A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
Revisão Enteral e Parenteral AV1

Pré-visualização | Página 3 de 4

= 1 800 – 960 – 540 
 = 300 Kcal 
 
Gramatura Protéica = 300/ 4 = 75 g 
 
Sabendo que, 1 g N = 6,25 g de PTN , Então: 1 g de Nitrogênio ----- 6,25 g de Proteína 
 X ----- 75,0 g de Proteína 
 t 
 X = 75/ 6,25 = 12 g de Nitrogênio 
 
Item Bônus (relação caloria não protéica por grama de nitrogênio) : 
 
Carboidrato (Kcal) + Lipídio (Kcal) / Nitrogênio (g) 
960 + 540 = 1 500 / 12 = 125:1 Kcal/g N (125 Kcal para 1 g de Nitrogênio) 
 
125:1 encontra-se adequado, pois varia de 120 à 180:1 
 
 
 
Para as questões 7 e 8 considerar o caso clínico e tabela nutricional a seguir: 
 
 
M.C.G, masculino, 33 anos, passou por acidente automobilístico grave sofrendo politraumatismo 
inclusive perfuro-cortante. Foi admitido no hospital lesão perfuro-cortante de pescoço. Após 
cirurgia, foi indicado nutrição enteral precoce. A necessidade do indivíduo foi de 2500 Kcal. A dieta 
enteral padrão disponível no hospital está caracterizada na tabela nutricional abaixo: 
 
 
QUANTIDADE DA PORÇÃO: 100 ml 
 
CALORIA 
VALOR ENERGÉTICO 123 KCAL = 517KJ ** 
 
CARBOIDRATOS 
CARBOIDRATOS 17 G ** 
 
PROTEINAS 
PROTEINAS 4,4 G ** 
 
GORDURAS 
GORDURAS TOTAIS 4,1 G ** 
GORDURAS SATURADAS 2,3 G ** 
GORDURAS TRANS 0 G ** 
 
FIBRAS 
FIBRA ALIMENTAR 0 G ** 
 
 
07. Com base na tabela nutricional, calcule a quantidade de macronutrientes que o indivíduo irá 
 receber em Kcal e gramas. 
 
Solução: 
 
 
 Densidade Calórica 
 
 
Densidade Calórica (Kcal/ml) = Valor Calórico da Fórmula (Kcal) / Volume da Fórmula (ml) 
 = 123 / 100 
 = 1,23 Kcal/ml 
 
 
 Densidade Calórica = Necessidade Energética Total / Volume da Fórmula Total 
 1,23 = 2 500/ Volume da Fórmula Total 
 Volume da Fórmula Total = 2 500 / 1,23 
Volume da Fórmula Total = 2 032,52 ml 
 
 
 Distribuição Energética (Kcal e grama) 
 
 
Carboidratos : 
 
100,00 ml -------- 17 g X = (2 032,52 x 17) / 100 
 2 032,52 ml ------ X = 34 552,84 / 100 
 = 345,53 g de HCO x 4 = 1 382,12 Kcal 
 
Proteínas : 
 
100,00 ml -------- 4,4 g Z = (2 032,52 x 4,4) / 100 
2 032,52 ml ------ Z = 8 943,09 / 100 
 = 89,43 g de PTN x 4 = 357,72 Kcal 
 
Lipídios : 
 
100,00 ml -------- 4,1 g Y = (2 032,52 x 4,1) / 100 
2 032,52 ml ------ Y = 8 333,33 / 100 
 = 83,33 g de LIP x 9 = 749,97 Kcal 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
08. Calcule a caloria não protéica que esse indivíduo vai receber e verifique se a proporção 
 oferecida oferece condições para metabolização do nitrogênio da dieta. 
 
