A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Políticas de Saúde no Brasil

Pré-visualização | Página 1 de 2

Políticas de Saúde no Brasil
Descobrimento ao império (1500- 1889)
Perfil Epidemiológico:
→ Brasil colônia com nativos e Europeus, sem
saneamento básico e MUITA aglomeração.
→ PT chegaram com doenças transmissíveis (por
pessoas e vetores) que causaram epidemias. Aliado à
falta de saneamento básico, muitos indígenas
morreram.
→ Peste bubônica, veríolo, gripe, febre amarela, cólera,
hanseníase.
Político e Econômico:
→ Sem estrutura urbana
→ País agrário e extrativista
→ Sociedade escravagista
→ Vinda da família real para o RJ causa a retirada das
pessoas do centro para a periferia.
→ Independência do Brasil (1822)
Organização da saúde:
→ Curandeirismo (pagés e nativos para os pobres)
→ Santas Casas de Misericórdia e Jesuítas para uma
saúde de caridade para os pobres
→ Organizações pontuais (boticários para os ricos)
→ Medicina liberal (físicos como clínicos e barbeiros
como cirurgiões para os ricos)
→ Ordenações filipinas para alimentos, saneamento e
higiene.
→ Primeira faculdade de medicina em 1808, junto
com a criação de instâncias públicas de saúde e
salubridade da corte e elite
→ Lazareto: locais separados na tentativa de parar
transmissões dentro do país, quarentena.
→ Teoria UNICAUSAL (microorganismos)
Regulação da prática da medicina na colônia:
1. Fisicatura Mor- responsável por todos os
outros praticantes e produtores de remédios.
2. Regimento da fisicatura
3. Provedor Mor- Salubridade, prevenção e
combate de epidemias, fiscalização dos portos
e dos alimentos, quarentenas e etc
República Velha (1889-1930)
Perfil Epidemiológico:
→ Imigrações e migrações fomentaram as doenças
transmissíveis causando epidemias
→ Insalubridade dos portos e saneamento básico
precário
→ Aglomerados urbanos
→ Doenças como febre amarela, cólera, peste
bubônica, varíola, tuberculose, sífilis, febre tifóide
eram comuns
→ Estrangeiros não queriam ir ao Brasil (túmulo dos
estrangeiros)
Político e Econômico:
→ Em 1889 foi proclamada a república
→ Modo de produção capitalista, ainda assim agrário
exportador (borracha, café)
→ Surgimento das primeiras indústrias com
investimentos estrangeiros, ameaçando o agro
→ Condições de trabalho ruins, gerando greves
→ 1923- Criação da CAPS, embrião da previdência
→ Organização do serviço de saúde para o trabalhador
● Assistência por acidente de trabalho
● Serviços funerários, socorro médico e medicamentos
mais baratos para o trabalhador e família
Organização da Saúde:
→ Santa Casa de Misericórdia (serviços filantrópicos)
→ Apenas 4 médicos no país
→ Onda higienista (Oswaldo Cruz)
→ Medidas e campanhas sanitaristas e vacinação
obrigatória, REVOLTA DA VACINA
→ Dr. Carlos Chagas (1921) com educação e mais
médicos
→ 1923- Primeira escola de enfermagem (Ethel
Parsons)
Era Vargas (1930-1964)
Perfil Epidemiológico:
→ Predomínio das doenças infectoparasitárias com a
pobreza (coqueluche, esquistossomose,, malária,
chagas)
→ Aparecimento das doenças da modernidade
(obesidade, hipertensão, diabetes)
→ Transição demográfica (envelhecimento da
população)
Política e Economia:
→ Exportação do café
→ Indústria automobilística e mais operários
→ Política do café com leite cai
→ Construção de Brasília
→ CAPS vira IAPS
Organização da saúde:
→ Início do registro demográfico
→ Medicina liberal, hospitais beneficentes e empresas
médicas
→ Introdução do laboratório
→ 1930: Criação do Ministério da Saúde/ Educação-
MESP
→ 1949: Assistência médica e domiciliar de Urgência-
Samdu. após pressão popular
→ 1953- Criação do Ministério da Saúde
Autoritarismo (1964-1985)
Perfil Epidemiológico:
→ Condições de saúde críticas
→ Tuberculose, malária, chagas, acidentes de trabalho
→ Dupla carga de doença pelo predomínio de doenças
da modernidade mas, ainda assim, presença das DIP
Política e Economia:
→ Caráter ditatorial e repressivo
→ Imposição da força militar
→ Urbanização e industrialização em crescimento
→ Obras de grande porte (Itaipu, ponte do Rio Niterói,
Transamazônica)
→1966: Criação do INPS
→ 1970: Movimento de Reforma Sanitária
→ 1975: Modelo econômico em crise
→ 1977: Criação do SIMPAS- Sistema de Assistência
a Previdência (assistência médica- INAMPS, gestão
financeira e social- IAPS, concessão de
benefícios-INPS)
→ 1985- Diretas Já!
