A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Aula 9

Pré-visualização | Página 1 de 3

Aula 9
	Leia o texto a seguir e depois assinale a alternativa CORRETA:
"Na semana passada, visitei a minha antiga escola primária. Há muito tempo que não a visitava e assim que entrei pela porta, uma saudade imensa invadiu minha alma, pois guardo belas memórias dos quatro anos que lá estudei."
O termo "lá" retoma anaforicamente o substantivo:
	
	
	antiga.
	
	memórias.
	
	porta.
	
	alma.
	 
	escola.
	
	
	 
	Após observar a figura a seguir, assinale a alternativa correta.
                 
 
	
	
	É um texto não verbal, pois nele não há uma comunicação.
	
	É um texto verbal que retrata o desperdício de água.
	
	É um texto verbal e semiótico que representa uma intertextualidade.
	
	É um texto verbal e não verbal, pois há nele uma comunicação implícita.
	 
	É um texto não verbal e nele está implícito o tema desperdício de água.
	
	
	
	 
	Dizer que todo texto, como ato de comunicação, não possui aleatoriedade é dizer que todo texto pressupõe:
	
	
	o despertar, por parte do leitor, de maior gosto pela leitura.
	
	sua recriação pelo leitor.
	
	Uma função em si mesmo.
	
	uma multiplicidade de interpretações.
	 
	intenções por parte de quem o produziu.
	
	 
	Leia a produção de texto a seguir: Era uma vez uma menina que gostava de caqui. Ela achava o caqui muito saboroso. O caqui achava horroroso se outra fruta ficava podre. E a fruta era muito gostosa. Quando a menina lavava o caqui ela achava que estava muito chuvoso. (Mary A. Kato (org.). A concepção da escrita pela criança, 1992)
Há aspectos a revisar e reescrever no texto do aluno, em especial:
	
	
	a ausência dos elementos constituintes do gênero lenda.
	
	o emprego inadequado de pronomes para fazer a coesão textual.
	 
	a incoerência entre as partes do texto e entre o texto e o mundo.
	
	a falta de coesão revelada pela repetição da palavra caqui.
	
	o uso da pontuação, da concordância e grafia das palavras.
	
	 
	Aprendemos que é preciso saber intervir no texto da criança, transformando-o com a intenção de aproximá-lo, cada vez mais, de uma escrita convencional. Para tanto, podemos utilizar alguns recursos da língua, em relação ao recurso da inferência, MARQUE A ALTERNATIVA VERDADEIRA:
	
	
	Trata-se do modo de propor soluções a partir de um desafio relacionado à temática abordada;
	
	É o modo que o leitor percebe a ideia principal do texto e o seu relacionamento com outras ideias propostas pelo autor em outros textos;
	
	Significa julgar os fatos e situações, dar opiniões sobre marcas linguísticas e argumentar sobre a opinião omitida;
	 
	Diz respeito ao ato de relacionar a visão de mundo e os conhecimentos do leitor com as informações presentes no texto e com a visão de mundo do autor.
	
	Refere-se à forma que o autor coloca as ideias no texto, partindo do princípio que todo leitor possui a sua visão de mundo;
	
	
	 
	Cecília Meireles viveu no Rio de Janeiro; a poetisa residiu no bairro Laranjeiras e como  mulher de maestria na construção de imagens poéticas, deixou-nos  poemas em versos regulares, modinhas, elegias, trovas, entre outros versos exemplares em língua portuguesa.
Os elementos Cecília Meireles = poetisa = mulher constituem exemplos da coesão denominada:
	
	
	Temporal.
	
	Sequencial.
	
	Recorrencial.
	 
	Referencial.
	
	Nominal.
	
	
	 
	Leia o fragmento a seguir: "...lembremos que um texto é um produto de uma atividade discursiva onde alguém diz algo a alguém." (João Wanderley Geraldi, 1993)
Levando-se em conta a definição acima, pode-se afirmar que o professor, ao propor a produção de um texto, deve considerar que:
	
	
	é necessária a utilização de textos artificiais para ensinar a ler e escrever.
	 
