A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Anatomia e Fisiologia dos Olhos

Pré-visualização | Página 1 de 2

ANATOMIA E FISIOLOGIA DOS OLHOS – Paulo Ferreira
- Nossa visão depende de várias estruturas oculares, os olhos são apenas as câmeras que captam as imagens e elas são enviadas até o cérebro
- Nervo óptico -> quiasma óptico -> trato óptico -> corpo geniculado lateral -> neurônios do lobo occipital do sulco calcarino
Estruturas do Olho
Córnea e cristalino
- Duas lentes do tipo convergente
- Processam as imagens que vem do externo
- O ideal é que essas duas lentes sejam capazes de fazer a imagem ser focada na retina
Córnea 
- Lente transparente, é a continuação da esclera (casca protetora que envolve o olho quase que 360 graus). A coróide é a túnica uveal (túnica intermediária) que se diferencia na íris. A túnica uveal é a íris, coroide e corpo ciliar (região produtora do corpo aquoso). A retina é a túnica interna
- Dividida em 5 camadas
· Epitélio: camada mais superficial, não é uma camada perfeita para a visão, as vezes é irregular, é uma camada hidrofóbica. Na membrana basal do epitélio é rica em terminações nervosas, portanto muito dolorosa 
· Membrana de bowman: camada adjacente ao epitélio
· Estroma: camada mais espessa, ocupa quase que 90% do total, fibras colágenas compostas de uma forma para uma boa qualidade ótica
· Membrana de descemet
· Endotélio: última camada remove água (que vem da lágrima e do humor aquoso) para que não haja acúmulo. Não se regeneram, quando o número se torna insuficiente a córnea não é mais transparente
- Lágrima – camada de muco (células caliciformes são produtoras, ficam na conjuntiva – há a conjuntiva bulbar e a conjuntiva palpebral, mas ambas produzem muco, a camada de muco preenche os espaços da cónea, atapetamento, e torna a córnea hidrofóbica e endofílica), aquosa e de gordura (produzidas pelas glândulas de meibômio, ficam na borda dos cílios, fora da conjuntiva, evita que a camada aquosa evapore rápido demais)
- É a região mais inervada do corpo e precisa estar o tempo todo lubrificada para conforto e qualidade óptica (metabolismo), pelas lágrimas
- o somatório refrativo é resultado da córnea anterior e posterior, que resultam no poder refrativo da córnea 
Cristalino
- Lente que trabalha a todo momento até uma época da vida, quando ainda tem elasticidade
- Suspenso 360 graus pelas fibras zonulares
- Quando o músculo ciliar contrai, o cristalino reduz, soltando as fibras zonulares, ficam relaxadas e o cristalino fica mais convergente (mais gordinho). Quando o musculo ciliar relaxa, o cristalino aumenta e as fibras zonulares se esticam
- Tem inserção na zona equatorial do cristalino e no musculo ciliar, quando o musculo contrai ele faz com que o cristalino tenha a força de convergência atuante
- Lente que se molda a todo momento para ajustar o foco 
Segmento anterior
- Preenchido pelo humor aquoso na câmara anterior e câmara posterior (entre cristalino e face posterior da íris)
Humor Aquoso
- Produzido o tempo todo nos processos ciliares do corpo ciliar
- Mantém a formação do globo ocular, a pressão interna positiva
- Corpo ciliar -> preenche a câmara posterior, vem pela pupila, chega na câmara anterior e é drenado pela malha trabecular (trabeculado) -> canal de Schelmpe -> veias episclerais
- Malha trabecular: emaranhado de canais que chegam até o canal de Schlempe (canal maior)
- Quando humor aquoso é mais produzido que drenado tem aumento da pressão intraocular
- Sem produção de humor aquoso: atrofia ocular, o olho murcha. Quando murcha, a esclera e a córnea começam a ficar com o colágeno enrijecido, quase calcificado
- Ele precisa ser renovado o tempo todo principalmente para ter uma boa qualidade da visão, para que ele não fique turvo e prejudique a visão
Humor Vítrio
- Composto por colágeno, proteínas, preenche a câmara vítrea, o segmento posterior do olho
- Formam a gelatina que preenche a câmara posterior 
- Não tem a dinâmica de ser produzido e drenado
- Tem pouca variação na sua composição
- É normalmente desprovido de células inflamatórias