Organização da saúde:
→ Convênios e contratos, extensão da medicina livre
com os planos de saúde
→ Ações preventivas ainda são deixadas de lado,
modelo biomédico, centrado na doença
→ Crise com o sistema médico-industrial por causa
dos grandes gastos
→ crescimento populacional sem contribuição e
excluídos
→ Epidemias de dengue, meningite
→ Colapso dos hospitais
→ 1976: PIASS- Programa de Interiorização das Ações
de Saúde e Saneamento
→ Por desvios de dinheiro, é criado o CONASP para
fiscalização
→ PAIS- Programa de Ações Integradas de Saúde que
criou um novo modelo inserindo a atenção primária,
prevenção, universalização, com recursos do INAMPS.
Nova República (1985-1988)
Perfil Epidemiológico:
→ Queda da mortalidade infantil e de doenças
imunopreveníveis
→ Manutenção das doenças da modernidade
→ Crescimento da AIDS
→ Epidemias de dengue
Política e Economia:
→ Conquista da democracia
→ Interrupção da recessão econômica
Organização da saúde:
→ 1986: VIII Conferência Nacional de Saúde com
intensa participação social
→ 1987: Sistema Unificado e Descentralizado de
Saúde- SUDS, o embrião do SUS
→ 1988: Reconhecimento legal da saúde como direito
de todos na Constituição Federal. CRIAÇÃO DO SUS.
Pós Constituinte (1989- hoje)
Novo sistema, o SUS!
S→ Sistema, rede funcional.
U→ Único, atinge a TODOS.
S→ Saúde, no seu conceito mais amplo e
em todos os níveis.
Objetivos do SUS:
1. Melhorar a qualidade de atenção à saúde
2. Romper com o passado de descompromisso e
irracionalidade técnico administrativa
3. Servir de norte ao trabalho do Ministério da
Saúde e das Secretarias Estaduais e
Municipais de Saúde
Princípios Doutrinários
UNIVERSALIDADE→ A saúde é um direito de todos e
dever do Estado, independente de etnia, condição
socioeconômica e religião.
EQUIDADE→ Baseado na justiça social. Todos
possuem o direito, mas nem todos têm as mesmas
condições para acessar esse direito. O Estado deve
prover condições para diminuir as diferenças de
acesso.
INTEGRALIDADE→ Atuar na cura, na promoção, na
prevenção e na reabilitação visualizando o paciente
como um todo e que sua saúde sofre influência de
vários segmentos de sua vida. Acesso a todos os
níveis de atenção.
Princípios Organizacionais
DESCENTRALIZAÇÃO→ Responsabilidade das ações e
serviços de saúde é dos municípios. As três esferas
ficam responsáveis pelo desenvolvimento,
coordenação, implantação e avaliação dos programas
de saúde.
REGIONALIZAÇÃO→ Serviços oferecidos dentro de uma
área delimitada para aquela população em níveis
diferentes de complexidade e conforme as
características daquela população
CONTROLE SOCIAL→ Todas as ações contam com
participação popular e representa o controle social das
ações governamentais.
HIERARQUIZAÇÃO→ Alinhamento dos serviços de
saúde conforme sua complexidade.
Antes do SUS X Depois do SUS
Como funciona?
● Atenção Básica
● Atenção Especializada
● Urgência/ Emergência
● Atenção Hospitalar
● Vigilância à saúde
Conquistas do SUS:
● Aumento da expectativa de vida ao nascer com
a redução da mortalidade infantil
● Vigilância sanitária
● Produção de vacinas
● Medicamentos e equipamentos
● Descentralização e municipalização
● Ampliação da prevenção
● Vigilância epidemiológica
● Maior participação e controle social com
Conselhos Municipais e Estaduais
Financiamento do SUS:
- De acordo com a CF de 1988, é dever das três
esferas de governo financiar, gerando a receita
necessária para custear as despesas com ações e
serviços públicos de saúde. Os percentuais de
investimentos atualmente estão definidos pela Lei
complementar nº141 de 2012. Por essa lei, 15% da
arrecadação anual dos municípios e 12% do estado
devem ir para a saúde pública.
- Os recursos são provenientes dos impostos pagos
pelo cidadão (IPVA,IPTU,IPI) e contribuições, sendo
estes organizados pelo Fundo de Saúde nacional,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.