A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
28 pág.
QUESTOES PROVA PDTA

Pré-visualização | Página 7 de 11

ou seja, não é neutra, e um ato político.
• Deverá procurar a superação da relação opressor-oprimido. 
• Busca o desenvolvimento da consciência crítica, desvelamento da realidade. E um ato de conhecimento, garantido através do dialogo.
• Professor e aluno buscam conjuntamente a superação da consciência ingênua.
• O professor procurara desmistificar e questionar com o aluno a cultura dominante, valorizando a linguagem e a cultura deste, criando condições para que cada um deles analise seu conteúdo e produza cultura.
 - Principais concepções teóricas da abordagem socio cultural de Paulo Freire
R-
A obra de Paulo Freire é considerada uma referência para explicitar a Abordagem Sociocultural, pela sua preocupação com a educação e cultura popular. De acordo com Becker (1993) epistemologicamente esta relação pode ser assim representada: S↔O e a Pedagogia que deriva desta concepção é a Relacional: A↔P.
Educação: a educação se dá enquanto processo, em um contexto que deve ser levado integralmente em consideração, e é por meio dessa educação que ocorre o desenvolvimento da consciência crítica, que não é acabada em si mesma, mas que está em um processo contínuo. Segundo Freire a educação se faz em um processo de conscientização, num contínuo e progressivo desvelamento da realidade, permitindo a construção de um cidadão crítico e ativo.
Escola: a educação não está restrita à escola ou a um processo de educação formal. Para Freire a escola deve ser um local onde seja possível o crescimento do aluno e do professor, no processo de conscientização, uma escola diferente dos modelos atuais. A escola está inserida em um contexto socio histórico de uma sociedade, sendo importante refletir a serviço de qual poder esá atuando.
Ensino Aprendizagem: Freire afirma que o processo ensino aprendizagem deve procurar a superação da relação opressor-oprimido, superação de um modelo da Pedagogia do Oprimido para a Pedagogia da Liberdade ou Libertação. 
Abordagem construtivista
- Quem foi Jean Piaget?
R –
• Jean Piaget (1896-1980).
• Foi um dos principais teóricos do século XX, cujas ideias sobre o desenvolvimento humano influenciam até hoje áreas como a Psicologia e a Pedagogia.
-método de ensino construtivista de Piaget. O que é?
R –
Teoria da aprendizagem desenvolvida pelo psicólogo e epistemólogo suíço Jean Piaget, no início da década de 1920, o construtivismo considera que há uma construção do conhecimento e que, para que isso aconteça, a educação deve criar métodos que estimulem essa construção.
Essa metodologia entende que o aprendizado deve acontecer através do professor mediador e dos alunos, que não são apenas meros aprendizes, e sim, indivíduos com informações e conhecimentos que precisam ser levados em consideração no contexto escolar.
A base do pensamento construtivista consiste em considerar que há uma construção do conhecimento e, que para que isso aconteça, a educação deverá criar métodos que estimulem essa construção, ou seja, ensinar aprender a aprender.
Essa linha pedagógica entende que o aprendizado se dá em conjunto entre professor e aluno, ou seja, o professor é um mediador do conhecimento que os alunos já têm em busca de novos conhecimentos criando condições para que o aluno vivencie situações e atividades interativas, nas quais ele próprio vai construir os saberes.
Essa filosofia de ensino é inspirada na obra de Jean Piaget (1896-1980), biólogo e psicólogo suíço que se dedicou a pesquisas relacionadas às formas de aquisição de conhecimento.
A discussão principal de seus estudos é a ideia de que o conhecimento é construído por meio das interações entre sujeitos e o meio.
A linha pedagógica construtivista chegou à América Latina através da argentina Emilia Ferreiro que foi aluna do Jean Piaget na Universidade de Genebra.
Ela escreveu o livro “Psicogênese da Língua Escrita”, em parceria com Ana Teberosky no qual defende que a aprendizagem se dá através do todo para as partes e que cada criança aprende em seu tempo.
