Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Salmonelose

Pré-visualização | Página 1 de 2

Salmonelose
Opatogeno_________________
É uma bac gram negativa da 
família Enterobacteriacea, tendo como gênero a Salmonella. 
Ela compõe a microbiota 
intestinal dos animais e humanos.
Ela é encontrada no
ambiente, sendo em solo, H2O, TGI de humanos e animais.
Seu principal método de 
transmissão se dá através de sua ingestão, sendo em alimentos, H20 ou contato c/ fezes contaminadas.
Atualmente existe + de 
2600 sorovares, todos considerados potencialmente patogênicos. Sendo agrupados em restritos, adaptados e ñ adaptados conforme a sua especifidade em relação aos hospedeiros.
Restritos = spp especifico { 
S Pullorum e S Gallinarum} 
Adaptados = spp 
especifico, mas pode ocasionalmente contaminar outra spp {S Choleraesuis q infecta suínos mas pode ocasionalmente acometer humanos vulneraveis}
Ñ adaptados = Ñ tem um 
hospedeiro definido. Tbm conhecido como TIFÓIDES q são a maioria dos sorovares {S Enteritidis e S Typhimurium q são os q + afetam humanos causando gastroenterites}. Elas podem afetar animais de sangue quente e tbm animais de sangue frio. São POTENCIALMENTE ZOONÓTICO quando produtos dos animais infectados entram na cadeia alimentar. 
A maioria dos animais 
contaminados são asintomaticos, ou seja, ñ tem sintomatologia; mas eliminam o agente através das fezes, q c/ contato com ambiente o contamina; onde ele Poe resistir por bastante tempo, principalmente se estiver em matéria orgânica.
A salmonella consegue viver 
em ambientes c/ temperaturas de 5-46°C, sua temperatura ideal de crescimento é 38°C. São resistentes ao congelamento e ao resfriamento. São destruídas quando submetidas a um tratamento térmico acima de 70°C, q normalmente são atingidas no cozimento completo do alimento.
Seres Humanos______________
A salmonelose é a principal 
causa de gastroenterites em humanos em todo o mundo. Sua gravidade de infecção depende do sorovar, adaptação ao humano, o tamanho da dose infectante, da natureza do alimento contaminado e o estado de saúde do hospedeiro (humano). Pessoas como crianças, idosos, imunosuprimidos e pacientes de doenças crônicas são + suscetíveis á infecção.
Os sorovares de salmonella 
são patogênicas ao humano. A Salmonella Typhi e a Salmonella Paratyphi A,B e C são as causadoras da febre tifóide e ñ são transmitidas por animais. A sua transmissão se dá através da forma interpessoal por alimentos contaminados por fezes humanas. Seus sintomas são os + graves, principalmente se atingir a corrente sanguínea, após a recuperação o indivíduo se torna um portador crônico.
Os outros tipos de 
sorovares são zoonoticos de ocorrência mundial, q causam um quadro de grastroenterite, geralmente autolimitante de período de 2-7d, sendo os sintomas + comuns a febre, diarréia, vomito e dores abdominais.
No Brasil a salmonella é o 
principal agente etiológico identificado como causadr de doenças transmitidas por alimento (DTA). Tendo como principais alimentos a carne, ovos e o leite, tendo como lugar q + ocorre esse contaminação são em residencias, por cotaminação cruzada, onde os alimento ñ contaminados tiveram contato indireto {tabua de carne} ou direto com outro alimento contaminado.
Controle de salmonella nos abatedouros de aves.
A todo um controle na 
produção de produtos alimentícios de origem animal, onde há um monitoramento das industrias periodicamente pelo serviço medico e tbm todo corpo da industria é treinado nas boas praticas de fabricação.
Q é regida por órgão 
competentes como a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), Organização das Nações Unidas p/ a Agricultura e Alimentação (FAO) e a Organização Mundial da Saúde (OMS),q tem manuais e guias c/ recomendações p/ o controle da Slamonella em aves e carne de aves.
O Departamento de 
Inspeção de Produtos de Origem Animal (DIPOA)possui o Programa Nacional de Controle Patógenos(PNCP) em vários produtos de origem animal produzidos nos estabelecimentos fiscalizados pelo Serviço de Inspeção Federal (SIF)
A verificaçãonormalmente é 
feita por meio da realização de coleta de carcaças e sua análise em laboratórios oficiais. Os resultados obtidos são tomados em ciclos de amostragem de oito amostras em que no máximo duas podem apresentar resultado positivo para que o ciclo seja considerado conforme (n=8; c=2). Essas duas amostras positivas não podem ser dos sorovares de SalmonellaTyphimurium e Salmonella Enteritidis. Sempre que ocorrerem violações devem ser tomadas ações corretivas.
