A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
TUBERCULOSE

Pré-visualização | Página 1 de 2

1 Everlayne cavalcante 
T U B E R C U L O S E 
 
Doença infectocontagiosa transmitida pelas 
vias aéreas 
Ag. Etiológico: bactéria Mycobacterium 
tuberculosis (também conhecida como bacilo 
de Koch) 
Embora mais raramente, pode ser causada 
por outras espécies de agentes como 
a Mycobacterium bovis, M. africanum e M. 
microti. Afeta os pulmões e pode atingir 
outros órgãos do corpo como rins, meninges e 
ossos 
 
EPIDEMIOLOGIA 
 
Umas das doenças mais antigas do mundo. 
Possivelmente já ouviram falar dela ser vista 
como um castigo e que já que sua causa era 
desconhecida. 
No mundo: A tuberculose (TB) continua sendo 
um importante problema de saúde pública 
mundial. Estima-se que em 2019, no mundo, cerca 
de dez milhões de pessoas desenvolveram TB e 
1,2 milhão morreram devido à doença 
 
Em relação ao Brasil, o país continua entre os 30 
países de alta carga para a TB e para coinfecção 
TB-HIV, sendo, portanto, considerado prioritário 
para o controle da doença no mundo pela 
Organização Mundial de Saúde (OMS 
Em 2020, o Brasil registrou 66.819 casos novos de 
TB, com um coeficiente de incidência de 31,6 
casos por 100 mil habitantes. Em 2019, foram 
notificados cerca de 4,5 mil óbitos pela doença, 
com um coeficiente de mortalidade de 2,2 óbitos 
por 100 mil habitantes. 
QUADRO CLÍNICO 
Principais sintomas: 
• Emagrecimento acentuado 
• Tosse com ou sem secreção por mais de três 
semanas 
• Febre baixa geralmente à tarde 
• Sudorese noturna 
• Cansaço excessivo 
• Falta de apetite 
• Palidez 
• Rouquidão. 
Aí temos a tuberculose com suas subdivisões 
e os sintomas mais frequentes dessa forma 
a) Pulmonar 
→ Primária – Febre baixa, sudorese noturna 
e inapetência; + em crianças 
→ Pós-Primaria - tosse seca ou produtiva 
(mucoide ou purulenta, com sangue), febre 
vespertina até 38,5ºC, calafrios, 
emagrecimento; No E.F: diminuição do 
murmúrio vesicular, sopro anfórico ou mesmo 
um exame físico normal.;+ em adolescentes 
→ Miliar - ser aguda ou subadguda, e 
sintomas como febre, astenia, 
emagrecimento, sudorese norturna e tosse. 
 b) Extra – Pulmonar: ser 
aguda ou subadguda, e sintomas como febre, 
astenia, emagrecimento, sudorese norturna e 
tosse 
→ Pleural: dor torácica pleurítica. Astenia, 
perda ponderal e anorexia, febre com tosse 
seca, dispneia 
→ Empiema pleural: Uma cavidade 
tuberculosa pode se romper e extravasar para 
o espaço pleural. 
 
2 Everlayne cavalcante 
→ Ganglionar periférica: apresenta com 
aumento subagudo dos linfonodos, de forma 
indolor e 
assimétrica, das cadeias cervicais anterior e 
posterior, bem como supraclavicular;: + 
frequente em Coinfectados com HIV. 
→ Pericádica: Dor torácica, tosse seca e 
dispneia, Febre, emagrecimento, sudorese 
norturna, astenia, tontura, edema de MMII, dor 
em hipocôndrio direito e aumento do volume 
abdominal 
→ Óssea: As localizações mais acometidas 
são a coluna vertebral e as articulações coxo-
femoral e do joelho, com dor lombar, dor à 
palpação local e sudorese noturna. 
→ Gastrointestinal: febre, dor abdominal e 
sangramento gastrintestinal ou obstrução. 
 
FISIOPATOLOGIA 
1º o M. tuberculosis infecta o organismo 
2º Por fagocitose entra nos macrófagos 
3º inibe a maturação do fagossomo e a 
formação do fagolisossoma 
4º esses dois eventos anteriores promovem 
sua multiplicação desenfreada dentro da 
célula, pois está protegido dos lisossomos. 
Isso tudo seria a INFECÇÃO PRIMÁRIA, que 
ocorro após o primeiro contato com o bacilo 
de Koch, período de grande disseminação 
pelo corpo já que se apresenta de forma 
oculta. 
5º Após a 3º semana uma resposta Th1 é 
montada, produzindo INF-gama 
6º o INF-gama vai estimular a destruição dos 
macrófagos infectados 
7º essa mesma destruição vai formar 
granuloma e necrose caseosa 
Nessa fase dividimos os indivíduos que 
consegue conter danos maiores e as que 
desenvolverão a forma mais grave 
Após a infecção primária, 95% dos indivíduos 
entrarão em estado de latência, que é mantida 
pelo sistema imunológico ativo e competente 
 
