Apostila Psicologia Organizacional
55 pág.

Apostila Psicologia Organizacional


DisciplinaSociologia Organizacional e Psicologia Organizacional213 materiais573 seguidores
Pré-visualização23 páginas
\ufffdPAGE \ufffd
\ufffdPAGE \ufffd38\ufffd
FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ \u2013 SANTA CATARINA
CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 
CURSO DE ADMINISTRAÇÃO
PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL
PROFa JANINE PACHECO DA LUZ
e-mail: janine@sc.estacio.br
PROF. RAMSÉS ANTUNES DA LUZ
e-mail: ramses@sc.estacio.br
\ufffd
Índice
	O que é a psicologia organizacional?
	p. 03
	A psicologia: objeto de estudo e histórico
	p. 04
	Modelos mentais
	p. 08
	Personalidade e outros fenômenos psicológicos
	p. 09
	O conceito de normal em psicologia
	p. 11
	A inveja nas organizações
	p. 15
	Os indivíduos e as organizações
	p. 17
	Grupo de trabalho X Equipe de trabalho
	p. 21
	Estudo de Caso: Gestão de equipes da Dra. Cannon Bowers
	p. 25
	Tensão e conflito interpessoal
	p. 26
	Motivação
	p. 30
	Mudança e resistência à mudança
	p. 37
	Estudo de Caso: Integração suave entre Banco Real e ABN Amro
	p. 38
	Comunicação e feedback
	p. 39
	Liderança requerida nesses novos tempos
	p. 42
	Estudo de Caso: O diretor industrial
	p. 49
	Estilos de liderança e de decisão administrativa
	p. 51
	Estudo de Caso: os Engenheiros
	p. 52
	Texto Complementar: Minha mesa sumiu...
	p. 53
Nota Importante:
Material extraído, em grande parte, dos livros mencionados nas referências bibliográficas citadas no plano de ensino da disciplina, entre outras fontes devidamente citadas ao longo de seu conteúdo, adaptado para uso exclusivo em sala de aula, no âmbito da Faculdade Estácio de Sá de Santa Catarina, com o objetivo precípuo de facilitar o processo de ensino-aprendizagem de Psicologia Organizacional.
\ufffd
TEXTO 1 - O que é a Psicologia Organizacional?\ufffd
Psicologia é a ciência do comportamento humano (e não-humano), da cognição, da emoção e da motivação. Ela pode ser subdividida em diversas especializações, e algumas delas se preocupam basicamente com o próprio conhecimento da psicologia enquanto ciência. 
A área de aplicação que reúne o maior número de psicólogos é a de psicologia clínica. Os psicólogos clínicos lidam com o tratamento de desordens e problemas psicológicos. A psicologia organizacional tem um campo de aplicação menor e refere-se ao desenvolvimento e à aplicação de princípios científicos no ambiente de trabalho. 
Os psicólogos organizacionais não lidam diretamente com os problemas emocionais ou pessoais dos funcionários. Eles se preocupam com questões de eficiência no projeto de tarefas, seleção, treinamento e avaliação de desempenho de funcionários. Preocupam-se, ainda, com as questões ligadas ao bem-estar dos funcionários no ambiente de trabalho, ao stress no trabalho, e às práticas de supervisão (de liderança).
A seguinte lista mostra as principais atividades dos psicólogos organizacionais:
Analisar a natureza de uma atividade (análise da tarefa);
Conduzir uma análise para determinar a solução de um problema organizacional;
Fazer/realizar uma pesquisa sobre sentimentos e opiniões dos funcionários;
Projetar sistemas para avaliação do desempenho de funcionário;
Projetar sistemas de seleção e de treinamento de funcionários;
Desenvolver testes e avaliações psicológicas;
Avaliar a eficácia de uma atividade ou prática, como um programa de treinamento;
Implementar mudanças organizacionais, ou auxiliar na sua implementação. 
Os psicólogos organizacionais também buscam mudar as organizações para que elas ofereçam um ambiente mais agradável para as pessoas, visando um clima organizacional melhor e que leve à eficácia organizacional. 
