A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
28 pág.
QUESTOES PROVA PDTA

Pré-visualização | Página 8 de 11

e submetido a uma disciplina imposta por eles.
egocentrismo dos indivíduos: pode ocorrer uma afirmação excessiva do indivíduo, rompendo o equilíbrio necessário ao trabalho coletivo e cooperativo;
cooperação entre iguais: o desenvolvimento do respeito mútuo favorece a compreensão reciproca e a discussão objetiva, o que reforça a importância de estimularmos a cooperação. Entretanto, neste caso, podem aparecer duas deformações: a tagarelice (as falas esvaziadas de sentido) e a primazia da palavra sobre a ação (falar muito e fazer pouco).
Níveis de erros durante o processo de aprendizagem:
R -
No construtivismo o erro é possível ou até necessário durante o processo de construção do conhecimento. Assim, Piaget classifica em níveis de desenvolvimento as respostas do sujeito:
Nível 1 - não há erro na perspectiva do sujeito, não compreende a existência do mesmo.
Nível 2 - o erro é percebido pelo sujeito, mas somente depois de ter errado, a posteriori, não havendo antecipação ou pré-correção do erro,
Nível 3 - existe a compreensão do erro e a possibilidade de antecipar, neutralizar, pré-corrigir.
- Paulo Freire têm implicações importantes para a teorização sobre o currículo.
A crítica de Paulo Freire ao currículo existente está sintetizada
(A) no conceito de educação bancária.
(B) no conceito de educação problematizadora.
(C) no conceito de mídia educação.
(D) no conceito de educação libertária.
(E) no conceito de educação multicultural.
- Se pensarmos em Paulo Freire, na relação professor e aluno o:
 
A professor deve manter distância do aluno, pois ser autoritário “é preciso”.
B diálogo é um dos pilares desta relação, favorecendo a troca de saberes.
C professor deve permitir que o aluno faça o que quiser para tornar-se um amigo
D professor deve puni-lo retirando as atividades de que mais gosta sempre que o aluno errar.
E castigo deve ser aplicado para que o aluno compreenda a autoridade do profes
INTELIGENCIA EMOCIONAL
-Quem foi Daniel Goleman?
R –
Daniel Goleman, psicólogo e jornalista americano (1946).
• É necessário um equilíbrio entre a mente emocional e a mente racional.
-Quais as principais características emocionais para Goleman?
R -
* Autoconhecimento,
* Gestão das emoções,
*Empatia,
* Sociabilidade.
- Em seu livro, o autor mapeia a inteligência emocional em cinco áreas de habilidades, ou seja, considera que o sujeito apresenta uma inteligência emocional se é capaz de utilizar algumas habilidades. Quais?
R –
* Motivar a si mesmo e persistir mediante de frustrações;
* Controlar impulsos (canalizando emoções para situações apropriadas);
* Praticar gratificação prorrogada;
* Motivar pessoas, ajudando-as a liberarem seus melhores talentos, e conseguir seu engajamento aos objetivos de interesses comuns.
-Segundo Goleman, o que e preciso para garantir o sucesso profissional e pessoal?
R –
• Não basta possuir um QI acima da média, ou simplesmente manifestar uma habilidade incomum, como garantia de sucesso pessoal e profissional. É tão ou mais importante saber gerenciar emoções, promover cooperação e ambiente de harmonia entre as pessoas com quem se trabalha, tomar decisões adequadas, desenvolver o autoconhecimento e ter empatia pessoal.
- Qual a importância de utilizar a inteligência emocional?
R -
• As emoções dominam a razão humana e por conta disso, nem sempre fazemos as melhores escolhas e/ou agimos de modo assertivo no meio social.
• Utilizar a inteligência emocional é ter habilidade para o trabalho em equipe, estabelecendo redes sociais e construindo relacionamentos, mesmo entre pessoas de características temperamentais diferentes.
• Isso implica o exercício constante do diálogo e da autoanálise, mantendo a humildade em reconhecer os próprios limites e não hesitando em dividir os problemas.
*Ter autoconsciência das emoções, pode conferir a capacidade para lidar com elas.
* Reconhecer as emoções nas outras pessoas e saber lidar com elas em nossos relacionamentos.
- o que é alfabetismo e analfabetismo emocional?
R –
analfabetismo emocional- Goleman se refere à deficiência em reconhecer e lidar com as próprias emoções e as alheias
A alfabetização emocional busca intervir em situações de conflito explícito e, também, de maneira preventiva, promovendo o desenvolvimento de recursos emocionais para evitar escolhas prejudiciais no futuro.
- Papel do professor para garantir a alfabetização emocional
R –
• O autor propõe que aderir à alfabetização emocional signifique incluir nos currículos normais das escolas a temática das emoções e da vida social.
• As oportunidades se da dentro da sala de aula, como a mágoa por ser deixado de lado pelos colegas na hora de formação de grupos de trabalho, ou fora dela, como discussões no pátio por causa de uma bola.
• Cabe ao professor coordenar discussões gerais com toda a turma sobre os conflitos vividos por alguns dos seus membros.
Valorizando momentos de troca de experiências e de sentimentos entre todos com o intuito de que esses aprendizados possam ser multiplicados em situações vividas fora da própria escola.
- Quais os Princípios da educação emocional?
R -
A infância modificou-se muito nos últimos anos, o que vem dificultar ainda mais o aprendizado afetivo. Os pais e os professores devem ocupar o papel de preparadores emocionais, devem ensinar aos filhos/alunos estratégias para lidar com os altos e baixos da vida. Devem aproveitar os estados de emoções dos alunos, para ensiná-los como lidar com eles e ensiná-los como tornarem-se uma pessoa mais humana. O receio de produzir crianças reprimidas está gerando uma quantidade muito grande de crianças mal educadas e emocionalmente menos aptas.
 