 - ETAPAS DE DESENVOLVIMENTO DE PIAGET
R -
As etapas de desenvolvimento também foram realizadas por outros estudiosos da psicologia. Porem Piaget as dividiu dessa forma:
Sensório–motor (0 a 2 anos)
Pré-operacional (2 aos 6 – 7 anos)
Operacional concreto (7 aos 11 anos)
 -Quais são os princípios do construtivismo?
R -
o aluno é o centro e o protagonista do processo de aprendizagem;
o nível de amadurecimento de cada estudante é respeitado;
o ensino é visto como processo dinâmico, em que o aluno interage, e não estático, como acontece com frequência em métodos pedagógicos tradicionais;
o aprendizado é construído gradualmente, e cada novo conhecimento é aprendido a partir de conceitos anteriores.
o conhecimento não é visto como a única verdade possível ou como uma versão exata da realidade.
Como aplicar o construtivismo na educação?
É importante que o construtivismo seja aplicado por todos os professores da unidade escolar e que haja formação continuada garantindo que essa maneira de trabalhar a construção do conhecimento seja praticada em todas as turmas. A escola que optar por essa linha de ensino precisa sistematizar o aprendizado de maneira que o aluno realmente entre em uma jornada intelectual de construção do conhecimento.
Colocando em termos práticos, no dia a dia da escola, para que a instituição adote o sistema construtivista, o estudante precisa ter um tutor que deve ser o professor. Esse profissional precisa conhecer o método, bem como, conhecer e respeitar os limites do progresso individual de cada aluno.
 - Qual o papel do professor no construtivismo?
R-
Diferentemente dos métodos tradicionais, no construtivismo o professor não é apenas um transmissor unilateral de conhecimento. Ele tem o papel de ser um facilitador, um mediador e um orientador durante a aprendizagem, que é construída pelo aluno, ou seja, esse profissional precisa, dentro da especificidade de cada aluno, estimular para que ele seja o protagonista do seu conhecimento, aprender a aprender.
O professor tem a função de contextualizar o aluno em diferentes circunstâncias que promovem o conhecimento, que podem ser teóricas ou práticas. Quando está diante dessas situações, o estudante precisa encontrar soluções e, assim, ele constrói o conhecimento.
Na perspectiva construtivista, o professor também é responsável por incentivar os alunos a buscarem novos conceitos, novas maneiras de conhecer e de compreender o mundo ao seu redor e o que é apresentado em sala de aula.
Como você pôde perceber, empregar o construtivismo na educação é uma maneira de trazer o foco principal do ensino para uma aprendizagem interativa, que relaciona a interação do indivíduo com o meio. Os estudantes sentem-se estimulados a aprender porque conseguem perceber conexões entre os conteúdos abordados em sala de aula e a vivência do dia a dia.
 - Quais são os 4 fatores necessários ao desenvolvimento na abordagem construtivista?
R –
Para Piaget ha quatro fatores necessários ao desenvolvimento: maturação (do organismo e das estruturas cognitivas), experiência (as ações concretas e experiencias logicas sobre o mundo), as interações sociais (com adultos, com outras crianças, com a cultura) e a equilibração majorante (dinamicidade com que o sujeito realiza trocas com o meio).
- conceito de assimilação
R-
consiste em incorporar objetos do mundo exterior a esquemas mentais preexistentes. Por exemplo: a criança que tem a ideia mental de uma ave como animal voador, com penas e asas, ao observar um avestruz vai tentar assimilá-lo a um esquema que não corresponde totalmente ao conhecido. 
-- conceito de acomodação
R-
a acomodação se refere a modificações dos sistemas de assimilação por influência do mundo externo. Assim, depois de aprender que um avestruz não voa, a criança vai adaptar seu conceito "geral" de ave para incluir as que não voam.
Piaget analisa as relações escolares sob três aspectos. Quais?
R -
coerção dos mais velhos: corre-se o risco de que a pressão do grupo prevaleça sobre a cooperação, tornando a criança ou o adolescente dependente do adulto

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.