\ufffd
TEXTO 2 - A Psicologia: objeto de estudo e histórico
CIÊNCIA E SENSO COMUM
A ciência compõe-se de um conjunto de conhecimentos sobre fatos ou aspectos da realidade (objeto de estudo), expresso através de uma linguagem precisa e rigorosa. Esses conhecimentos devem ser obtidos de maneira programada, sistemática e controlada, para que se permita a verificação de sua validade. Assim, podemos apontar o objeto dos diversos ramos da ciência e saber exatamente como determinado conteúdo foi construído, possibilitando a reprodução da experiência. O saber pode assim ser transmitido, verificado, utilizado e desenvolvido. O senso comum, por outro lado, é um tipo de conhecimento precário, leigo, repassado de um indivíduo para outro sem maiores explicações ou aprofundamento, como se faz em ciência.
Essa característica da produção científica possibilita sua continuidade: um novo conhecimento é produzido sempre a partir de algo anteriormente desenvolvido. Nega-se, reafirma-se, descobrem-se novos aspectos, e assim a ciência avança. Nesse sentido, a ciência caracteriza-se como um processo.
Pense no recente desenvolvimento do motor movido a álcool hidratado. Ele nasceu de uma necessidade concreta (crise do petróleo) e foi planejado a partir do antigo motor a gasolina, com a alteração de poucos componentes desse último, como a carburação, por exemplo. No entanto, os primeiros automóveis apresentaram muitos problemas, como o seu mau funcionamento nos dias frios. Apesar disso, o motor vem-se aprimorando a cada novo modelo.
A ciência tem ainda uma característica fundamental: ela aspira à objetividade. Suas conclusões devem ser passíveis de verificação e isentas de emoção, para, assim, tornarem-se válidas para todos.
Objeto específico, linguagem rigorosa, métodos e técnicas específicas, processo cumulativo do conhecimento, objetividade fazem da ciência uma forma de conhecimento que supera em muito o conhecimento espontâneo do senso comum. Esse conjunto de características é o que permite que denominemos científico a um conjunto de conhecimentos.
OBJETO DE ESTUDO DA PSICOLOGIA
Qual é o objeto específico de estudo da Psicologia?
Se dermos a palavra a um psicólogo comportamentalista, ele dirá: "O objeto de estudo da Psicologia é o comportamento humano\u201d. Se a palavra for dada a um psicólogo psicanalista, ele dirá: "O objeto de estudo da Psicologia é o inconsciente\u201d. Outros dirão que é a consciência humana, e outros, ainda, a personalidade.
Considerando toda a problemática apresentada para a definição do objeto de estudo da Psicologia, optamos por apresentar aqui uma definição para a Psicologia e seu objeto que sirva como referência para o leitor, pois, ao colocarmos as diversas teorias psicológicas nos capítulos seguintes, a diversidade de enfoques do homem reaparecerá.
Se pensarmos que toda construção parte de uma matéria-prima, podemos dizer que a matéria-prima da Psicologia é a vida dos seres humanos. É a partir desse material que a Psicologia construirá todo o seu saber. Tudo o que a Psicologia criar, pensar ou disser será sobre a vida dos seres humanos.
A identidade da Psicologia, isto é, aquilo que a diferencia dos demais ramos das ciências humanas, pode ser obtida considerando-se que cada um desses ramos enfoca de maneira particular o objeto homem, ou seja, cada um trabalha a matéria-prima de maneira particular, construindo, no final, conhecimentos distintos e específicos. Assim, a Psicologia contribui com o estudo dos fenômenos psicológicos para a compreensão da totalidade da vida humana.
Nossa matéria-prima, portanto, é a vida humana em todas as suas manifestações, sejam elas mentais, corporais ou no mundo externo. Nosso objeto são os fenômenos psicológicos.
Os fenômenos psicológicos referem-se a processos que acontecem em nosso mundo interno e que são construídos durante a nossa vida. São processos contínuos, que nos permitem pensar e sentir o mundo, nos comportarmos das mais diferentes formas, nos adaptarmos à realidade e transformá-la. Esses processos constituem a nossa subjetividade.
A EVOLUÇÃO DA CIÊNCIA PSICOLÓGICA
Toda e qualquer produção humana \u2013 uma cadeira, uma religião, um computador, uma obra de arte, uma teoria científica \u2013 tem por trás de si a contribuição de inúmeros homens, que num tempo anterior ao presente, fizeram indagações, realizaram descobertas, inventaram técnicas e