A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Imagenologia - Introdução à imagenologia

Pré-visualização | Página 1 de 1

É uma ciência que possibilita uma visão interna de estruturas e constituintes anatômicos que não
podem ser visualizados a olho nu
O raio x é um feixe de energia que tem como característica a capacidade de penetração na
matéria e formação de imagem nos aparelhos receptores de imagem
Roentgen em 1895 fez um experimento com tubos de raios catódicos e ao aplicar descarga
elétrica conseguiu ver que uma placa de cianeto de bário no lado oposto fluorescia, assim ao
interpor objetos entre o tubo e a placa conseguiu captar imagens, assim obteve-se a primeira
radiografia, a qual era da mão de sua esposa
Os raios x são invisíveis, produzem fluorescência, se propagam em linha reta, impressionam
chapas fotográficas, não são refletidos ou refratados por campo eletromagnético
As primeiras radiografias odontológicas foram por Otto Walkhoff e o Edmund Kells foi o
primeiro a usar o raio x no diagnóstico e plano de tratamento odontológico
Os perigos da radiação ainda não eram conhecidos
A radiação é a emissão e propagação de energia no espaço na forma de onda ou partícula
Ionização é a produção de pares iônicos quando um átomo neutro perde ou ganha elétron (fica
carregado)
Radiação ionizante é a radiação capaz de formar íons com a remoção ou adição de e-
Raio x é uma radiação ionizante
Há a radiação ionizante corpuscular e a eletromagnética
A corpuscular é quando os átomos se quebram e liberam partículas alfa, beta ou gama
A eletromagnética possui 2 campos que são perpendiculares entre si, é o movimento da energia
através do espaço, com campos de força elétrica e magnética, tendo como tipos o raio gama e
raio x, radiação ultravioleta, luz visível, infravermelho e ondas de rádio (em ordem decrescente)
Radiação eletromagnética não possui massa, tem a mesma velocidade da luz, pode ser emitida
em forma de partículas e ondas, gera campos magnético e elétrico e possui energias mensuráveis
(frequência e comprimento de onda)
Se comportar como partícula é em pacotes de energia (fótons ou quanta)
Esses pacotes de energia se propagam em forma de ondas, as quais possuem frequência (n° de
oscilações produzidas pelos campos num intervalo de 1s - Hz) e comprimento de onda (menor
distância entre 2 pontos consecutivos) e quando há baixa frequência há baixa energia e vice-
versa
A radiação x possui alta energia (maior frequência), o que faz com que consiga atravessar corpos
Ondas de baixa energia não conseguem atravessar anteparos
Radiação x é uma radiação ionizante de alta energia e os raios x são fótons (pacotes de energia)
neutros que se propagam em forma de onda, com frequência e velocidade da luz (muito alta)
Os raios x têm poder de penetração e absorção, promovem ionização e promovem fluorescência
Raios x podem provocar efeitos biológicos
imagenologia
INTRODUÇÃO À IMAGENOLOGIA
Giovanna Maria - Odontologia UFRN
Formação de raios x na ampola em 3 etapas: geração de elétrons, aceleração de e-, desaceleração de
e-
A ampola (coração do aparelho) é um dispositivo onde dentro é vácuo e que fica no cabeçote do
aparelho de raios x, nela há um polo negativo (cátodo) e um polo positivo (ânodo), um filamento de
tungstênio ligado ao catodo e uma placa de tungstênio (ponto focal) ao ânodo, há também uma janela
de saída por onde vai sair o raio x
Existem 2 transformadores ligados a essa ampola, o TBT (transformador de baixa tensão) e o TAT
(transformador de alta tensão)
O TBT se liga ao cátodo (-) e vai fornecer e- através do aquecimento do filamento de tungstênio,
produzindo uma nuvem de e-
O TAT se liga aos 2 polos e ele vai promover ddp alta, promover alta energia cinética para acelerar
os e- a fim de que se movam para a placa de tungstênio
Quando os e- se chocam com a placa de tungstênio (alvo de tungstênio) 99% da energia cinética se
transforma em calor e 1% se transforma em raios x que irão formar a imagem com um feixe bem
direcionado
A maioria do raio x formado na ampola é por uma radiação de Bremsstrahlung, radiação de
frenagem, pois é devido o freio dos e- (desaceleração) promovido pelos núcleos de tungstênio,
produzindo os fótons de raio x
Aparelhos de raio x: conjunto de peças que devem produzir radiação capaz de atingir o objeto e
fazer com que essa energia tenha força para atravessar ele e atingir o receptor de imagem
Existem extraorais (telerradiografia, panorâmica) e intraorais, classificadas segundo o local em que é
posto o filme (película radiográfica), mas em todos há cabeçote, painel de controle, braços
articulados e base móvel ou fixa
No cabeçote além da ampola há óleo, fonte de energia, envoltório de chumbo, filtro de alumínio,
colimador e um cilindro
Filtro de alumínio: remove os fótons com baixa energia que não conseguiriam atravessar o objeto,
reduzindo a quantidade de radiação que chega ao paciente (dose de radiação), essa filtragem é a
filtragem externa, a ampola e o óleo fazem a filtragem inerente
Colimador: ficam na saída do cabeçote, na frente do filtro, e pode ser redondo ou quadrangular,
limitando a área do paciente exposta aos raios x
Cilindro localizador: indica a direção dos feixes de raios x e definem a distância ideal do ponto focal
ao paciente, pode ser mais longo ou mais curto
Goniômetro: orienta a angulação vertical do aparelho, podendo fazer a regulação do grau
Painel de controle: possui marcador e seletor do tempo de exposição, disparador e avisos luminosos
e sonoros indicadores de radiação
Braços articulados: sustentam o cabeçote, possuem os cabos elétricos e permitem a movimentação
do cabeçote
Base: sustenta o aparelho
imagenologia
Giovanna Maria - Odontologia UFRN