A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
58 pág.
Análise de conjuntura II

Pré-visualização | Página 1 de 18

Análise de conjuntura II
Questão 1/10 - Análise de Conjuntura
Leia o trecho a seguir:
No decorrer da disciplina Análise de Conjuntura foram feitas inúmeras  Relatório Focus. que podem, em princípio, ser aplicadas a macro sistemas – mundo, país, segmento econômico – cujo futuro se deseja antecipar como apoio à toma de decisão dos gestores. Todavia, para a aplicação da metodologia de análise de conjuntura e cenários em nível regional, como explica Buarque (2003), devemos considerar a região como um subsistema de uma cadeia mais ampla e complexa, do qual recebe influências e impactos.
Agora observe a imagem a seguir:
Fonte: Rota de aprendizagem da aula 6. Análise da Conjuntura com o prof. Joaquim Israel Ribas Pereira. Tema 5: Análise de Cenários Regionais.
Considerando o trecho citado, a imagem acima e os conteúdos discutidos ao longo da disciplina Análise de Conjuntura, análise as assertivas abaixo, que versam sobre a análise de cenários regionais e, depois, assinale a alternativa que indica apenas as corretas:
I. Por mais que haja influência da região para o macro contexto, em uma análise de conjuntura essa influência é considerada limitada e pouco relevante. 
II. Os cenários mundiais acabam exercendo pouca relevância e influência para a análise de conjuntura no nível nacional. 
III. A metodologia proposta na figura acima acaba restringindo a análise a apenas um tipo específico de combinação, de modo que é pouco utilizada. 
Nota: 0.0
	
	A
	Apenas a afirmativa III está correta.
	
	B
	Apenas as afirmativas I e II estão corretas.
	
	C
	Apenas a afirmativa I está correta.
Gabarito comentado:
Apenas a afirmação I está correta. A afirmação I está correta porque existe uma relação bilateral entre os subsistemas regionais e nacionais, isto é, existe em algum grau uma influência da região sobre o macro contexto como, por exemplo, uma grande concentração de indústrias em certo município que geram uma grande arrecadação fiscal para o país; todavia, como aponta Buarque (2003), para a análise de conjuntura é interessante considerar que essa influência da região sobre os macros sistemas são limitadas e pouco relevantes. A afirmação II está incorreta porque sempre deve-se pensar na análise de conjuntura do Brasil observando o desempenho presente e futuro do sistema internacional e de política externa. Da mesma forma, os cenários regionais serão robustos, se considerados os impactos advindos dos cenários nacionais possíveis. A afirmação III está incorreta, porque a visão proposta na figura do enunciado apresenta uma metodologia que acaba por abrir excessivamente o leque de alternativas. Para solucionar de certa maneira, e entendendo que as combinações têm diferentes graus de consistência e de sustentabilidade, deve-se utilizar três critérios, conforme recomendação de Buarque (2003): i) o primeiro critério será a análise de consistência, isto é, iremos descartar os cenários que não conversam de maneira lógica entre si; ii) o segundo critério é união das combinações com alto grau de semelhança qualitativa final, ou seja, cenários com consequência semelhantes podem ser agrupados em um só; iii) o último critério é a seleção das combinações que apresentam maior grau de sustentação política por parte das instituições e da população.
Referência: Rota de aprendizagem da aula 6. Análise da Conjuntura com o prof. Joaquim Israel Ribas Pereira. Tema 5: Análise de Cenários Regionais.
	
	D
	Apenas as afirmativas I e III estão corretas.
	