- Para aqueles pais que ainda não são preparadores emocionais, Gottman (1996) propõe cinco passos para que sejam:
R -
• Perceber as emoções das crianças e as suas próprias.
• Reconhecer a emoção como uma oportunidade de
intimidade e orientação.
• Ouvir com empatia e legitimar os sentimentos da criança.
• Ajudar as crianças a verbalizar as emoções.
• Impor limites e ajudar a criança a encontrar soluções
para seus problemas.
-Qual a importância das emoções?
R -
sobrevivência, tomadas de decisão, ajuste de limites, comunicação, união.
- Embora os pais tenham papel fundamental na educação emocional dos filhos, algumas iniciativas em escolas têm se mostrado positivas ao treinar professores para tal missão. Descreva
R -
 Cabe, portanto, à escola investir menos esforços em medir conhecimentos (as notas) e mais tempo e enfoque na aprendizagem; compartilhar responsabilidades com seus alunos; investir nas tecnologias modernas de ensino; identificar e promover talentos individuais; promover reciclagem permanente de professores; enfatizar atividades em grupo; enfatizar a criatividade de cada aluno; ensinar ao aluno como aprender.
• Valorizando, assim, momentos de troca de experiências e de sentimentos entre todos, com o intuito de que esses aprendizados possam ser multiplicados em situações vividas fora da própria escola.
 -Papel do professor na preparação da inteligência emocional
R –
• Cabe ao professor coordenar discussões gerais com toda a turma sobre os conflitos vividos por alguns dos seus membros.
Valorizando momentos de troca de experiências e de sentimentos entre todos com o intuito de que esses aprendizados possam ser multiplicados em situações vividas fora da própria escola.
- Quais os cinco passos propostos por John Declaire e John Gothaman?
R –
1. Perceber as emoções das crianças e as suas próprias;
2. Reconhecer a emoção como uma oportunidade de intimidade e orientação;
3.Ouvir com empatia e legitimar os sentimentos da criança;
4. Ajudar as crianças a verbalizar as emoções;
5. Impor limites e ajudar a criança à encontrar soluções para seus problemas.
- Leia com atenção a situação abaixo e responda a questão:
Karen (sete anos) é aluna da 1a série do Ensino Fundamental de uma escola particular e tem demonstrado muita tristeza em função da morte de seu cachorro, ocorrida há duas semanas. Chora muito todos os dias na escola e isto tem trazido algumas

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.