A ativação tardia, ou reativação, pode ocorrer 
em condições imunossupressoras, com o 
desenvolvimento de comorbidades ou até 
mesmo sem causa aparente. Essa reativação 
da doença em hospedeiro com imunidade pré-
existente gera resposta inflamatória intensa, 
com formação de granulomas caseosos e, 
posteriormente – caso o pulmão esteja 
envolvido – de cavitação pulmonar. E de fato: 
a forma mais predominante da doença é 
justamente e tuberculose pulmonar. 
 
Logo, ocorre uma resposta imune ativa, porém 
diminuída, concomitante à replicação do 
bacilo. Devido à inflamação gerada nesse 
processo, há apoptose intensa, depletando as 
células T ativas contra o patógeno A ativação 
tardia, ou reativação, pode ocorrer em 
condições imunossupressoras, com o 
desenvolvimento de comorbidades ou até 
mesmo sem causa aparente. Essa reativação 
da doença em hospedeiro com imunidade pré-
existente gera resposta inflamatória intensa, 
com formação de granulomas caseosos e, 
posteriormente – caso o pulmão esteja 
envolvido – de cavitação pulmonar. E de fato: 
a forma mais predominante da doença é 
justamente e tuberculose pulmonar. 
Já a forma extra-pulmonar da tuberculose 
pode envolver qualquer órgão. Tais formas 
extra-pulmonares apresentam, geralmente, 
uma patogênese em comum: secreção de um 
foco tuberculoso contíguo em cavidade 
serosa, podendo esse foco ser de longa 
duração ou ter surgido recentemente na 
infecção primária. 
 
 
 
 
 
3 Everlayne cavalcante 
DIAGNÓSTICO 
Diagnóstico Clínico 
Não raramente, a TB pode manifestar-se sob 
diferentes apresentações clínicas, relacionadas 
com o órgão acometido. Desta forma, outros sinais 
e sintomas, além da tosse prolongada, podem 
ocorrer e devem ser valorizados na investigação 
diagnóstica individualizada 
Diagnóstico de Imagem 
A radiografia de tórax é uma ferramenta essencial 
para a detecção precoce da tuberculose e 
apresenta maior sensibilidade para o diagnóstico 
de tuberculose pulmonar do que a triagem de 
sintomas de tuberculose. 
Diagnóstico Bacteriológico 
Exame microscópico direto – 
baciloscopia direta 
• A pesquisa do bacilo álcool-ácido 
resistente – BAAR, pelo método de Ziehl-
Nielsen, é a técnica mais utilizada em 
nosso meio. 
• A baciloscopia do escarro, desde que 
executada corretamente em todas as suas 
fases, permite detectar de 60% a 80% dos 
casos de TB pulmonar em adultos. 
• Indicada: 
- no sintomático respiratório, durante 
estratégia de busca ativa; 
- em caso de suspeita clínica e/ou 
radiológica de TB pulmonar, 
independentemente do tempo de tosse; 
- para acompanhamento e controle de cura 
em casos pulmonares com confirmação 
laboratorial. 
* Deve ser realizada em duas amostras: uma por 
ocasião do primeiro contato com a pessoa que 
tosse e outra, independentemente do resultado da 
primeira, no dia seguinte, com a coleta do material 
sendo feita preferencialmente ao despertar. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Teste rápido molecular para 
tuberculose (TRM-TB) 
• disponível em alguns estados brasileiros 
• a utilização deve ser de acordo com o um 
algoritimo 
• O TRM-TB é um teste de amplificação de 
ácidos nucleicos utilizado para detecção 
de DNA dos bacilos do complexo M. 
tuberculosis e triagem de cepas resistentes 
à rifampicina pela técnica de reação em 
cadeia da polimerase (PCR) em tempo real 
(WHO, 2011) 
• Resultado em 2 h, com apenas uma 
amostra de escarro 
• Sensibilidade de 90% e detecta resistência 
a rifampicina 
O TRM-TB está indicado nas seguintes situações: 
- Diagnóstico de casos novos de TB pulmonar e 
laríngea em adultos e adolescentes 
- Diagnóstico de casos novos de TB pulmonar e 
laríngea em adultos e adolescentes de populações 
de maior vulnerabilidade 
- Diagnóstico de TB extrapulmonar nos

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.