A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
Revisão Enteral e Parenteral AV1

Pré-visualização | Página 2 de 4

= 1 550,79 x (76/ 100) 
 = 1 550,79 x 0,76 
 = 1 178,60 ml de água 
 
Observações: → É necessário a interrompida do gotejamento a cada 6 à 8 horas para a irrigação 
 (limpeza) da SNE (Sonda Nasoentérica) com a quantidade de 20 à 30 ml de água 
 potável, não ultrapassando a 50 ml de água. Estima-se que a limpeza seja a cada 6 
 horas com quantidade de 20 ml de água potável. 
 
► Volume da Fórmula = 1 550,79 ml 
► Volume de Água da Fórmula = 1 178,60 ml 
► Volume de Água da Sonda (Limpeza) = 30 ml x 6 horas = 180 ml 
 
Cálculo da Água = Vol. da Fórmula – Vol. da Água da Fórmula – Vol. da Água de Limpeza 
 = 1 550,79 – 1 178,60 – 180 
 = 192,19 ml de água ÷ 6 horas = 32,03 ml/h de água 
 
Observações: → 6 Tomadas 
 
Gotejamento 
 
1,0 ml --------------- 20 gotas 
1 589,20 ml -------- X 
 
X = 1 550,79 x 20 = 31 015,80 gotas para 21 horas (21 horas = 1 260 min.) 
 
31 015,80 gotas / 1 260 min. = 24,61 gotas/min. 
 
 
 
 
 
03. Paciente, sexo feminino, altura 1,62 metros, peso 54 kg, 24 anos com estenose esofágica. 
 Calcule a necessidade energética e a necessidade hídrica. 
 
Solução: 
 
IMC (Índice de Massa Corporal) = Peso (kg)/ [Altura (m)]² 
 = 54/ (1,62)² 
 = 54/ 2,63 
 = 20,53 kg/m² ─ com classificação de Eutrofia 
 
Peso Ideal = IMC ideal Mulher x (Altura)² 
 = 20,8 x (1,62)² 
 = 20,8 x 2,63 
 = 54,71 Kg 
 
Observações: → IMC (Índice de Massa Corporal) Ideal médio para mulheres = 20,8 Kg/m². 
 
 Necessidade Energética 
 
GEB (Mulher) = 655,1 + 9,56 [Peso (Kg)] + 1,85 [(Altura (cm)] – 4,68 [(Idade (anos)] 
 = 655,1 + 9,56 (54) + 1,85 (162) – 4,68 (24) 
 = 655,1 + 516,24 + 299,70 – 112,32 
 = 1 358,72 Kcal/dia 
 
GET = GEB x Fator Atividade x Fator Injúria x Fator Térmico 
 = 1 270,83 x 1,30 x 1,20 x 1,00 
 = 2 119,60 Kcal/dia 
 
Observações: → Como a paciente encontra-se na classificação de eutrofia, segundo o cálculo 
 do IMC (Índice de Massa Corporal), utilizar o peso atual para o cálculo de 
 necessidade energética, não há necessidade de usar o peso ideal. 
 
 → Fator Injúria (Estenose esofágica) = 1,20 
 
 → Fator Atividade (Ambulante) = 1,30 
 
 → Fator Térmico (normal) = 1,00 
 
 Necessidade Hídrica 
 
35 x 54,71 = 1 914,85 ml/dia 
 
Observações: → Ingestão hídrica recomendada para adultos até 55 anos = 35 ml/Kg/dia. 
 
 
 
 
 
 
04. Calcule a distribuição energética e a densidade calórica da fórmula enteral. 
 
 
QUANTIDADE DA PORÇÃO: 100 ml 
 
ENERGIA 
VALOR ENERGÉTICO 146 KCAL = 613KJ ** 
 
CARBOIDRATOS 
CARBOIDRATOS 15 G ** 
 
PROTEINAS 
PROTEINAS 6,3 G ** 
 
GORDURAS 
GORDURAS TOTAIS 6,8 G ** 
 
 
Solução: 
 
 
 Distribuição Energética 
 
Proteínas 
6,3 x 4 = 25,2 Kcal 146 Kcal ----- 100 % X = (25,2 x 100) / 146 = 17,26 = 17 % 
 25,2 Kcal ----- X 
 
