Buscar

Resolva as equações diferenciais de primeira ordem abaixo, determinando um fator integrante para as não-exatas: cos x dy = (1 - y - sen.x)dx

💡 1 Resposta

User badge image

Ed Verified user icon

Para resolver essa equação diferencial de primeira ordem, precisamos encontrar um fator integrante. Para isso, multiplicamos ambos os lados da equação por uma função μ(x) que torna a equação exata. Começamos encontrando a derivada parcial de μ(x) em relação a y: μ(x) * (∂/∂y) cos(x) = μ(x) * 0 = 0 Em seguida, encontramos a derivada parcial de μ(x) em relação a x: μ'(x) * cos(x) + μ(x) * (-sen(x)) = μ'(x) cos(x) - μ(x) sen(x) Agora, igualamos essa expressão a (1 - y - sen(x)) e resolvemos para μ(x): μ'(x) cos(x) - μ(x) sen(x) = 1 - y - sen(x) μ'(x) cos(x) - μ(x) sen(x) = 1 - y - sen(x) μ'(x) cos(x) = 1 - y μ(x) = ∫(1 - y) / cos(x) dx μ(x) = ln|sec(x) + tan(x)| + C Agora que encontramos o fator integrante, multiplicamos ambos os lados da equação diferencial por μ(x): cos(x) * μ(x) * dy - (1 - y - sen(x)) * μ(x) * dx = 0 (1 - y) * sec(x) * dx + (y - sen(x)) * sec(x) * dx = d(ln|sec(x) + tan(x)|) Integrando ambos os lados, obtemos: ln|sec(x) + y - sen(x)| = ln|sec(x) + tan(x)| + C sec(x) + y - sen(x) = k * (sec(x) + tan(x)) y = k * sec(x) + sen(x) - k * tan(x) Portanto, a solução geral da equação diferencial é y = k * sec(x) + sen(x) - k * tan(x), onde k é uma constante arbitrária.

0
Dislike0

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

✏️ Responder

SetasNegritoItálicoSublinhadoTachadoCitaçãoCódigoLista numeradaLista com marcadoresSubscritoSobrescritoDiminuir recuoAumentar recuoCor da fonteCor de fundoAlinhamentoLimparInserir linkImagemFórmula

Para escrever sua resposta aqui, entre ou crie uma conta.

User badge image

Outros materiais