	E
	Apenas a afirmativa II está correta.
Questão 2/10 - Análise de Conjuntura
Leia o trecho a seguir:
Não há regras que determinem como deve ser apresentada uma análise de cenários, dando liberdade para o analista procurar o meio mais intuitivo para apresentar os resultados, principalmente em diferentes contextos. O que vamos fazer aqui é conhecer uma maneira básica, que permite condensar de maneira formal os cenários apresentados. Diante disso, seguindo a recomendação de Damodaran (2009), será no quarto passo a própria geração da análise de conjuntura, com suas possíveis variações em cenários. Além de analisar a situação atual e mais possível no futuro, criar suposições de conjunturas menos prováveis torna a análise mais robusta e interessante para a administração da empresa.
Fonte: Rota de aprendizagem da aula 6. Análise da Conjuntura com o prof. Joaquim Israel Ribas Pereira. Tema 1: Iniciando a Montagem de uma Análise de Conjuntura.
Tendo como base os conteúdos discutidos na disciplina Análise de Conjuntura, assinale a alternativa que apresenta, corretamente, qual é o número ideal de cenários que devem ser projetados em uma análise de conjuntura:
Nota: 0.0
	
	A
	Três cenários.
	
	B
	Cinco cenários.
	
	C
	Dez cenários.
	
	D
	Dois cenários.
	
	E
	Seis cenários.
Gabarito comentado:
Um questionamento muito comum na quarta fase é: qual a quantidade ideal de cenários? Inicialmente e de maneira ainda simples e correta, podemos incluir três (mais provável, riscos positivos, riscos negativos), todavia, uma avaliação com somente três cenários, dependente da complexidade e da dinâmica econômica, pode levar a uma análise demasiadamente simplória. Por outro lado, um número excessivo de cenários pode levar a erros e uma dificuldade de entendimento. Recomenda-se a utilização de seis cenários, ou seja, um cenário que condensa a situação mais verosímil, dois cenários para hipóteses positivas na economia, dois para hipóteses negativas na economia, e um tendo em conta um choque externo que possa causar grandes danos negativos. Por término, o quinto passo de Damodaran (2009) da análise de conjuntura é a exibição das consequências para a companhia. Uma vez que é estabelecida uma expectativa de melhoria acima do previsto, o analista deve expor qual é o resultado para a companhia. Por exemplo, se uma companhia trabalha com a produção de produtos têxteis, provavelmente um progresso econômico irá provocar uma maior busca pelos seus produtos.
Referência: Rota de aprendizagem da aula 6. Análise da Conjuntura com o prof. Joaquim Israel Ribas Pereira. Tema 1: Iniciando a Montagem de uma Análise de Conjuntura.
Questão 3/10 - Análise de Conjuntura
Leia o trecho a seguir:
Na disciplina Análise de Conjuntura foi possível observar que após a coleta dos dados necessários para a pesquisa, tem início a fase da execução para a qual é necessária a utilização de algum software de análise de dados. Há uma oferta grande de ferramentas para análise e cada uma oferece um benefício diferente. 
Fonte: Rota de aprendizagem da aula 5. Análise da Conjuntura com o prof. Joaquim Israel Ribas Pereira. Tema 5: Softwares de Análise de Dados.
Considerando o trecho citado acima e os conteúdos discutidos ao longo da disciplina Análise de Conjuntura, análise as assertivas abaixo que apresentam alguns desses softwares de análise de dados e, depois, assinale a alternativa que indica apenas as corretas:
I. O Microsoft Excel pode ser utilizado tanto para estatísticas descritivas, como para a criação de gráficos.
II. O Eviews é muito popular entre os economistas por permitir a realização de análises econométricas.
III. O Stata é amplamente criticado pelos estatísticos por seu software engessado e por não oferecer comandos de atualização da programação.
IV. O R é o software mais utilizado, mesmo não oferecendo opções estatísticas avançadas. Essa popularidade se deve à simplicidade do software.
Nota: 0.0
	
	A
	Apenas as afirmativas I e II estão corretas.
Gabarito comentado:
Apenas as afirmativas I e II estão corretas. A afirmação I está correta porque o Microsoft Excel deve ser, provavelmente, a ferramenta de análise de dados mais popular no mundo, e pode ser facilmente utilizada para estatísticas descritivas, bem como para a criação de gráficos. A afirmação II é correta porque o Eviews é um dos softwares mais populares nas graduações em economia para o ensino de econometria. Na questão de análises econométricas, o programa é mais avançado do que os anteriores que vimos nesse tema, com opções de séries temporais e dados em painel.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.