- Ideal é que tenha maior transparência possível para que a visão chegue até a retina do polo posterior
Íris
- Composta pelo epitélio pigmentar e o estroma
- O que determina a cor do olho é a quantidade de pigmento que tem no epitélio pigmentar, quanto mais pigmento, mais escuro, quanto menos, mais claro
- Quando temos um epitélio pigmentar claro, a luz consegue penetrar também pelas bordas, não só pela área central (pupila) e com isso tem mais sensibilidade à claridade
- Controla a abertura e fechamento da pupila através dos músculos. Diafragma controla a quantidade de luz no olho
Pupila
- Trabalha o tempo todo abrindo e fechando
- Músculos: esfíncter da pupila e o dilatador da pupila (localizados na íris)
- Muito exposto a luz, a pupila fecha e quanto menos exposto mais ela abre
- Principal área que a luz passa
Retina central (Mácula)
- Região onde há maior concentração de neurônios fotorreceptores
- Tem aproximadamente 10 camadas histológicas, mácula é a região central da retina, responsável pela acuidade visual. A camada de células fotorreceptora é aquela que recebe a visão
- Quando a imagem vem ela atravessa toda a espessura da retina e estimula a camada fotorreceptora, essa camada emite axônios que fazem sinapse com as células bipolares (outro neurônio), e elas fazem sinapse com células ganglionares, essas últimas emitem axônios que se alongam e recobrem a camada de fibra nervosas da retina, formando o nervo ótico e fazem sinapse com o corpo geniculado lateral e então os neurônios, radiações óticas, desse local fazem sinapse com os neurônios do lóculo occipital do sulco calcarino. 
- 4 sinapses até o cérebro
	1. camada fotorreceptora -> células bipolares
	2. células bipolares -> células ganglionares 
	3. células ganglionares -> corpo geniculado lateral 
	4. corpo geniculado lateral -> sulco calcarino (lóbulo occiptal)
- Fibras das células ganglionares temporais continuam no mesmo lado até sinapse com corpo geniculado lateral e os axônios da região medial cruzam para o lado e formam o quiasma óptico. A junção das células temporais com as mediais contralaterais formam o trato óptico
- Nervo óptico é formado por axônios de células ganglionares
- o quiasma óptico é composto pelas fibras nervosas nasais, pois as temporais vão para o mesmo lado, enquanto as nasais cruzam para o outro lado. O trato óptico é composto pelas fibras temporais do olho homolateral e as fibras nasais do olho contralateral.
Lágrima 
- Produzidas na glândula lacrimal 
- Toda vez que piscamos jogamos lagrimas nos olhos, parte dela evapora e parte é drenada pelas vias lacrimais
- Fluxo: glândulas lacrimais -> olhos -> vias lacrimais = pontos lacrimais -> canalículo superior -> canalículo inferior -> canalículo comum -> saco lacrimal -> desemboca inferior ao corneto inferior, meato nasal
- Se temos pouca produção de lágrimas temos o ressecamento do olho, e altera o conforto dos olhos e a qualidade ótica. Epífora = excesso de lágrima
- Acúmulo de lágrima quando há obstrução das vias lacrimais, daí ela corre para fora
- Ideal é piscar a cada 5-10s para manter a qualidade de lágrimas adequada para manter o metabolismo da córnea e uma boa qualidade ótica 
- 3 camadas
- Muco: camada mais interna, produzido pelas células caliciformes que ficam na conjuntiva. Ela é fundamental, porque o epitélio da córnea é hidrofóbico, e quando o muco recobre a córnea permite que ela se torne hidrofílica. Preenche as irregularidades que a córnea tem. Quando está em baixa (poucas células caliciformes ou baixa produção), mesmo a lagrima em quantidades suficientes ela não consegue fazer seu trabalho, pois a córnea está hidrofóbica
- Água: camada média, produzida pelas glândulas lacrimais, temos a principal e na conjuntiva temos as acessórias, camada que faz a nutrição da córnea
- Gordura: produzida nas glândulas de meibomio – ficam na borda pálpebra. Camada mais externa da lágrima e a sua função é diminuir o potencial de evaporação. Quando tem deficiência nessa camada, há uma evaporação mais exacerbada, gerando ressecamento do olho 
- Calásio = quando