A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Direito das Obrigações - Obrigação de fazer e não fazer

Pré-visualização | Página 1 de 1

Direito das Obrigações | Anotações do dia 23/03/2021 
● OBRIGAÇÃO DE FAZER 
- Obrigação caracterizada por um serviço, uma conduta de agir (conduta 
comissiva/positiva) ao invés de ser entregue um bem 
- É possível ​obrigações sucessivas,​ obrigações de fazer e dar logo em seguida. 
Ex.: incorporação imobiliária 
o Obrigação de fazer ​– construir um prédio 
o Obrigação de dar​ – transferência da posse do imóvel após conclusão 
● As obrigações de fazer podem ser : 
 
01. duradouras 
 Ex.: duradoura: trabalhar todos os meses para determinada empresa; 
02. Instantâneas 
Ex: pintar um quadro 
● Obrigação de Fazer Infungível 
Prestada apenas por aquela pessoa, ela não pode ser substituída por outra pessoa; o 
devedor tem características próprias. 
Ex.: Show de um artista 
o ​Naturalmente infungíveis – a infungibilidade decorre das qualidades 
pessoais do devedor 
o Contratualmente infungível – a infungibilidade decorre da previsão 
contratual. Ex.: proibição de substabelecimento em procuração 
● Obrigação de fazer fungível 
Quando outra pessoa pode substituir o devedor, sem prejuízo para o credor. Importa o 
resultado sem importância das qualidades pessoais de quem executa. Não importa quem vai 
fazer, mas sim o serviço que vai ser feito. 
Ex: Pedreiro 
o ​Uma obrigação pode ser naturalmente infungível​, mas ​por contrato 
possui cláusula ​que permite outra pessoa fazer e ​contratualmente passa a 
ser fungível. 
● DESCUMPRIMENTO DA OBRIGAÇÃO DE FAZER 
 
- Sem culpa do devedor​ – resolve-se a obrigação e volta ao status quo ante 
- Com culpa do devedor – dever de indenização pelo devedor, por perdas e 
danos 
o Nos casos de obrigações de fazer fungível​, havendo recusa do devedor, o 
credor poderá mandar executar a obrigação por terceiro e cobrar despesas 
do devedor (Art. 249, parágrafo único​1​) – relação com o princípio 
operabilidade por favorecer o cumprimento da obrigação/ uma autotutela 
do devedor para buscar outra pessoa que cumpra a obrigação 
● OBRIGAÇÃO DE FAZER ENVOLVENDO TERCEIROS 
Duas pessoas celebra a obrigação e quem realiza é uma terceira pessoa 
- Se o terceiro não tomou parte na negociação​, não responderá, devendo o devedor 
responder por perdas e danos. 
 
- Se o terceiro anuir (concordar) 
o ​A anuência pode ser sem ressalva​, liberando o devedor originário, 
transfere a obrigação para terceiro 
- ​O original se retira 
o A anuência com ressalva (cláusula de solidariedade) entre o devedor 
original e o terceiro anuente. 
- Pode cobrar tanto do originário como do terceiro 
 
● OBRIGAÇÃO DE NÃO FAZER (NEGATIVAS) 
 Sempre​ tem natureza infungível ​– atitude pessoal e intransferível do devedor 
o Ex.: Direito de vizinhança; Obrigação de não fazer muro maior que 2m não 
pode transferir a obrigação para outra pessoa para o original descumprir a 
obrigação 
● Inadimplemento 
o Sem culpa – resolução (Art. 250) 
Ex.: obrigação de não construir e posterior inadimplemento, em razão de 
determinação do poder público 
o ​Com culpa –​ desfazimento (quando possível) ou ressarcimento 
● Obrigação de não fazer instantânea 
Quando descumpridas uma única vez, já não possibilitam o desfazimento. 
Ex: Não divulgar um segredo de empresa. 
● Permanentes ou contínuas 
Quando, mesmo após o descumprimento, admitem a recomposição ao estado original. 
Ex: Obrigação de não poluir - nos casos em que é possível o desfazimento da 
poluição. 
1 ​Art. 249.​ Se o fato puder ser executado por terceiro, será livre ao credor mandá-lo executar à custa do devedor, havendo recusa ou 
mora deste, sem prejuízo da indenização cabível. 
Parágrafo único​. Em caso de urgência, pode o credor, independentemente de autorização judicial, executar ou mandar executar 
o fato, sendo depois ressarcido.