Sorovares importantes
Pulorose = S. Pullorum
Tifo aviário = S. Gallinarum
Paratifo aviário = outras spp 
q ñ causam dos de cima.
Pulorose___________________
Etiologia
São bacilos ñ esporulados q 
possuem flagelos em sua maioria. Pullorum e Gallinarum ñ tem flagelo.
Gram nativos, anaeróbicos 
ou anaeróbicos facultativos.
Possuem resistência as 
desinfetantes e mortos pelo calor de 55°C por 1hrs ou 60°C por 15-20min
Patogenia e Epizootia
Nas infecções sistêmicas na 
maioria são associadas a macrófagos e fagócitos polimorfonucleares (virulência)
Pode persistir em aves 
assintomáticas por longo período.
Pode atingir trato 
reprodutivo, ou seja, transmitida na copula ou transovariana.
Hospedeiros
Galinhas, perus, pássaros, 
faisão, codornas e papagaios.
Susceptibilidade a pombos é 
variável, mas parecem resistentes.
Linhagens leves são + 
ristentes
Idade de ocorrência
Acontece + no inicio da vida, 
principalmente nas 2°-3° semana de vida.
As aves q sobrevivem a 
doença ficam sendo portadoras, conseguem crescer dentro do parâmetro zootécnico e produzem ovos contaminados.
Transmissão
Transovariana – programas 
de limpeza e desinfecção ñ consegue impedila de acontecer.
Agente é eliminados nas 
fezes de animais doentes e a disseminação pode ocorrer por alimento, H20, cama contaminados.
Canibalismo das aves 
infectadas e ingestão de ovos contaminados.
Fômites, por pessoas q 
visitam ou trabalham na granja, aves silvestres, animais de estimação e silvestre, moscas
O uso de antimicrobiano nos 
primeiros dias pode mascarar a doença e favorecer o estado de portador.
Sinais clínicos
Depressão, sonolência, asas
caídas, fraqueza, perda de apetite, retardo do crescimento, amontoamento.
Penugens ao redor da cloaca 
suja de fezes de coloração branca, devido a diarréia branca-amarelada e monte a seguir.
Pico de mortalidade entre 
2°-3° semana de vida
Respiração difícil devido o 
acometimento do pulmão.
Aves sobrevivente – tem 
empenamento ruim, desenvolvimento abaixo do esperado e serão portadoras e eliminarão a bac via transovariana durante todo o período de postura.
+ grave em aves recém 
nascidas
Surtos em adultos – Causa 
queda de consumo, penas arrepiadas, crista pálida e retraída, queda de postura, quena na fertilidade e na eclodibilidade.
Alt anatopatologicas
Aves jovens
Aumento do vol e congestão 
do baço,fígado e rins. Onde o fígado apresenta pontos brancos.
Sintomatologia respiratória 
pode ter nódulos brancos-amarelados no pulmão; esse nódulos tbm podem ser visto em TGI, m cardicado, pâncreas e m da moela.
O pericárdio pode ter 
exsudato amarelado ou fibrinoso e estar espesso.
Aves adultas
Pequena regreção de 
foliclos ovarianos a folículos císticos, hemorrágicos, contorno irregular c/ material caseoso, Hemorrágico ou necrosado no interior.
Pode ter atrofia de ovário
Peritonite fibrinosa, pericardite 
e perihepatite.
Nódulos brancos-
amarelados em m. cardíaco, baço e fígado.
Pontos brancos ou nódulos 
em testículos nos machos.
Diagnostico
Anamnese, achados clínicos, 
anatopatologico, exames lab como:
Bacteriostatico – baço, 
fígado, ovário, coração e conteúdo intestinal – (swab ou fragmentos)
Sorologico – soroaglutinação 
rápida
ELISA – detecta resposta 
positiva a vários agentes.
Tratamento
Ñ é muito efetivo, apenas 
reduz a mortalidade e as aves continuam portadoras.
Sulfonamidas – sulfas 
reduzem a ingestão de H20 e alimento, prejudicando o crescimento e produção da ave.
A utilização
Página12