Carboidratos 
15 x 4 = 60,0 kcal 146 Kcal ----- 100 % Y = (60 x 100) / 146 = 41,09 = 41 % 
 60 Kcal ----- Y 
 
Gorduras 
6,8 x 9 = 61,2 Kcal 146 Kcal ----- 100 % Z = (61,2 x 100) / 146 = 41,91 = 42 % 
 61,2 Kcal ----- Z 
 
 
 Densidade Calórica 
 
Densidade Calórica = Valor Total Calórico (Kcal) / Volume da Fórmula (ml) 
 = 146 / 100 
 = 1,46 
 = 1,5 Kcal/ml 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
05. Dada a fórmula enteral. Calcule a relação caloria não protéica por grama de nitrogênio. 
 (Considere o EER = 2 000,0 Kcal) 
 
Densidade Calórica 1,3 Kcal/ml 
Proteína 40 g/l 12 % 
Carboidrato 179 g/l 55 % 
Lipídios 47 g/l 33 % 
 
Solução: 
 
 Densidade Calórica 
 
Densidade Calórica = Necessidade Energética / Volume da Fórmula 
 1,3 = 2 000/ Volume da Fórmula 
Volume da Fórmula = 2000 / 1,3 
Volume da Fórmula = 1 538,46 ml 
 
 Relação Calórica Não Protéica por Grama de Nitrogênio (N) 
 
Carboidratos 
1 000,00 ml ----- 179 g X = (1 538,46 x 179)/ 1 000 
 1 538,46 ml ----- X = 275 384,34 / 1 000 
 = 275,38 g de HCO x 4 = 1 101,52 Kcal 
Lipídios 
1 000,00 ml ----- 47 g Y = (1 538,46 x 47) / 1 000 
1 538,46 ml ----- Y = 72 307,62 / 1 000 
 = 72,30 g de LIP x 9 = 650,70 Kcal 
Proteínas 
1 000,00 ml ----- 40 g Z = (1 538,46 x 40) / 1 000 
1 538,46 ml ----- Z = 61 538,40 / 1 000 
 = 61,53 g de PTN 
 
Sabe-se que: 1 g de Nitrogênio equivale 6,25 g de PTN, Logo: 
 
1,0 g N ------ 6,25 g PTN X = 61,53 / 6,25 
 X ------ 61,53 g PTN = 9,84 g de N 
 
Logo: 
 
Carboidrato (Kcal) + Lipídio (Kcal) / Nitrogênio (g) 
1 101,52 + 650,70 = 1 752,22 / 9,84 = 178,07:1 Kcal/gN (178,07 Kcal para 1 g de Nitrogênio) 
 
178,07:1 encontra-se adequado, pois varia de 120 à 180:1 
 
 
 
 
06. Na formulação de 1500 mL de nutrição enteral para paciente hipermetabólico chegou-se a 240g 
 de carboidrato, 60g de lipídios e densidade calórica de 1,2 Kcal/mL. Qual a quantidade de 
 nitrogênio a ser ofertada por essa formulação? 
 
a. 10 g de nitrogênio 
b. 11 g de nitrogênio 
c. 12 g de nitrogênio 
d. 13 g de nitrogênio 
e. 14 g de nitrogênio 
 
Solução: 
 
Dados da questão : - Volume da Fórmula = 1 500 ml 
 - Densidade Calórica = 1,2 Kcal/ml 
 - Carboidrato = 240 g 
 - Lipídios = 60 g 
 
Densidade Calórica = Valor Calórico Total / Volume da Fórmula 
Valor Calórico Total = Densidade Calórica x Volume da Fórmula 
 = 1,2 x 1 500 
 = 1 800 Kcal 
 
 Carboidratos (240g): Valor Calórico de Carboidratos = 240 x 4 = 960 Kcal 
 
 Lipídios (60g): Valor Calórico Lipídico = 60 x 9 = 540 Kcal 
 
 Proteínas : Valor Calórico Protéico = VCT – Carboidrato (Kcal) – Lipídios (Kcal)