators– Antecedentes, Gatilhos e Mediadores) para a identificação dos 
https://www.editorasanar.com.br/nutricao
 APOSTILA | Nutrição Funcional 4
desequilíbrios nutricionais e funcionais e subsequente obtenção do diagnóstico 
nutricional. 
3. Equilíbrio nutricional e biodisponibilidade de nutrientes: a absorção e a ação 
dos nutrientes em âmbito celular são dependentes não apenas da adequação 
da ingestão, mas também da razão de equilíbrio entre estes componentes – 
os quais agem em sinergismo dentro do organismo, da origem do alimento e 
sua forma de conservação e preparo, da forma química em suplementações, 
e, por fim, da condição absortiva e/ou patológica e da necessidade nutricional 
individual; 
4. Saúde como vitalidade positiva: segundo a OMS, saúde se refere ao 
perfeito estado de bem-estar físico, mental e social (28). O indivíduo deve ser 
avaliado como um organismo completo e tratado com o objetivo de modular os 
desequilíbrios existentes para restabelecer a relação positiva entre os sistemas, 
atingindo a saúde de forma plena, ou seja, com vitalidade positiva; 
5. Inter-relações pela teia de interconexões metabólicas: as interconexões 
metabólicas caracterizam um modo que permite elencar as inter-relações entre 
todos os processos bioquímicos do organismo e entre o sistema ATMs, permitindo 
a identificação dos desequilíbrios metabólicos associados às condições clínicas 
apresentadas pelo paciente, favorecendo o desmembramento das bases 
funcionais destes distúrbios para o tratamento de suas causas.
TEIA DA NUTRIÇÃO FUNCIONAL
Nesse processo são identificados diversos fatores bioquímicos, neurológicos, 
emocionais, mentais, hormonais, imunológicos e físicos e como modificações nestes 
pontos podem influenciar direta ou indiretamente a interação entre os sistemas, 
refletindo ou não em distúrbios orgânicos. Ainda, considera-se o sistema ATMs, o 
padrão de sono e relaxamento, a prática de atividade física, aspectos nutricionais 
e de hidratação, stress e resiliência, bem como relacionamento e convívio.
 
https://www.editorasanar.com.br/nutricao
 APOSTILA | Nutrição Funcional 5
Figura 1. Teia da nutrição funcional
SISTEMA DE ATMS
Leva em consideração todos os sistemas fisiológicos do nosso organismo, os 
antecedentes, os gatilhos (triggers) e mediadores que afetam esses sistemas e os 
sintomas pertinentes ao desequilíbrio deles.
A - Antecedentes
T - Triggers (Gatilhos)
M - Mediadores
S - Sintomas 
Com o preenchimento da teia, identifica-se os antecedentes, triggers (gatilhos) 
e os mediadores de cada sintoma correspondente a cada sistema, elegendo-se 
então os três sistemas em maior desequilíbrio (maior numero de sintomas) para 
iniciar o tratamento nutricional visando o bloqueio dos gatilhos e a introdução de 
nutrientes que modulem os mediadores para restabelecer o equilíbrio funcional de 
cada sistema. Alcançando-se dessa maneira a Vitalidade Positiva para o paciente 
https://www.editorasanar.com.br/nutricao
 APOSTILA | Nutrição Funcional 6
desaparecendo com os sintomas.
A indicação para introdução de nutrientes para restabelecer o equilíbrio funcional 
de cada sistema é feito de acordo com a necessidade individual e bioquímica de 
cada paciente que é identificada através destas avaliações.
Utilizam-se fundamentalmente os princípios das:
RDAs (Recommended Dietary Allowances): nunca a necessidade de um 
nutriente é conhecida com certeza;
DRIs (Dietary Reference Intakes): nessa adequação o resultado é sempre dado 
em probabilidade de percentual de adequação;
Com as DRIs, tem-se uma maior flexibilidade para aumentar a ingestão dos 
nutrientes, garantindo o atendimento adequado das necessidades de cada 
indivíduo, sempre respeitando os limites da UL (Tolerable Upper Intake Limits).
ANTECEDENTES
Os antecedentes levam em conta a história de vida do indivíduo + a história 
genética da família. 
 → Se o indivíduo não possui doenças - Prevenção
 → Se o indivíduo possui doenças - Investigação
- Nascimento até o momento atual (experiências de vida, desempenho escolar, 
alimentação, aleitamento, uso de suplementos e medicamentos, etc);
- Lugares onde mora ou morou;
- Hábitos de vida (atividades de lazer, experiências sexuais);
- Histórias de doenças familiares.
 d Anamnese funcional
A anamnese funciona como um raio x do paciente