Solução: 
 
 
Carboidratos : 
 
100,00 ml -------- 17 g X = (2 032,52 x 17) / 100 
 2 032,52 ml ------ X = 34 552,84 / 100 
 = 345,53 g de HCO x 4 = 1 382,12 Kcal 
Proteínas : 
 
100,00 ml -------- 4,4 g Z = (2 032,52 x 4,4) / 100 
2 032,52 ml ------ Z = 8 943,09 / 100 
 = 89,43 g de PTN x 4 = 357,72 Kcal 
 Lipídios : 
 
 100,00 ml -------- 4,1 g Y = (2 032,52 x 4,1) / 100 
 2 032,52 ml ------ Y = 8 333,33 / 100 
 = 83,33 g de LIP x 9 = 749,97 Kcal 
 
Sabe-se que: 1 g de Nitrogênio equivale 6,25 g de PTN, Logo: 
 
1,0 g N ------ 6,25 g PTN X = 89,43 / 6,25 
 X ------ 89,43 g PTN = 14,31 g de Nitrogênio 
 
Logo: 
 
Carboidrato (Kcal) + Lipídio (Kcal) / Nitrogênio (g) 
1 382,12 + 749,97 = 2 132,09 / 14,31 = 148,99:1 Kcal/g N 
 (148,99 Kcal para 1 g de Nitrogênio) 
 
 148,99:1 encontra-se adequado, pois adequação varia de 120 à 180:1 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Para as questões 9 e 10 considerar o caso clínico a seguir: 
 
Paciente, 60 anos, 73 kg e 169 cm de altura, sofreu uma queda quando tomava banho e sofreu 
traumatismo craniano. Entra em ausência de nível de consciência no Pronto Atendimento mas 
respira normalmente e apresenta prévias condições nutricionais normais. Foi indicado pela EMTN 
(Equipe Multiprofissional de Terapia Nutricional) a utilização de suporte nutricional enteral. 
Sabendo que ele não teve febre. 
 
09. Calcule as necessidades (energia e macronutrientes) do paciente, com percentuais e gramas/kg. 
 Considere a recomendação: 35 a 40kcal/ kg de peso; 1,2 a 1,5 de PTN/kg peso. 
 
Solução: 
 
IMC (Índice de Massa Corporal) = 73 (kg) / [Altura (m)]² 
 = 73 / (1,69)² 
 = 73 / 2,86 
 = 25,53 kg/m² ─ com classificação de Eutrofia (Idoso) 
 
 Necessidade Energética por Harris Benedict (1919) 
 
GEB (homem) = 66,47 + [13,75 x Peso (Kg)] + [5,00 x Altura (cm)] – [6,76 x Idade (anos)] 
 = 66,47 + (13,75 x 73) + (5,00 x 169) – (6,76 x 60) 
 = 66,47 + 1 003,75 + 845 – 405,60 
 = 1 509,62 Kcal/dia 
 
GET = TMB x Fator Atividade x Fator Injúria x Fator Térmico 
 = 1 509,62 x 1,20 x 1,35 x 1,00 
 = 2 445,58 Kcal/dia 
 
Observações: → Como o paciente encontra-se na classificação de eutrofia, segundo o cálculo 
 do IMC (Índice de Massa Corporal), utilizar o peso atual para o cálculo de 
 necessidade energética por equação de Harris-Benedict (1919). 
 
 → Fator Atividade (Acamado) = 1,20 
 
 → Fator Injúria (Fraturas múltiplas) = 1,35 
 
 → Fator Térmico (Normalidade) = 1,00 
 
 Distribuição energética 
 
g PTN/Kg = 97,82 / 73 = 1,34 g de PTN/ Kg (adequado ao parâmetro de 1,5 g de PTN/ Kg) 
 
PTN (16% do VCT) = 16% x VCT = 16/100 x 2445,58 = 0,16 x 2445,58 = 391,29 Kcal = 97,82 g 
 
HCO (56% do VCT) = 56% x VCT = 56/100 x 2445,58 = 0,56 x 2445,58 = 1369,52 Kcal = 342,30 g 
 
LIP (28% do VCT) = 28% x VCT = 28/100 x 2445,58 = 0,28 x 2445,58