	é fundamental a existência de um destinatário, real ou imaginário.
	
	o importante na produção textual é a produção de sentidos.
	
	um texto é uma mera justaposição de seqüências verbais escritas.
	
	as seqüências verbais orais não são textos.
	
	 
	Leia o texto abaixo:
Na reunião para planejamento pedagógico da disciplina de Língua Portuguesa do primeiro ano do Ensino Fundamental, Marlene, a coordenadora Pedagógica trouxe o seguinte texto para ser discutido entre os professores. "Aprender a ler não é só uma das maiores experiências da vida escolar. É uma vivência única para todo ser humano. Ao dominar a leitura abrimos a possibilidade de adquirir conhecimentos, desenvolver raciocínios, participar ativamente da vida social, alargar a visão de mundo, do outro e de si mesmo (...)". Disponivel em: http://revistaescola.abril.com.br/lingua-portuguesa/pratica-pedagogica/compreender-eis-questao-423576.shtml Acesso em 27/10/2011 às 15:52 horas,
Após a leitura, a coordenadora pediu aos professores que construíssem uma atividade que representasse a leitura como um prática dialógica e de letramento em nossa sociedade. Todos planejaram, mas apenas um atingiu ao objetivo. Marque qual dos professores concebeu uma atividade de leitura dentro das condições colocadas pela coordenadora?
	
	
	Pedro preparou uma folha mimeografada com letras pontilhadas, com o objetivo de trabalhar a coordenação motora fina.
	
	Cristina planejou uma ditado para as crianças aprenderem a escrita com os dígrafos.
	
	Amanda trouxe uma poesia para ler com a turma e depois para ser copiada no cadernos.
	 
	Francisco pensou em uma visita semanal à biblioteca da escola, com o objetivo de levar seus alunos a fazer suas próprias escolhas no acervo.
	
	Helena planejou entregar diariamente um conjunto de letras do alfabeto para os alunos manusearem livremente.
	
	
	Sobre o trabalho com gêneros textuais, leia o texto abaixo. Eis a primeira e talvez a mais importante estratégia didática para a prática de leitura: o trabalho com a diversidade textual. Sem ela pode-se até ensinar a ler, mas certamente não se formarão leitores competentes. (Parâmetros Curriculares Nacionais de Língua Portuguesa, 1996.)
Numere a coluna de gêneros textuais de acordo com características desses gêneros.
1 - Poema      
2 - Receita
3 - História em quadrinhos
4 - Anúncio
(__) Dá orientações precisas para a realização de uma atividade. 
(__) É construído em torno da função apelativa da linguagem.
(__) Valoriza o uso estético da linguagem.
(__) Intenção primordial de provocar o riso mediante recursos linguísticos e/ou iconográficos.
Marque a sequência correta.
	
	
	4, 1, 2, 3
	
	3, 4, 1, 2
	 
	2, 4, 1, 3
	
	2, 1, 4, 3
	
	3, 2, 4, 1
	
	
	De acordo com Almeida (2007), "nos ambientes educativos ou alfabetizadores, tudo se constitui em aprendizagem para a leitura e a escrita." Diante da definição podemos afirmar que:
	
	 
	O registro da língua através da escrita se faz necessário em ambientes escolaras pois expande, demarca, mas dificilmente constrói uma identidade social, cultural.
	
	A escrita que o professor deve ensinar deve se basear nas palavras, frases ou até mesmo em ideias soltas e sem sentido da contextualização social e cultural dos alunos.
	
	Com a evolução da internet, o surgimento das novas tecnologias (blogs, comunidades sociais, sites de cultura e informação, entre outras), o contato com o texto se tornou cada vez mais distante de cada um de nós.
	
	O aluno escreve sem um olhar a partir da perspectiva do mundo no qual está inserido, sem viver as experiências que surgem ao seu redor.
	 
	O professor deve mostrar ao aluno ( antes mesmo de iniciarmos a experiência de escrever) o que faz parte do cotidiano dele, aquilo que circula mais intensamente na vida em sociedade.
	
	 
	
	 
	Na Unidade Escolar Andrade Neves, os alunos